quarta-feira, abril 02, 2008

No verdadeiro amor não há lugar para o ‘eu’ e o ‘meu’

Photobucket


Convivendo com familiares, amigos, noivo, animais de estimação, obtenho valiosas lições de desprendimento e amor. Aprendo que quando existe amor, existe uma imensa vontade de fazer o outro feliz. Naturalmente eu busco então compartilhar meus bens, conhecimento e carinho. Claro que não é fácil às vezes. É sim um tremendo exercício a ser feito no cotidiano.

O verdadeiro amor não exige nada em troca e oferece ao que ama um profundo sentimento de deleite em dividir as bênçãos da vida com o ser amado. Mas eu não fico triste quando percebo que tenho que me esforçar para dividir o que tenho. Busco pedir forças aos Céus e então me prontifico a ser altruísta ou ao menos não tão egoísta por um tempo. E assim, de momento a momento, aos poucos, vou construindo um caminho mais bonito na convivência com as pessoas. Mas isso só acontece com a graça divina, pois por mim mesma nada de bom acontece.

É bom mesmo aproveitar a convivência com os mais chegados para exercitar esse desprendimento. Talvez esta seja uma forma de atingir as grandes alturas espirituais.