segunda-feira, agosto 30, 2010

Nem todo sofrimento é santo




“Lembre-se de que tanto o bom ladrão e quanto o mau ladrão foram cruxificados. Mal comparando, nem todos tiveram ou têm suas cruzes por motivos ou intenções santas. A perseguição só é santa e cristã quando acontece em razão da Fé de alguém que pelo menos profere integralmente o depósito da Fé.”

(Comentário de Antonio no "Deus Lo Vult")



Quando eu li este comentário acima, imediatamente me lembrei de certas pessoas que adoram colocar seus ídolos como se fossem santos porque sofreram. Ora, sofrer todo mundo sofre! Não quer dizer que isso seja emblema de santidade. Há aqueles que sofrem simplesmente porque não conseguem convencer outros de suas próprias idéias e convicções. Então acham que são perseguidos. Muitas vezes são pessoas que crêem no que pregam e não vendo o erro acreditam que combate suas idéias está fazendo perseguição. E já se acham mártires!

Quantas vezes eu me deparei com pessoas assim! Gente que achava que pessoas como eu, por exemplo, que contestavam suas crenças, eram verdugos cruéis e perseguidores. Não conseguiam compreender que as pessoas pensam de forma diferente, que pode existir vida além das crenças delas. Não conseguiam enxergar a contradição na qual viviam. Elas diziam buscar a verdade, mas quando contestadas julgavam estar sendo perseguidas e não buscavam compreender o argumento do opositor. Uma vez um deles me disse que não leu nada do que eu escrevi em um e-mail, porque era “coisa de teólogos” e que ele não daria atenção àquilo. Como levar a sério gente assim? Não dá. Depois sai dizendo que foi perseguido, que quem o contestou é um intolerante, um fanático, etc. Quanta ilusão e quanto medo da verdade!

Seria muito bom se as pessoas parassem para ouvir o oponente em um debate. Realmente. Porque é muito fácil continuar com as mesmas idéias e dizer que rebateu os argumentos contrários quando na verdade passou por cima da discussão se fazendo de vítima e cego pela própria crença. Eu sempre digo a essas pessoas: estude, leia, tente refutar isso e isso aqui... mas elas fogem sempre! Dizem algo como “cada um tem seu caminho” “não há verdade absoluta” (e não percebem a contradição na qual caem ao afirmar isso) ou simplesmente dizem que não vão ler porque é coisa de católico. E pronto, acabou-se o debate. Cadê a honestidade? Cadê a busca pela verdade? Não há. É triste isso. E depois se acham os mártires! Os perseguidos! Mas deveriam lembrar que não somente o bom ladrão foi crucificado: o mau ladrão também foi.