domingo, março 18, 2007

Alguns enxergam os outros como num espelho






Quando você vê beleza em um ser, você está vendo ou começando a ver sua própria beleza. E sua beleza é um pedacinho da Beleza.

Há um tipo de pessoa que encontra outras pessoas que são tão lindas, tão bondosas e doces. Mas esse tipo não vê a bondade, a beleza dessas outras. Ela interpreta a bondade como falsidade, a beleza como máscara e a doçura como bajulação. Sabe por quê? Porque ela é assim. Porque está iludida, com o coração cheio de fel.

Entendeu como funciona? Por isso se você é alguém bom, que gosta de levar doçura à vida dos seres e é mal compreendido por alguém, não fique triste em demasia. Pense que aquele que te despreza é alguém que está doente. Veja-o como uma criança que tem muito que aprender ainda. Não estou dizendo que você deve sentir-se melhor que ele. Não. Apenas que deve ser compreensivo quanto a suas falhas, que você também já pode ter sido assim e que ainda pode ser assim – cheio de falhas - em outros aspectos.

Isso não quer dizer que se você enxerga um ser cruel você seja cruel também. O que importa é quanto isso se repete e com que intensidade você sente isso. Se te incomoda demais é hora de parar e pensar no que há em você que parece com aquele ser.

Ninguém gosta de ser visto como coitadinho, a não ser que esteja carente demais, e carência é desequilíbrio. Então não o veja como coitadinho. Deseje o melhor para ele, do fundo do coração. Se não conseguir fazer isso de imediato, vá treinando e pedindo a Deus para lhe conceder tal graça. O importante é semear algo bom. E lembre-se de que “a cada um segundo suas obras”.

Que obras você tem realizado?