sexta-feira, maio 11, 2007

Dias de Charlotte



Charlotte sentia-se só. Mesmo casada, mesmo com amigos, a solidão a rondava. Cânticos religiosos, a beleza da natureza ou dos arranjos artísticos, nada disso a livrava daquela sensação de vazio.

Existia uma barreira entre ela e seu marido, entre ela e o mundo. Dava pra perceber claramente que ela não era compreendida e que nem ela mesma conseguia se entender.

Há dias assim na vida das pessoas: dias de Charlotte.

É, e quem foi que disse que a vida seria fácil?

Se você vive um dia de Charlotte saiba que ele passa. Ou deveria passar. As coisas do mundo são assim, fugidias. Não adianta tentar se agarrar nelas. Você pode querer que seja de um jeito e termina sendo de outro. Paciência.

Atire a primeira pedra quem nunca teve um dia de Charlotte.


a vitória não está aqui