terça-feira, junho 17, 2008

Ser grata a quem me amaldiçoa

Photobucket

Ser grata a quem me amaldiçoa. Pode parecer algo inatingível, mas não é. É possível, sim, abençoar os que me amaldiçoam, agradecer ao inimigo que mostra onde estão minhas falhas e onde tenho que mudar. É uma chance de exercitar o auto-controle também. Talvez por isso seja permitido que tais males aconteçam.

É claro que se o outro fez um mal em tocar numa ferida minha ele vai ter a pena dele (“a cada um de acordo com suas obras”), mas isso não impede que eu possa tirar uma lição daí, não é?

Quando eu enxergo as mazelas do mundo é que tenho mais vontade de voar bem alto. Quando percebo que nada neste mundo pode me dar a verdadeira felicidade, firmo minha intenção em Deus. Nele estou a salvo, realizada, amada, nutrida, segura. Posso então continuar a viver neste mundo mesmo, mas consciente de que nele tudo é efêmero.

Um comentário:

  1. Isso aí, Andrea!
    Não tire os olhos de Quem realmente importa. Liberdade é isso: tomas posse de uma Presença, como dizia Giussani.
    Abraço

    ResponderExcluir

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.