sexta-feira, novembro 19, 2010

Uma alma e uma eternidade



“[Dizia] Santa Teresa [a] suas religiosas: “Minhas irmãs, uma alma e uma eternidade”; o que quer dizer: há uma alma, e perdida esta, tudo está perdido; há uma eternidade, e a alma, uma vez perdida, para sempre o será. Por isso, David suplicava a Deus, e dizia: Senhor, uma só coisa vos peço: salvai-me a alma, e nada mais quero (Sl 26,4).” *



Ah como eu me entristeço ao ver a ilusão dos que estão certos de que terão muitas vidas para resolver suas pendengas, para “evoluir” espiritualmente!

Percebo que eles não pararam para pensar com seriedade no sentido da vida, não pararam com seriedade para considerar que talvez aquilo no qual acreditam esteja errado, que talvez exista sim uma eternidade e uma só vida...

Há um orgulho muito grande que impede que essas pessoas acordem. Elas não querem ser vistas como “seres atrasados” que acreditam em “coisas medievais”... elas querem ser muito iluminadas, muito “evoluídas” e desprezam, muitas vezes com arrogância, aqueles que julgam estar no erro, que julgam serem pessoas que vivem na “infância espiritual”.

É interessante como elas não se dão conta do quanto são arrogantes, pois na realidade nenhuma parou para avaliar se aquele sistema que defende é assim tão seguro. Nenhuma parou com sinceridade para se perguntar se está errada, se o outro – o cristão – pode estar certo no fim das contas. É mais fácil se colocar numa posição de (falsa) superioridade e olhar para os “beatos” como coitadinhos ou como seres odiosos, quando estes os desafiam em suas crenças errôneas.

Elas elogiam os cristãos que – apostatando – dão razão às suas loucuras e que vivem de mãozinhas dadas repetindo que tudo é lindo, que todos são irmãos, que todas as religiões salvam, enfim, elas adoram quando uma padre ou um leigo qualquer valoriza a sua pseudo-doutrina ou valoriza algum de seus baluartes... mas não suportam a crítica, não abaixam a cabeça pedindo a Deus para mostrar se elas estão mesmo certas ou se, por um acaso, elas estão no caminho errado.

Enquanto não houver o mínimo de humildade elas continuarão a pensar que são superiores, que vão se elevar a mundos superiores e que nós cristãos somos uns idiotas fanáticos ou idiotas úteis (no caso dos apóstatas que dão ouvidos a tais falsas doutrinas). Enquanto elas não pararem de olhar para o próprio umbigo e não se dispuserem a estudar seriamente as objeções que são levantadas contra as suas crenças (como eu e muitos cristãos que conheço fizemos) seguirão de cabeça erguida talvez já pensando que estão a criar asas... Mas quem caminha de nariz em pé termina caindo no buraco.

__________________________
*(Santo Afonso de Ligório. Preparação para a morte.
Edição PDF. Página 126)