sexta-feira, janeiro 16, 2009

Desconcentração das idéias durante a oração

Durante a oração algumas pessoas se desconcentram. Isso acontece comigo de vez em quando. Estou lá, orando e de repente surge um pensamento que não tem nada a ver com a oração e me distrai. Volto a oração e peço a Deus a graça da concentração.

É, não é fácil orar, não. Os dias de hoje são corridos, cheios de afazeres e quase sempre arrumamos desculpas para não orar o bastante.

É preciso ter um tempo certo para orar, para meditar, contemplar. Isso deve ser levado a sério por aqueles que buscam Deus. É preciso concentração para o trabalho (oração, meditação) dar certo.

No texto abaixo há algumas intruções sobre como lidar com isso.





Desconcentração das idéias durante a oração
por Teófano Hermesista

O pensamento desconcentra-se durante a leitura das orações - O que fazer? Disso ninguém está livre. Mas aí não há pecado, e sim inoportunidade. Isso torna-se pecado quando alguém desenvolve idéias inoportunas propositadamente. E quando elas fogem despropositadamente, qual é a culpa? A culpa aparece, quando alguém repara que as idéias não estão no lugar e continua a desenvolvê-las. É preciso que seja assim: quando uma idéia começa a escapar, coloque-a logo no seu devido lugar.

Para que no tempo da oração, as idéias se desconcentrem menos é preciso concentrar-se em rezar com calor; e para isso - antes de começar as orações - é preciso aquecer a alma refletindo e fazendo vênias.

Habitue-se a rezar com as suas próprias palavras. Como por exemplo, as orações da noite consistem em: agradecer a Deus pelo dia e por tudo, com que se encontrou durante o dia, de bom ou de mau. É preciso ter penitência por tudo que foi feito de mau durante o dia, pedir perdão, prometendo modificar-se no dia seguinte e pedir a Deus defesa durante o sono. Diga tudo isto a Deus do seu pensamento e do seu coração. As orações da manhã consistem em: agradecer a Deus pelo sono, pela renovação das forças e pedir-Lhe que durante o dia a ajude a fazer tudo em Sua glória. E isso diga a Ele de todo o seu coração e pensamento. E também, de manhã e à noite, diga a Deus as suas necessidades, mais as da alma, e se for preciso as exteriores, dizendo-Lhe como uma criança: - Senhor, vês a minha fraqueza e falibilidade, ajuda, e cura-me!

Tudo isso ou do gênero pode ser dito perante Deus pelas suas próprias palavras não recorrendo ao livro de oração. E isso pode ser melhor. Experimente, se der resultado, pode deixar o livro de oração, se não der, é preciso rezar com o livro, se não a oração pode acabar completamente sem sentido.

Para rezar pelo livro e se concentrar nas idéias e aquecer o coração, é preciso tempo livre - além de rezar, sente-se e medite bem sobre o conteúdo de cada oração e sinta-as. Quando começar a lê-las depois disso na oração - da manhã ou da noite - todos os sentimentos e idéias que conseguiu obter enquanto refletia, vão se renovar e aquecer o coração. Nunca leia orações apressadamente. E mais: esforce-se por aprender orações de-cór. Isso ajuda muito a não se distrair durante a oração. E é preciso aprender a rezar como a qualquer outro trabalho.

(Extraído do livro de Teófano Hermesista, “O Que é a Vida Espiritual e Como Nós Devemos Dispor dela”)