sexta-feira, junho 25, 2010

Os valores da estrutura moral daqueles que determinam o que você assiste

Um interessante resultado de pesquisa realizada com produtores do mundo do entretenimento nos E.U.A. Embora se refira aos produtores norte-americanos, creio que serve para nós também, pois assistimos ao que eles criam (na tevê e no cinema) e o caso aqui do Brasil não deve ser muito diferente, dado o lixo que é a programação da tevê tupiniquim.
Os grifos são meus.
***

“Os valores da estrutura moral degradada daqueles que agora determinam o que você assiste:

-Aproximadamente 73% desta turma procede tanto do corredor Boston-Washington como da Califórnia.
-Embora 93% têm uma religião de criação (59% eram judeus), 45% não declararam filiação religiosa ou crença em Deus; daqueles que disseram que retinham alguma fé religiosa, disseram que suas filiações religiosas eram nominais; 93% declararam que raramente ou nunca atendiam aos serviços religiosos.
-Aproximadamente 75% se descreveram politicamente como a "esquerda do centro" e "liberal". Estes "liberais", entretanto, são fortemente adeptos da "livre empresa", e quase todos apóiam o "sistema de economia de livre mercado".
-Aproximadamente 43% pensam que o sistema Americano de governo e a Constituição necessitam uma "completa reestruturação".
-Aproximadamente 91% são favoráveis aos direitos irrestritos ao aborto; 80% acreditam que não há nada errado ou anormal acerca da homossexualidade, com 86% apoiando o direitos dos homossexuais de ensinar nas escolas publicas. Mais de 83% pensam que casos extraconjugais estão corretos, enquanto 51% não pensam que há qualquer coisa errada com o adultério.

Acrescentando, quase todos apóiam a agenda do ambientalismo radical em um grau ou outro. Nenhuma questão foi perguntada se acreditavam que o homem era um animal doméstico, mas outras respostas revelaram que suas respostas teriam sido um retumbante "sim".

Finalmente, perguntado quais dos grupos teriam maior influência na sociedade Americana, listaram o grupo de consumidores e intelectuais no topo e religiosos no fim da lista. Dois terços acreditavam que eram sua função programar entretenimento na televisão para promover "sua" agenda social.
Relembrando por um momento aqueles algarismos do Bureau do Censo sobre a família Americana, que mostrava na forma estatística o colapso da família. Não pode você ver a correlação entre aqueles números e os valores degenerados dos programadores da televisão?

Um produtor foi perguntado por um entrevistador como escolhia o que estava nos seus programas. "Eu penso na audiência constantemente", replicava. Mas quando perguntado para elaborar sobre como sabe o que agradaria, replicava, "Eu penso de mim mesmo como a audiência. Se me der prazer - eu invariavelmente penso que irá dar prazer a audiência".

Os autores de "América assistindo TV", que entrevistaram numerosos produtores, concordam com a conclusão "O que você vê em qualquer programa de televisão reflete a moral e a consciência das pessoas para os quais programas têm influência*"."


(Trecho do livro “Desligue sua televisão”, de Loonie Wolfe. Pg. 29, 30)
_____________________________________
Nota:
* Acho que a frase ficou truncada ou mal traduzida. Entendi que os programas refletem a mentalidade, a moral e as crenças dos seus produtores.