quarta-feira, maio 06, 2009

Brasil de ontem e de hoje: cadê os valores?





Vejam que interessante este trecho de Gilberto Freire sobre a vida familiar no Brasil do século XIX. E observem como as coisas mudaram para pior. Os grifos são meus.

"A religião - a católica, é claro - exercia função importante na vida de família do Brasil nos meados do século XIX. A educação doméstica, isto é, a tarefa não só de educar como de instruir meninos e meninas nas casas patriarcais, tinha profundo cunho católico. As crianças aprendiam com as mães a ser piedosas, temendo a Deus Todo-Poderoso: um Deus que via tudo o que se fazia entre os homens e registrava em enorme caderno, para futuro castigo, todos os pecados de adultos e de meninos. Ouviam de mães, de avós, de mestres, histórias da Virgem Maria e de seu filhinho - o Menino-Deus - que se tornara Homem e Salvador dos Homens. Aprendiam a rezar o Padre-Nosso, o Credo, a Ave-Maria, a Salve-Maria e o catecismo. Fazia cada um orações ao levantar-se, pela manhã, e à noite, ao recolher-se. Quando iam dormir, aproximavam-se dos pais e de todas as pessoas mais velhas para receberem a benção. Pelo menos uma vez por ano, os pais levavam os filhos para o altar da Sagrada Comunhão e para a confissão. [...]"

FREYRE, Gilberto. Vida social no Brasil nos meados do século XIX. Rio de Janeiro: Global Editora, 2008. P. 93-94.

Hoje o que vemos? Quem é que ensina seus filhos a rezar? As crianças andam por aí com seus celulares, conversando com estranhos no MSN, jogando vídeo-games violentíssimos. E os pais onde estão? O que fazem? Ensinam o quê aos seus filhos? Quais os valores que estão sendo repassados às crianças de hoje? Comprar, comprar, comprar...Natal não é mais o nascimento do Senhor, mas sim esperar Papai Noel e seus presentes. Páscoa é para comer chocolate e viajar...Cadê os valores? Com as pessoas vivendo desta maneira hedonista, o que é que vai ser do futuro de nosso país?