quinta-feira, março 31, 2011

Nem tentações, nem pensamentos: os maus consentimentos

vida
“Nenhuma luta interior ou perturbação, vindas do demônio ou da fraqueza da nossa carne, constituem pecado; nem por si mesmas ofendem o Criador, a não ser que haja ato da vontade consentindo nos sentimentos do coração. Mas o servidor fiel, isto é, o iluminado pela fé, até colhe muitos frutos no tempo dessas lutas espirituais. Bem alicerçado, afasta-se do egoísmo mercenário e forma-se um coração livre com amor desinteressado. No tempo das tentações, o servidor fiel trava uma grande batalha contra si mesmo e age com paciência. Sempre se alegra por estar continuamente lutando por Cristo crucificado e por estar crescendo no amor, ciente de que sua boa vontade não tem origem em si mesmo, mas na eterna bondade de Deus mediante a graça, sem nenhum merecimento pessoal”.

(Santa Catarina de Sena, Carta 62. Ed. Paulus)


“Não são os maus pensamentos que fazem perder a Deus, mas sim os maus consentimentos. Por fortes que sejam as tentações do demônio, por mais vivas que sejam as imaginações impuras, assaltando o nosso espírito, se nós não as queremos, não mancham a alma, mas a tornam mais pura, mais forte e mais querida de Deus”.

(Santo Afonso de Ligório, A prática do amor a Jesus Cristo. Ed. Santuário)