quarta-feira, junho 09, 2010

Estamos preparados para a morte?

vida


“Estai preparados” — O Senhor não disse que nos preparemos ao aproximar-se a morte, mas que estejamos preparados. No transe da morte, nesse momento cheio de perturbação, é quase impossível pôr em ordem uma consciência embaraçada. Isto nos diz a razão.
(Santo Afonso de Ligório. Preparação para a morte. Pg. 52 da edição em PDF)



Tudo passa tão depressa! Ontem mesmo era o Natal e cá estamos já no meio do ano! Com não pensar que estamos caminhando? Como não pensar em que estrada nós estamos caminhando e onde esta estrada vai parar? Qual será o fim dela?

Que estrada nós escolhemos? A estreita, onde iremos parar em frente à porta igualmente estreita, por onde poucos passam? Ou estamos caminhando pela estrada larga, aquela que leva à perdição?

Como estamos nos preparando para o fim? Como estamos nos preparando para a morte? Estamos nos preparando para isso?

É difícil falar dessas coisas às vezes, porque vivemos em uma sociedade onde as pessoas não querem lembrar de que irão morrer. Estão todos muito ocupados olhando para os seus próprios umbigos ou muito dispersos tentando esquecer a “hora da verdade”, afundando-se nos bares e boates, nas mesas lautas, nas conversas fúteis, nas contendas sem sentido, no apego às vaidades... tentando a todo custo se entorpecer para não ter que pensar no que será que vai acontecer quando morrer.

Não podemos pensar que depois de passar uma vida inteira brincando, dispersando as energias em futilidades e envenenando a alma com a podridão do mundo - tentando a todo custo continuar do mesmo jeito de sempre e vociferando contra quem queira fazer diferente – se possa chegar a uma boa morte. Toda uma vida onde as graças de Deus foram jogadas fora, não pode acabar bem. Pois se passarmos a vida mentindo para nós mesmos, tentando justificar nossas ações a qualquer custo, então como iremos encarar bem a verdade no fim? Não iremos!

Precisamos agora mudar de vida. Precisamos agora, enquanto é tempo, dar ouvidos aos santos de Deus, deixar que Sua graça possa entrar verdadeiramente em nossas vidas e abandonar as mentiras. Precisamos fazer com que nossas vidas sejam verdadeiras para que no momento final tenhamos o mínimo de clareza de consciência.

Temos que nos preparar para a morte.