sexta-feira, agosto 06, 2010

Deves abster-te de considerar quadros menos decentes


“Deves também abster-te de considerar quadros menos decentes. São Carlos Borromeu proibiu a todos os pais de família conservarem tais quadros em suas casas. Deves igualmente evitar a leitura de maus livros, revistas e jornais, e não só dos que tratam ostensivamente de coisas imorais, como também dos que tratam de histórias insinuantes, como certos poetas e romancistas.


Vós, pais de famílias, proibi a vossos filhos a leitura de romances: estes causam muitas vezes maiores danos que os livros propriamente imorais, porque deixam nos corações dos jovens certas más impressões que lhes roubam a devoção e os induzem ao pecado. São Boaventura diz (De inst. nov., p. 1 , c. 14): 'Leituras vãs produzem pensamentos vãos e destroem a devoção'. Dai a vossos filhos livros espirituais, como a história eclesiástica, ou vidas de santos e semelhantes”.

Santo Afonso Maria de Ligório



Sábias palavras dos santos sobre o perigo da exposição a ocasiões próximas de pecado.

Deus nos chama a sermos santos. Temos que viver de tal forma que estejamos sempre atentos a este chamado, sempre buscando, com todo o coração, fazer a vontade de Deus. Sendo assim, creio que está mais do que na hora de nós católicos repensarmos certos divertimentos, certas brincadeiras, leituras, conversas, certos lugares, filmes e programas.

“O Espírito Santo diz: 'Quem ama o perigo nele perecerá' (Ecli 3, 27). Segundo S. Tomás, a razão disso é que Deus nos abandona no perigo quando a ele nos expomos deliberadamente ou dele não nos afastamos. São Bernardino de Siena diz que dentre todos os conselhos de Jesus Cristo, o mais importante e como que a base de toda a religião, é aquele pelo qual nos recomenda a fuga da ocasião de pecado.

O quanto nós estamos nos expondo a ocasiões perigosas vendo televisão indiscriminadamente, lendo certas revistas e livros, frequentando certos lugares? Hoje é até difícil tocar nestes assuntos, porque o relativismo é tão grande que parece mesmo ter tomado as almas de muitos católicos que preferem dar ouvidos a falsas doutrinas do que a sabedoria dos Céus. Acham que os santos estão ultrapassados e que hoje em dia tudo mudou, que as coisas são diferentes e que por isso os conselhos dos antigos já não tem mais tanto valor. Ouço este tipo de coisa com receio crescente. E tenho medo por mim também, por isso busco meditar para descobrir o quanto estou sendo insensata.

Também temos que nos lembrar de nossa responsabilidade perante os outros, não somente com relação a nós mesmos. Temos que pensar se não estamos dando mau exemplo, se não estamos nos expondo a ocasiões de risco para nossas almas e facilitando este mesmo caminho de perdição para o próximo, quando damos chance de certas imagens e palavras entrarem em nossas casas, em nossas mentes e corações.

Pensemos nisso com seriedade.

_____________________________________________
Trechos citados extraídos de: Santo Afonso Maria de Ligório, Escola da Perfeição Cristã, Compilação de textos do Santo Doutor pelo padre Saint-Omer, CSSR, IV Edição, Editora Vozes, Petrópolis: 1955, páginas 44-48.