sexta-feira, agosto 01, 2008

A Igreja Católica construiu a Civilização Ocidental








Reproduzo aqui o texto escrito pelo Lord Tupiniquim sobre as impressões dele ao ler o livro How the Catholic Church built Western Civilization de Thomas E. Woods Jr, Ph.D. Os grifos são meus.

Acabo de concluir a leitura do livro How the Catholic Churc built Western Civilization de Thomas E. Woods Jr. Livro de leitura simples, rápida e agradável, no entanto, revelador de verdades que foram "esquecidas", ou seria melhor dizer, deliberadamente apagadas da memória dos contemporâneos.

Seleciono algumas verdades que foram e são sonegadas: o moderno pensamento econômico da Escola Austríaca (teoria subjetiva na formação dos preços) foi pela primeira vez formulada por pensadores escolásticos. A lei da inécia de Newton já está in potentia na obra dos pensadores cristãos. O apoio que a Igreja Católica deu à ciência durante séculos e séculos - que vai desde a construção das universidades ao apoio financeiro aos cientistas - quer sejam eles clérigos ou não. O número expressivo de clérigos cientistas em todas as áreas do conhecimento humano. A preservação do legado cultural do Ocidente durante a fase terrível após a queda do Império Romano por meio dos mosteiros - claro, houve também neste particular contribuição decisiva dos muçulmanos.

Além disso, a tese - que parecerá fantástica e pouco crível- mas inteiramente coerente com as fontes históricas é que o pensamento cristão - ao contrário das outras tradições sapienciais do mundo - favorece e FAVORECEU o surgimento da ciência moderna - o que explica o seu aparecimento e cultivo na Europa, onde o domínio cultural da Igreja Católica foi absoluto durante séculos. O fato principal é que a metafísica cristã propugna que o mundo natural é cosmos, é ordem, é inteligível. Além disso, a mensagem cristã dessacraliza radicalmente o cosmos (todo o universo físico), ao enfatizar que só Deus é transcendente. E Mais. O homem é o ápice da criação e dotado de razão, o dom maior dado por Deus a ele. Tal concepção do mundo permitiu aos cristãos e somente a eles investigar, de maneira inédita, com as poderosas armas da razão, o mundo circundante, tratando-o como matéria de investigação e não objeto de temor revencial, que o cristão só deve a Deus. Assim, a conclusão fantástica: o desencantamento do mundo que Weber coloca como fato da Idade Moderna, em especial após o Iluminismo, é na verdade, a própria metafísica cristã. O mundo já estava desencatado desde a pregação de Cristo - só os propagandistas querem que acreditemos que foi conquista da razão contra a Igreja Católica. Pelo contrário, foi conquista da razão em virtude da metafísica cristã e de sua defesa pela Igreja Católica durante séculos a fio.

Um outro fato paralelo e crucial: os escolásticos são retratados como pensadores de pouco importância teórica a repetir servilmente as verdades arisotélicas. Nada mais falso. A física aristotélica depois da síntese tomista foi rejeitada pela Igreja católica em 1277. O que poderia parecer um "erro" aos olhos modernos, visto que a Igreja Católica estaria censurando a livre circulação do pensamento de Aristóteles representou na verdade um ganho a longo prazo, visto que libertou os pensadores cristãos dos equívocos da física aristotélica dando início à livre investigação do mundo físico - o que a metafísica cristã já autorizava. Em suma: o livro é um tesouro precioso para quem quer saber a verdade sobre nós, sobre a civilização ocidental.