segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Sobre boicotes e cegueira

Estamos em clima de Quaresma, mas creio que este post não vá destoar da proposta desta época tão importante para o cristão.

Tenho um amigo que tem um blog bastante visitado. Ele fez um post muito bom sobre a decisão dele de boicotar as Olimpíadas na China. Decisão esta que apóio. Mas o que quero comentar aqui é sobre a cegueira de algumas pessoas, proposital ou não, em relação aos males do mundo. É incrível como que há pessoas que decidem simplesmente fechar os olhos para o que acontece de ruim à sua volta, seja na rua ao lado, seja na China.
Pois bem, há irmãos nossos neste momento sofrendo horrores nas mãos do governo comunista chinês. São presos, torturados e mortos. Tem seus órgãos tirados e vendidos no mercado negro.

Essas notícias só chegam aqui porque há pessoas muito corajosas que decidem, mesmo colocando sua vida em risco, contar às pessoas de fora o que acontece lá dentro. E não é só na China. Há o Tibet. Um povo que vive hoje exilado de sua cultura, tendo que viver sem seu líder espiritual, o Dalai Lama. É muito triste isso tudo. Mas é horrível ver que existem pessoas que parecem pisar nos corpos dessas vítimas. Sem culpa! Ver que há pessoas que em vez de se unirem para denunciar tais crimes, resolvem agir aplicando o diversionismo, e tiram a atenção do foco da questão para discutir coisas que estão fora da proposta concebida e até mesmo para atacar a honra de quem se propõe denunciar essa barbárie. É isso o que está acontecendo lá no blog desse meu amigo.


Como é que pode isso? E o sofrimento daquelas pessoas que estão sendo tiradas de suas famílias, de sua religião? Não têm compaixão delas? Algumas alegam coisas tão absurdas que nem vale a pena comentar aqui. Querem fazer crer que ter vida espiritual é viver como um palerma fechando os olhos para a realidade, só faltando dizer amém à crueldade!


Vida espiritual não é fuga da realidade! Temos que estar atentos ao que ocorre à nossa volta, estender a mão a quem precisa. Jesus Cristo sempre esteve atento à realidade. Soube criticar os fariseus, expulsou os vendilhões do templo, foi firme quando necessário. E há aqueles que querem fazer passar a imagem de um Jesus sem firmeza, que só dizia palavras doces o tempo todo. Ora, mas esse Jesus não existe!


Que nesta Quaresma aprendamos a ter compaixão de nosso próximo. E que há momentos nos quais precisamos ser firmes, tomar medidas enérgicas, para que os malfeitores não continuem a prejudicar os inocentes. Foi isso que Ele nos ensinou.