terça-feira, março 20, 2007

O Simbolismo da Lua e a Virgem Maria



É muito bom estudar os símbolos. Vejam que interessante essa análise de
Jean Hani sobre Nossa Senhora e o simbolismo da lua.
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
A lua simboliza tradicionalmente os ritmos da vida: cresce, decresce, desaparece, reaparece, sua vida está submetida à lei universal do devir, que inclui a morte, mas também a ressurreição, a ressurreição que precisamente representa a lua crescente. A lua controla todos os planos cósmicos regidos pelo devir cíclico: as águas, a vegetação, a fertilidade, as marés e a fecundidade das mulheres; daí sua relação com o signo de Touro, que é o segundo signo da primavera e, detalhe importante, o «lugar de exaltação» da lua.

No pensamento cristão pode se aplicar a lua ao mistério de Cristo e sua mãe. Assim, Cristo é o sol, mas a luz do Cristo-Soles é levada a sombria terra pela maternal mediação de Maria (e da Igreja, que é o corpo místico de Cristo): porque a lua é o símbolo desse ser que acolheu maternalmente a luz e a recebeu com humildade; a concepção e a prosperidade na terra seguem o ritmo desta maternal lua.

Sobre este tema se desenvolveu uma espécie de mito das «bodas do sol e da lua»: Lua recebe a luz do Sol, se converte em mãe e engendra tudo o que vive. No silêncio e na obscuridade, a «lua nova» dialoga com seu amado; são os diálogos místicos da «harmonia das esferas» dos pitagóricos, como evocava Plutarco em seu tratado Sobre a face que há na lua: «Selene descreve em todos os tempos círculos de amor ao redor de Hélios, e dele recebe, mediante sua união, o poder de fazer nascer». Assim, a lua é a intermediaria entre o sol e a terra, a mediadora: tem por função atenuar a força da luz ampliando o «fogo» do sol a «água» de seu ser, a «água celestial da lua», o «rocio celestial» nele que se mesclam o «quente» e o «úmido» para engendrar o principio criador de vida na terra.

A partir daí, a reflexão cristã se centrou na lua e o sol de Natal: Maria deu à luz o «Sol de justiça», se converteu em seu «espelho», «Speculum justitiae», «Espelho da justiça», como a chamam as litanias de Loreto; conduz durante a noite o carro do sol da manhã, é a Lua com a que o Sol se uniu na aniquilação de sua encarnação noturna, e assim é mãe de tudo o quanto vive.

E isto nos remete ao tema da lua e da imagem lunar de Maria. Para compreender-la, há que se situar a expressão Janua coeli no sistema de representação antigo do Cosmos, construído no escalonamento das sete esferas planetárias, sendo a primeira a da lua que separa o mundo que há por baixo, denominado mundo sublunar, submetido ao ciclo do devir, das esferas superiores, entre elas a do sol, que participam da vida permanente y divina do «céu» em sentido religioso. Desta perspectiva, a lua é denominada Janua coeli; é o lugar de passagem do mundo inferior ao mundo divino. Na ascensão celestial da Divina Comédia, Dante situa precisamente na esfera da lua o Purgatório, que para os pecadores arrependidos abre o caminho até o sol, a Via Láctea e o «Círculo supremo»; ali, diz Plutarco que se purificavam os justos para encontrar-se em estado de ascender até a morada dos Deuses (Paraíso). Fazendo de Maria a Janua coeli, se quer dar a entender o papel imenso que desempenha no caminho da salvação, não só porque traz ao mundo o Cristo, autor da salvação, mas também porque segue ajudando ao ser humano em seu caminho; na figura da Mulher do Apocalipse, a Virgem, posto que dela se trata, está sobre a lua e está vestida com o sol, faz nascer os homens e os faz passar do mundo terreno e mortal ao mundo eterno.

10 comentários:

  1. Iinteressante. Mas falta-me o conhecimento básico a respeito do tema para entender mais claramente ou profundamente a análise de Jean Hani. Onde encontro esse tipo de leitura? Não consegui abrir o link que você indicou, fadinha!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris! Qual link você não conseguiu abrir?

    Olha, estudar sobre simbolismo é bem interessante. Veja aí ao lado onde tem escrito "Livros" e veja se há livros de Mircea Eliade. Ele estudou simbolos. É bem interessante. Outro que conhece muito disso é René Guenón. O livro dele "O Simbolismo da Cruz" ensina muito sobre isso.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Foi bom viajar na mensagem que aqui deixaste.

    Um abraço amigo.

    Om-Lumen

    ResponderExcluir
  4. Interessante!
    Adoro a lua!
    Ela me responde tantas dúvidas...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. om-lumen, obrigada!

    Abraço também!

    ResponderExcluir
  6. Marilyn, beijão pra ti!

    A lua é linda!

    ResponderExcluir
  7. Gwenyfar!

    Já passei aqui várias vezes, cheguei pelo blog do Merton.
    Muito legal seu blog, gosto muito do que vc escreve.
    Adoro a Lua e sou devota de Nossa Senhora.

    Bjão!

    ResponderExcluir
  8. O Cris!

    obrigada pelas visitas!

    Apareça sempre e comente, é bom demais ter um retorno dos leitores e poder trocar ideias e azer amizade :)))

    Nossa Senhora é maravilhosa! Filha muito querida de Deus, intercessora belíssima! Também sou devota ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Não abro o link do Jean Hani (http://www.terra.es/personal/javierou/con-reginamundi.htm) :(
    beijão!

    ResponderExcluir
  10. Que coisa, Cris! Aqui eu abro normal esse link! Então faz uma busca pelo google ou copia e cola o endereço.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.