quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Quem acredita no Filho tem a vida eterna

Verbo
«Quem acredita no Filho tem a vida eterna; quem se recusa a acreditar nEle não verá a vida» (Jo 3, 36)



[Santa Catarina ouviu Deus dizer:] No último dia do julgamento, quando o Verbo, meu Filho, revestido da sua majestade, vier julgar o mundo com o seu poder divino, não virá como aquele pobre miserável que era quando nasceu do seio da Virgem, num estábulo, entre os animais; ou tal como morreu, entre dois ladrões. Então, o meu poder estava escondido nele; eu deixava-o suportar, como homem, penas e tormentos. Não que a minha natureza divina tivesse estado separada da natureza humana, mas eu deixava-o sofrer como um homem para expiar as vossas faltas. Não, não será assim que Ele virá no momento supremo: ele virá em todo o seu poder e em todo o esplendor da sua própria pessoa...


Aos justos, inspirará, ao mesmo tempo que um medo respeitoso, um grande júbilo. Não que o seu rosto mude: o seu rosto, em virtude da natureza divina, é imutável, pois ele é um só, comigo, e, em virtude da natureza humana, o seu rosto é igualmente imutável, pois assumiu a glória da ressurreição. Aos olhos dos reprovados, ele surgirá terrível, porque é com esse olhar de espanto e perturbação, que trazem dentro de si próprios, que o verão os pecadores.


Não é isso que se passa com um olho doente? No sol brilhante, nada vê além das trevas, enquanto que o olho são vê nele a luz. Não é que a luz tenha qualquer defeito; não é o sol que se modifica. O defeito está no olho cego. É assim que os reprovados verão o meu Filho nas trevas, no ódio e na confusão. Será por culpa da sua própria enfermidade, e não por culpa da minha majestade divina, com a qual o meu Filho surgirá para julgar o mundo.


Santa Catarina de Sena (1347-1380), terceira dominicana, co-padroeira da Europa.
Do livro “O Diálogo”.