quinta-feira, janeiro 31, 2008

Como a moderna “ciência” torce o sentido da morte e canibaliza e comercializa os “mortos”


Li há pouco tempo um artigo surpreendente sobre a morte, experiências de quase-morte, doação de órgãos e fraudes com lucros em cima da venda de órgãos humanos (isso é mais comum do que poderíamos imaginar!), transplantes, desacordo da classe médica sobre a “morte cerebral”, aborto, pílula, diagnósticos errados e outras coisas mais. Assustador! Muito interessante mesmo!

Vejam este trecho:


“A verdade é que a ciência médica, sendo finita em sua sabedoria, muitas vezes calcula mal. O jornal Daily Mail de 18 de julho de 2000, da Inglaterra, relata: “Quase metade dos pacientes considerados em ‘estado vegetativo’ em conseqüência de danos cerebrais foram diagnosticados de maneira errada, de acordo com um alarmante estudo científico. As descobertas… indicam que muitos pacientes que são diagnosticados como em persistente estado vegetativo podem na realidade estar conscientes do que ocorre ao seu redor…”


Recomendo a leitura. Precisamos nos informar melhor sobre o que ocorre à nossa volta.


Fiquem com Deus!