sexta-feira, março 06, 2009

O que os outros falam

vida


Houve um tempo em que eu me preocupava muito com o que os outros falavam a meu respeito, com o que diziam se eu fizesse ou deixasse de fazer isso ou aquilo.

Não adianta ficar se preocupando com o que os outros pensam e falam. Cada qual tem o seu jeito de ver a vida, de entender as coisas. Se ficar magoado porque ouviu alguém falar mal sobre você (principalmente naqueles casos em que é pura malícia mesmo), é melhor procurar relevar, entender que aquela pessoa, no momento, só consegue enxergar as coisas daquela forma. Em muitos casos essa é a melhor atitude.

Cada um tem experiências que só dizem respeito a si mesmo. E isso faz com que cada um tenha uma visão sobre os acontecimentos. O meu jeito pode ser diferente do seu. Temos que nos respeitar então, para que possamos viver com um mínimo de paz.

Cada um dá o que tem. Se há pessoas que só dão maledicência, ironia e rancor, é porque só conhecem isso ou porque ainda não abriram os olhos para a beleza da vida e para sua própria beleza, já que todos foram criados por Aquele Que é Pura Beleza. Realmente há pessoas que são muito más, que perderam a Graça e nem mesmo se preocupam em recuperá-La, deixaram-se levar pela maldade. E quanto a essas é bom orar por sua transformação.

Há ainda aquelas outras que fazem juízos errados sobre o que você pensa, acredita ou faz. O que fazer nesses casos? Defender-se tentando mostrar que as coisas não são bem daquele jeito. E se não der certo? O jeito então, a meu ver, é calar-se e deixar nas mãos de Deus a resolução do problema. Um dia a verdade vem à tona.

Com o tempo, fui me tornando mais segura e consequentemente mais livre. A maledicência passou a ter menos importância para mim. Não é que hoje eu seja totalmente imune a isso, mas não me importo mais como antes. Entendi que as pessoas sempre vão falar, não importa o que eu faça, não importa o que aconteça. Cada qual com seu juízo. É o mundo, baby!

5 comentários:

  1. Oi, obrigada pela visita.

    Salve Maria Santíssima!

    ResponderExcluir
  2. Minha linda

    Concordo em tudo que disse. Sabe que hoje é mais fácil as pessoas brigarem sozinhas comigo (e eu nem fico sabendo kkkkkkkkk) do que ser algo recíproco neste sentido, justamente porque muto dos atos que nos atribuem o problema está nos olhos de quem nos atribuem.

    Excelente amiga. Meu TCC vai por esta linha também, que na filosofia chamamos de ética... É o mundo baby mas estamos, o mundo, e vários setores da sociedade necessitando (inclusive eu) de uma reflexão e banho de água fria... Filosofia, meu campo é isso minha amiga...

    Mas quanto ao que disse, és forte ao agir de acordo com que acredita e não se importar no coração com o que dizem, inclusive até amar quem não gosta de você... Isso aliás é nosso dever... Não! Melhor, eu diria é nossa vida, é o que Cristo nos ensina, é a Verdade e o correto a fazer ou mesmo dentro da filosofia: a ética.

    Grande beijo.

    Chris :)

    ResponderExcluir
  3. É, já me preocupei muito também com o que os outros pensavam de mim...Mas, graças a Deus, vamos nos amadurecendo, aceitando nós mesmos, e não se lixando mais pelo que o outro pensa...Mas ele está sempre lá, o outro, né?

    ResponderExcluir
  4. rsrsrsrsrs...Chris, essa foi boa! Muitas vezes acontece isso mesmo. As pessoas brigam com a gente, mas a gente nem sabe! rsrsrs...quando vem saber já passou!

    É problemática a questão da comunicaão, pois por mais que queiramos expressar o que pensamos ou sentimos, nem sempre conseguimos êxito, seja porque o outro não está pronto para comrepedner, seja porque nós falhamos!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. É Rodrigo, o outro está sempre lá...

    O mais difícil é largar a vontade de tentar se explicar, no caso de uma comunicação mal feita. Em alguns momentos quanto mais a gente tenta dar uma explicação para fazer o outro entender nosso ponto de vista, mais a situação piora...ah, o outro...

    ResponderExcluir

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.