terça-feira, agosto 31, 2010

Catecismo Romano



Adquiri recentemente o Catecismo Romano. estou lendo e adorando! É um catecismo maravilhoso, onde a doutrina católica é explicada de forma simples e clara. É tão bom esse catecismo que ao passo em que vou lendo já vou meditando!


Você pode comprá-lo aqui ou baixá-lo aqui.


Eu recomendo vivamente esta leitura!

segunda-feira, agosto 30, 2010

Nem todo sofrimento é santo




“Lembre-se de que tanto o bom ladrão e quanto o mau ladrão foram cruxificados. Mal comparando, nem todos tiveram ou têm suas cruzes por motivos ou intenções santas. A perseguição só é santa e cristã quando acontece em razão da Fé de alguém que pelo menos profere integralmente o depósito da Fé.”

(Comentário de Antonio no "Deus Lo Vult")



Quando eu li este comentário acima, imediatamente me lembrei de certas pessoas que adoram colocar seus ídolos como se fossem santos porque sofreram. Ora, sofrer todo mundo sofre! Não quer dizer que isso seja emblema de santidade. Há aqueles que sofrem simplesmente porque não conseguem convencer outros de suas próprias idéias e convicções. Então acham que são perseguidos. Muitas vezes são pessoas que crêem no que pregam e não vendo o erro acreditam que combate suas idéias está fazendo perseguição. E já se acham mártires!

Quantas vezes eu me deparei com pessoas assim! Gente que achava que pessoas como eu, por exemplo, que contestavam suas crenças, eram verdugos cruéis e perseguidores. Não conseguiam compreender que as pessoas pensam de forma diferente, que pode existir vida além das crenças delas. Não conseguiam enxergar a contradição na qual viviam. Elas diziam buscar a verdade, mas quando contestadas julgavam estar sendo perseguidas e não buscavam compreender o argumento do opositor. Uma vez um deles me disse que não leu nada do que eu escrevi em um e-mail, porque era “coisa de teólogos” e que ele não daria atenção àquilo. Como levar a sério gente assim? Não dá. Depois sai dizendo que foi perseguido, que quem o contestou é um intolerante, um fanático, etc. Quanta ilusão e quanto medo da verdade!

Seria muito bom se as pessoas parassem para ouvir o oponente em um debate. Realmente. Porque é muito fácil continuar com as mesmas idéias e dizer que rebateu os argumentos contrários quando na verdade passou por cima da discussão se fazendo de vítima e cego pela própria crença. Eu sempre digo a essas pessoas: estude, leia, tente refutar isso e isso aqui... mas elas fogem sempre! Dizem algo como “cada um tem seu caminho” “não há verdade absoluta” (e não percebem a contradição na qual caem ao afirmar isso) ou simplesmente dizem que não vão ler porque é coisa de católico. E pronto, acabou-se o debate. Cadê a honestidade? Cadê a busca pela verdade? Não há. É triste isso. E depois se acham os mártires! Os perseguidos! Mas deveriam lembrar que não somente o bom ladrão foi crucificado: o mau ladrão também foi.

sábado, agosto 28, 2010

Nova livraria católica: Livraria Tradição



Nova livraria católica na praça! É a Livraria Tradição.
Ela traz livros nacionais e importados sobre Apologética, Espiritualidade, História da Igreja, Magistério, Patrística, Vida cristã, Vida de Santos, família e até mesmo modéstia!
Visitando o site vi com satisfação que eles disponibilizam ótimos livros e inclusive o livro Dressing With Dignity, de Collenn Hammond, um livro muito importante para quem quer saber sobre modéstia! Eu já li e recomendo.

Fica aí a dica!

sexta-feira, agosto 27, 2010

Satanás não se importa



“Satanás não se importa de maneira alguma se as pessoas resolvem seguir essa ou aquela peregrinação, orar mais e até se sentirem mais tocadas emocionalmente em relação a Deus ou à Virgem Maria, pelo contrário, ele até ajuda com os bilhetes do avião, desde que tudo isso contribua de algum modo para levá-los direto para o inferno no final das contas.”



Eu não me lembro de onde tirei este trecho, mas ele me chamou a atenção porque fez com que eu me lembrasse de certos grupos e pessoas que pensam estar vivendo verdadeiramente uma vida espiritual, mas que na realidade podem simplesmente estar sendo vítimas do Maligno.

Vejo por aí gente que acha que conversa com Nossa Senhora, gente que acha que manda no Espírito Santo dizendo quando, onde e como Ele deve se manifestar*, gente abrindo a Bíblia para fazer adivinhação, gente se achando muito “evoluída espiritualmente” porque os “anjos” lhes enviam cartas, etc. É um festival de loucuras que acontece hoje em dia e o pior de tudo é que se você ousar contradizer o iludido vai ser rechaçado como pobre coitado, atrasado espiritual, pessoa sem fé, entre outros títulos bem menos honrosos.

Vivemos mesmo tempos muito difíceis, vivemos uma crise tremenda no mundo inteiro, e até mesmo dentro da Igreja. A Igreja é Santa porque é o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas os católicos são seres humanos: acertam e erram também. E num mundo tão conturbado, a crise está violenta! Em meio a tanta confusão há os que se fecham em seus esquemas, em seus grupos achando terem encontrado a salvação. Confiam em pseudo-mestres, em “mensagens do além”, em falsas aparições, em qualquer coisa que as faça pensar que são especiais, que estão no caminho certo. Mas elas não buscam realmente se certificar de que estão no caminho certo. E isso é muito perigoso!

Como disse o autor do texto que citei acima, Satanás não se importa em como você possa se perder, contanto que se perca. E devemos sempre nos lembrar de uma coisa: o Demônio conhece muito bem as Escrituras, portanto citar a Bíblia e falar palavras belas não prova nada.


____________________________________

* Já estive em reunião onde uma pessoa dizia assim: “quem quiser orar em línguas, ore”. Ora bolas, dom de línguas é coisa do Espírito Santo e Ele concede a quem Ele quer e na hora que Ele quer! Essa história de dom de línguas já me cansou há muito tempo! Eu vejo é um monte de gente desequilibrada balbuciando coisas como se estivessem bêbadas e dizendo que é Deus quem está falando. Ora essa, elas querem enganar a quem? Quando é que essa gente vai acordar e passar a ser humilde? Será que não percebem que estão sendo levadas pelo espírito do orgulho? Será que não percebem que o fato de pensar que são eleitas é enganação demoníaca? Só Deus sabe quem são os eleitos e Ele não revela essas coisas assim. Mas elas acham que são eleitas e olham com pena quem não vive como elas: caindo no chão, recebendo mensagens “inspiradas” e balbuciando coisas desconexas. Quanta ilusão!

quinta-feira, agosto 26, 2010

Editora Sétimo Selo

vida

Uma editora muito boa, que edita livros da melhor qualidade, com boas traduções é a Editora Sétimo Selo. E esta editora está precisando muito da ajuda dos católicos, pois passa por dificuldades. Sabem como é, livros de quinta categoria vendem como água, mas os bons livros mesmo muitas vezes ficam parados nas prateleiras. E uma editora como a Sétimo Selo é uma grande iniciativa, como eles mesmos dizem em sua página:

“A Sétimo Selo Editora dá início à sua atuação no mercado editorial brasileiro com o propósito de trazer a público grandes obras da filosofia medieval cristã, às quais o leitor de nosso país — destacadamente o universitário — teve escasso ou nenhum acesso, até os dias de hoje. O critério para a escolha dos títulos se baseará sempre na qualidade, importância e raridade das obras.

O propósito da Sétimo Selo é dar a conhecer ao leitor brasileiro obras de alguns dos mais importantes autores da história da filosofia, em acuradas edições bilíngües, assim como estudos recentes sobre esses autores e o rico período para o pensamento ocidental que foi a Idade Média.”

Acessem a livraria e adquiram algum exemplar:
São livros muito bons e que fazem um bem enorme à formação do católico!

segunda-feira, agosto 23, 2010

O Beber Virtuoso e o Vicioso

Por Roger Scruton
Traduzido por Andrea Patrícia




As preocupações atuais sobre o “binge drinking” - pelo qual se entende o hábito de beber grandes quantidades de álcool com a intenção de ficar bêbado sem o benefício de melhorar a conversa - puseram em relevo a grande diferença entre o beber virtuoso e vicioso.

Nossa herança puritana, que vê o prazer como a porta de entrada para o vício, torna difícil para muitas pessoas entender essa diferença. Se a embriaguez é causada pelo álcool, eles pensam, então a única questão moral diz respeito a se se deve beber, e em caso afirmativo quanto.

No entanto, o que Aristóteles disse sobre a raiva é igualmente aplicável ao consumo de álcool. Não é correto evitar a ira absolutamente: é preciso adquirir o hábito correto - em outras palavras, educar a nós mesmos a sentir a quantidade certa de ira pela pessoa certa, no momento certo e pelo período certo de tempo. O mesmo vale para beber. Não é apenas a quantidade certa que é importante, mas o contexto certo, a companhia certa, e a bebida certa.

Utilizado corretamente, o álcool é um estímulo para a conversa, um solvente para o constrangimento e um lembrete de que a vida é uma bênção, e as outras pessoas também. Existe uma linha fina entre o estado benevolente e perspicaz da mente e o sentimentalismo falso no qual bebedores incautos caem tão facilmente. E o antigo provérbio in vino veritas é tão falso para a embriaguez quanto é válido para os primeiros movimentos nesse sentido. Declarações bêbadas de paixão são infectadas por uma falsidade perigosa, e são fruto do beber vicioso.

Aqui, então, está a minha receita para um beber virtuoso. Primeiro cercar-se dos amigos. Então servir algo que é intrinsecamente interessante: um vinho com raízes em um “terroir”, que chega a você de algum lugar preferido, que convida à discussão e exploração, e que desvia a atenção de suas próprias sensações e concede-o em vez do mundo. Partilhe cada memória, cada imagem e cada idéia com a companhia; esforce-se por um afeto sincero e descontraído, e mais que tudo, pense nos outros e esqueça de si mesmo.

Infelizmente, tais ocasiões necessitam de organização. A questão urgente, portanto, é como beber virtuosamente enquanto se está sozinho. Um conselho foi dado pelo grande poeta chinês Li Po (701-762)*:


Um copo de vinho, debaixo das árvores floridas;
Eu bebo sozinho, nenhum amigo está por perto.
Levantando meu copo eu aceno para a lua brilhante,
Ela, com a minha sombra, fazem três homens.

A lua brilha agora através da minha janela escura, e eu levanto um copo de Mâcon Solutré - que tem a branca simplicidade engomada do luar em si – para a minha sombra no chão.


_____________________________________
*Tradução livre. O poema em inglês diz “He”, para a lua. Enquanto em língua portuguesa o substantivo lua é considerado feminino.


sexta-feira, agosto 20, 2010

Leituras vãs produzem pensamentos vãos e destroem a devoção


“Leituras vãs produzem pensamentos vãos e destroem a devoção. Dai a vossos filhos livros espirituais, como a história eclesiástica, ou vidas de santos e semelhantes”.
(São Boaventura. De inst. nov., p. 1 , c. 14)



Alguns pais se perguntam sobre o porquê de seus filhos não gostarem da oração, não freqüentarem a igreja, viverem na gandaia, não terem responsabilidade, serem “eternos adolescentes”, não terem respeito por eles nem por ninguém. Mas será que esses pais souberam dar o exemplo?

Quais as leituras, quais os programas, quais as atividades que os pais desenvolveram no lar, em frente aos filhos? Será que os filhos não deixaram de lado a oração por verem que seus pais não oram? Será que os filhos preferiram uma vida afastada da oração e dos sacramentos porque foram afrouxados ao passar horas em frente à televisão assistindo a programas repletos de leviandades? ao lerem livros de gosto duvidoso e com ofensas a fé, com imoralidades, com incentivo à busca desenfreada por emoções perigosas?

Que tipos de livros os pais estão deixando nas mãos de seus filhos? Que tipo de programas os pais estão deixando que seus filhos assistam?

Como os pais querem que seus filhos tenham devoção se eles não dão o exemplo, se eles enchem a casa com o som de programas sensacionalistas, com imagens indecentes, com conversas levianas? Se eles se vestem com imodéstia e deixam que os filhos se vistam com qualquer trapo, apenas porque está na moda e não querem que a criança seja rejeitada pelos coleguinhas? Como os pais se preocupam tanto com o que os outros vão dizer e não se preocupam com o que Deus está pensando deles?

Leituras vãs – e ouso dizer: outras atividades vãs – produzem pensamentos vãos e destroem a devoção, já dizia São Boaventura. E os pais, será que darão ouvidos ao santo? Ou será que acham que os conselhos dos santos são coisas ultrapassadas? É claro que se forem honestos darão ouvidos aos grandes santos e buscarão mudar de atitude tendo mais cuidado com o que deixam aparecer nas telas da tevê e nas estantes da casa.

quarta-feira, agosto 18, 2010

A paz reinante no fundo do oceano



“Porque eu creio ser Jesus Cristo Deus o que nos criou, creio ter Ele fundado a Igreja tal qual dela necessitam os homens. O que Deus me deu por Sua Igreja é difícil de exprimir por palavras. Ele mesmo disse que nos dá Sua paz, mas que essa paz não é a que o mundo nos dá, é de outra espécie.

Pode-se compará-la talvez à paz reinante no fundo do oceano. Tempestade ou bom tempo na superfície não influem sobre essa paz. É a experiência prática da existência do reino de Deus dentro de nós ainda que cercado pelo eu inquieto de cada um, metade real, metade ilusão..”


Sigrid Undset

____________________________________
(Convertidos do Século XX. Segunda Série. Editora Agir: Rio de Janeiro, 1967)

segunda-feira, agosto 16, 2010

Porque a verdade atrai o ódio?




“Porque a verdade atrai o ódio? Porque o Seu Servo é tratado como inimigo por aqueles a quem Ele prega a verdade? Simplesmente porque a verdade é amada de tal modo que aqueles que amam outras coisas querem que essas coisas sejam a verdade e, precisamente porque eles não desejam ser enganados são reticentes em se deixarem convencer que estão enganados”.
(Santo Agostinho - Confissões).



Como é difícil discutir com quem pensa que sua (pseudo)doutrina é a mais pura verdade! Como é difícil lidar com as fugas das pessoas que se aferram aos seus esquemas pseudo-científicos, pseudo-espirituais, pseudo-religiosos!

Às vezes parece que não adianta repetir “busque a verdade” “veja bem, isso pode ser falso” “esta crença pode não ser a correta”... O outro nos vê como se estivéssemos loucos ou como se fôssemos bobos. Alguns já estão muito cristalizados em esquemas progressistas e não conseguem admitir que um cristão pode estar falando a verdade, pois para eles os cristãos são seres “atrasados” que vivem em uma espécie de “infância espiritual”. Que tristeza! O orgulho é tanto que eles não conseguem abrir os olhos, não conseguem perceber as mentiras na qual estão enredados até o pescoço!

Quanto tempo mais? Quanto tempo esperar? Às vezes se avizinha o desânimo, mas nós não podemos desistir! Nossas armas são a oração e a paciência.

Que Deus nos ajude, que o Espírito Santo toque estes corações endurecidos, que Nossa Senhora rogue por todos nós!

sexta-feira, agosto 13, 2010

Para onde fugirás?


"Ó mortal, quando compareceres diante do criador para seres julgado, tu te encontrarás diante de um Juiz cheio de indignação, os teus pecados te acusarão; os demônios estarão prontos a executar a sentença; dentro de ti mesmo terás a consciência que te agita e te atormenta; e a teus pés o Inferno estará aberto para engolir-te.Em tal aflição, para onde irás, para onde fugirás?". (Santo Agostinho)



Esta citação do grande Santo Agostinho é ótima para ser lembrada naqueles momentos em que as pessoas, o mundo, nossos vícios ou Satanás tentam nos empurrar para a satisfação das paixões, para o afastamento do cuidado das coisas de Deus (Missa, oração, leituras piedosas...).

Quando você for tentado, por quem quer que seja, lembre-se que no dia do Juízo não haverá para onde correr. Lembre-se de que na hora do encontro com Deus, talvez a única advogada de defesa seja Maria Santíssima. Mas como obter os favores de tão santa advogada se não se lembra dela no dia a dia, se não se reza a Ave Maria, se não se faz o Terço, se busca os prazeres impuros? Com tanta infidelidade, porque ela haveria de ser fiel a um súdito tão relapso?

Podemos passar a vida longe das coisas de Deus, brincando, dançando, comendo e bebendo, mas a hora da verdade chega para todo mundo.

E você, está pronto para isso?

quarta-feira, agosto 11, 2010

Catecismo sobre a oração


Por São João Maria Vianney



«Até agora, ainda não pedistes nada. Pedi e recebereis; assim sereis cumulados de alegria».

“Vede, meus filhos: o tesouro do cristão não está na terra, mas no Céu. (Mt. 6, 20). Pois bem! O nosso pensamento deve estar onde está o nosso tesouro. O homem tem a bela função de rezar e amar. Vós rezais, e amais: eis a felicidade do homem sobre a terra.

A oração, outra coisa não é senão uma união com Deus. Quando se tem o coração puro e unido a Deus, sente-se um bálsamo, uma doçura que inebria, uma luz que encandeia, atrai, seduz. Nesta íntima união, Deus e a alma são como dois pedaços de cera fundidos entre si; jamais se podem separar. É uma coisa muito bela esta união de Deus com a Sua pequena criatura. É uma felicidade que não se pode compreender. Nós não éramos dignos de rezar, mas Deus, na Sua bondade, permitiu que Lhe falássemos. A nossa oração é um incenso que Deus recebe com um extremo, imenso prazer.

Meus filhos, vós tendes um coração pequeno, mas a oração dilata-o e torna-o capaz de amar a Deus. A oração é um ante gozo do Céu, um fluxo do paraíso. Ela nunca nos deixa sem doçura. É um mel que desliza pela alma e tudo dulcifica. Os sofrimentos, as dores derretem-se diante de uma oração bem feita, como a neve diante do sol”.

(São João Maria Vianney, Catecismo sobre a oração)

segunda-feira, agosto 09, 2010

São João da Cruz sobre ditas revelações pessoais


"E eu temo muitíssimo pelo que está acontecendo nesses nossos tempos: se qualquer alma, seja lá qual for, depois de um pouquinho de meditação, tiver em suas recordações uma dessas locuções, e imediatamente "batizá-las" como vindas de Deus e com tal suposição disser: "Deus me disse", "Deus me respondeu". Ainda que não seja exatamente assim, mas, como já dissemos, essas pessoas são freqüentemente os autores de suas próprias locuções".
(São João da Cruz- A Subida do Monte Carmelo).

"Através do desejo de aceitá-las, eles abrem as portas para o demônio. O demônio pode então enganá-los usando outras comunicações espertamente fingidas e disfarçadas como genuínas. Nas palavras do Apóstolo, ele pode transformar-se em "anjo de luz" (II Cor. 11:14)... Independentemente da causa dessas apreensões, é sempre bom para um homem rejeitá-las de olhos fechados. Se ele fracassa em assim fazer, ele acabará por dar espaço para aquelas que tem origem diabólica e dará poder ao demônio para que se aposse de suas próprias comunicações. E não é só isso, as representações diabólicas se multiplicarão enquanto aquelas que vem de Deus gradualmente cessarão, de forma que dali a pouco todas virão do demônio e nenhuma delas de Deus. Isso tem ocorrido com muitos incautos e não-instruídos".
(São João da Cruz)


De fato, Nosso Senhor Jesus Cristo adverte a Igreja dos perigos de aceitar de cara supostos milagres: Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres e prodígios a ponto de seduzir se isto fosse possível até mesmo os escolhidos. (Mt. 24,24)


Mais estarrecedor ainda é sua advertência: "Nem todo aquele que me diz Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade do meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não pregamos nós em vosso nome, e não foi em vosso nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres? E, no entanto, eu lhes direi: nunca vos conheci. Retirai-vos de mim, operários maus!" (Mt. 7,21-23). (1)
***
O que dizer das pessoas que alegam receber mensagens dos anjos, mensagens de Deus? O que dizer das pessoas que abrem a Bíblia como se fosse um baralho de Tarô e se põem a “profetizar”, se põem a dizer que Deus enviou tal ou qual mensagem para tal ou qual pessoa ou grupo?

Onde foi parar a prudência? Onde o temor de estar sendo enganado? Porque tanta confiança em ditas revelações pessoais? Isso é coisa de Deus?

Quem tiver olhos de ver que veja.


_____________________________________
(1) Trechos extraídos do site Permanência

sexta-feira, agosto 06, 2010

Deves abster-te de considerar quadros menos decentes


“Deves também abster-te de considerar quadros menos decentes. São Carlos Borromeu proibiu a todos os pais de família conservarem tais quadros em suas casas. Deves igualmente evitar a leitura de maus livros, revistas e jornais, e não só dos que tratam ostensivamente de coisas imorais, como também dos que tratam de histórias insinuantes, como certos poetas e romancistas.


Vós, pais de famílias, proibi a vossos filhos a leitura de romances: estes causam muitas vezes maiores danos que os livros propriamente imorais, porque deixam nos corações dos jovens certas más impressões que lhes roubam a devoção e os induzem ao pecado. São Boaventura diz (De inst. nov., p. 1 , c. 14): 'Leituras vãs produzem pensamentos vãos e destroem a devoção'. Dai a vossos filhos livros espirituais, como a história eclesiástica, ou vidas de santos e semelhantes”.

Santo Afonso Maria de Ligório



Sábias palavras dos santos sobre o perigo da exposição a ocasiões próximas de pecado.

Deus nos chama a sermos santos. Temos que viver de tal forma que estejamos sempre atentos a este chamado, sempre buscando, com todo o coração, fazer a vontade de Deus. Sendo assim, creio que está mais do que na hora de nós católicos repensarmos certos divertimentos, certas brincadeiras, leituras, conversas, certos lugares, filmes e programas.

“O Espírito Santo diz: 'Quem ama o perigo nele perecerá' (Ecli 3, 27). Segundo S. Tomás, a razão disso é que Deus nos abandona no perigo quando a ele nos expomos deliberadamente ou dele não nos afastamos. São Bernardino de Siena diz que dentre todos os conselhos de Jesus Cristo, o mais importante e como que a base de toda a religião, é aquele pelo qual nos recomenda a fuga da ocasião de pecado.

O quanto nós estamos nos expondo a ocasiões perigosas vendo televisão indiscriminadamente, lendo certas revistas e livros, frequentando certos lugares? Hoje é até difícil tocar nestes assuntos, porque o relativismo é tão grande que parece mesmo ter tomado as almas de muitos católicos que preferem dar ouvidos a falsas doutrinas do que a sabedoria dos Céus. Acham que os santos estão ultrapassados e que hoje em dia tudo mudou, que as coisas são diferentes e que por isso os conselhos dos antigos já não tem mais tanto valor. Ouço este tipo de coisa com receio crescente. E tenho medo por mim também, por isso busco meditar para descobrir o quanto estou sendo insensata.

Também temos que nos lembrar de nossa responsabilidade perante os outros, não somente com relação a nós mesmos. Temos que pensar se não estamos dando mau exemplo, se não estamos nos expondo a ocasiões de risco para nossas almas e facilitando este mesmo caminho de perdição para o próximo, quando damos chance de certas imagens e palavras entrarem em nossas casas, em nossas mentes e corações.

Pensemos nisso com seriedade.

_____________________________________________
Trechos citados extraídos de: Santo Afonso Maria de Ligório, Escola da Perfeição Cristã, Compilação de textos do Santo Doutor pelo padre Saint-Omer, CSSR, IV Edição, Editora Vozes, Petrópolis: 1955, páginas 44-48.

segunda-feira, agosto 02, 2010

Quando o parque de diversões ajuda a transcender


As cores alegres de uma tarde no parque de diversões* elevam a minha mente até o Paraíso. As belezas das cores e das luzes, da alegria e do riso das crianças, a doçura experimentada na maçã do amor ou no algodão doce, tudo isso faz lembrar o que há mais além.



O que poderia ser uma simples imagem, um simples dia de diversão torna-se um meio de contemplar as belezas da criação e de transcender. Quando há alegria, riso, amor e diversão há que se pensar de onde veio tudo isso. Veio de algum lugar, brota de uma fonte onde toda a luz, todo o bom perfume, todo o sabor doce está presente em grau máximo.




A roda gigante que nos leva até o alto dá apenas um gostinho do que pode ser chegar lá em cima. O azul do céu em seus mais variados matizes é uma pálida amostra do azul perfeitíssimo. O branco das nuvens, uma singela lembrança da pureza infinita. O colorido dos brinquedos, um pequeno pedaço da harmonia existente no Ser que É.


Como não se alegrar numa bela tarde como a que aparece nas imagens? Como não pensar que tudo de bom que vivemos é apenas um reflexo mínimo da Perfeição Celeste? Contemplar com retidão as belezas deste mundo faz com que aspiremos por chegar ao lugar da suprema beleza: o Paraíso!




________________________________
*Aqui eu me remeto apenas aos parques de diversões mais simples, onde a maior emoção é andar na roda gigante, só isso. Sem aqueles brinquedos ruins que deixam a alma agitada, que embrulham o estômago.