terça-feira, maio 26, 2009

O teto abre

vida


O teto abre deixando à mostra as estrelas distantes. Mundos que começam e terminam num piscar de olhos ou num movimento de respiração.

Seres que lutam procurando sobreviver numa ânsia tremenda, sem nem mesmo saber para onde estão indo, onde estão vivendo, o que estão a fazer.

As estrelas brilham, coloridas umas, prateadas outras. O teto vai fechando, a escuridão vai cobrindo tudo. E eu só penso em dormir.