sexta-feira, novembro 03, 2006

Lizzy e a essência do amor




“Não é a distração daquilo que nos rodeia a própria essência do amor?”

Lizzy, em Orgulho e Preconceito, de Jane Austen.



Esta frase é tão bela que me deixou a pensar nela por um bom tempo. Quando o amor existe na vida de alguém, o que mais importa? Claro que não vamos esquecer de escovar os dentes e pagar as contas, não é disso que estou falando, mas sim da verdade que existe no amor, do quanto o mundo torna-se adereço simplesmente.

É aí então que se vê a força do ensinamento cristão: “ama ao próximo como a ti mesmo”. Quando se ama, o objeto amado é digno de atenção, de carinho, apreço e respeito. E cada vez que eu magôo quem amo eu sofro. Dói mesmo.

Já pensou em cada um buscando amar o próximo? Nem que seja só um pouquinho: respeitando o outro, fazendo um cafuné, oferecendo um copo d’água, dando um presente de aniversário, alertando sobre mentiras, dedicando um poema ao amado ou aos amigos e a família...enfim, são muitas as maneiras de demonstrar amor.

Creio que amar ao próximo é também não fazer a ele aquilo que não gostaria que fosse feito a mim. Isso passa desapercebido muitas vezes quando se fala nesse ensinamento. Amar ao próximo não é sair por aí distribuindo beijos e abraços em estranhos ou encobrir erros alheios simplesmente para posar de bom moço. É saber que cada um tem seu espaço e buscar respeitar a individualidade e a essência de cada um. Não dá para amar a humanidade, pelo menos não se não souber amar o próximo mais próximo. Dizer que ama o planeta, a humanidade, e não ter o mínimo respeito a vontade e ao espaço do outro, é hipocrisia, não confio em quem age assim. Gente que atua desta maneira faz o que ela acha melhor para o outro sem perguntar se ele quer que isso seja feito ou não. Isso é egoísmo, transforma-se em megalomania até: só o que ele pensa e propõe é o melhor e todos os outros devem se curvar a sua “imensa sabedoria e boa vontade”...é assim que se instalam os tiranos no poder.

Ame e jogue fora a burrice, o entorpecimento das coisas do mundo. Ame e perceba a força desse sentimento e o poder do Ser de se manifestar com beleza e sabedoria.

Na frase de Lizzy percebo que quando se ama tudo o mais é efêmero. O que vale mesmo é o sentimento puro, belo e rico que invade ou que vai se construindo na alma, no coração do ser.

Aqueles que amam sabem do que estou falando.


12 comentários:

  1. Excelente texto, Babu! (de Babuleta, gostou?)

    Especialmente na parte "Amar ao próximo não é sair por aí distribuindo beijos e abraços em estranhos ou encobrir erros alheios simplesmente para posar de bom moço."

    Virou moda dizer que é espiritualista por fazer vista-grossa às coisas erradas, não é por aí...

    ResponderExcluir
  2. Começou com tudo, borboletinha!
    Senti muita paz e sabedoria quando entrei no seu blog e uma energia maravilhosaaa quando li esse post.
    Belíssimo! Parabéns!
    Me inspirou muito essa noite! =D
    Até atualizei meu blog. ^^
    Vai lá, é do livro que você me emprestou ;)

    Bjões!Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahahahahahaha...adorei o Babuleta, tava rindo sozinha ontem e Babu ficou uma graça ;)

    É verdade, essa estória de fazer vista grossa aos erros não é nada sábio. Alguns confundem ser bom com ser bobo, confundem ser legal com ser permissivo, etc.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Esmeralda!

    Que assim seja, que haja paz e luz por aqui!

    Vou lá ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Também amei o Babu de BABULETA, é muito fofo!!! Posso?? :) E quanto ao post, fiquei praticamente sem palavras para comentar. É exatamente tudinho o que penso, sem tirar nem por uma única vírgula. Que grande começo, menina... :)

    beijos!!!

    ResponderExcluir
  6. Cris, pode sim *rs*.

    Muito obrigada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Valeu, irmã fada! Grance início. Impossível começar melhor do que isso, falando de Amor. E as suas colocações são perfeitas. Continue amando e cultivando Amor. Que não significa conivência, mas sim essa coisa maior, estar sempre disposto a perdoar quem pede perdão.

    Abraço na alma.

    ResponderExcluir
  8. Muito obrigada, Merton! :)

    Tudo de bom, sempre!

    ResponderExcluir
  9. Cris Lisboa11/07/2006

    Olá, Gwenyfar!!!

    Eu também vim através do blog do HK Merton. Seu blog está lindo, tudo o que você escreveu é belo e lógico. Eu fiquei alguns meses meditando sobre esse ensinamento Cristão "ama ao próximo como a ti mesmo”,e cheguei a seguinte conclusão: não é fácil praticar o que foi exposto, mas quando se ama de verdade, nada é dificil, todos os seres passam a ser "especiais", e cada um dá o melhor que pode.

    Abraços Fraternos

    ResponderExcluir
  10. Oh....só agora vi.... meu browser anda louco... :(

    beijos Babu! rsrsrs é mesmo fofo!!! :)

    ResponderExcluir
  11. *rs* achei fofo mesmo, Cris!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Cris Lisboa, é verdade, em cada ser que eu amo percebo o que há nele de especial. De alguma forma todo ser é especial, pois é único.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.