segunda-feira, janeiro 04, 2010

O amor-próprio ferido




O amor-próprio ferido é uma desgraça. Quando somos muito susceptíveis, corremos o risco de nos perder mais facilmente. Qualquer coisinha que o outro diga é motivo para choro e descontentamento, para pragas e lamentações.

É tudo fruto do orgulho, esse mau conselheiro, que nos cega a ponto de rechaçarmos as mais belas coisas e pessoas apenas porque não suportamos ouvir certas verdades. Feliz daquele que tem amigos verdadeiros (sejam colegas, familiares, marido ou filhos) e que podem conversar e conviver honestamente, sem medo de abrir o coração e colocar as dúvidas, os medos e inquietações.

É melhor viver sem medo de ouvir a verdade que liberta do que viver enganado querendo apenas ouvir o elogio que arruína a alma.
vida