quinta-feira, julho 21, 2011

Não é possível a harmonia entre a luz e as trevas


Nesses tempos de falso ecumenismo, de liberalismo e modernismo não é incomum encontrar católicos que defendem os valores mundanos como se fosse possível servir a Deus e ao mundo ao mesmo tempo. Pensam que podem evangelizar no Carnaval, que não há problema em frequentar boates e outros lugares promíscuos, que está tudo bem em seguir as modas indecentes, pois "o que importa é o que está no coração". Essa conversinha melosa e pseudo-piedosa já me cansou há muito tempo. 

Há os que pensam que viveremos a partir de determinada época uma vida de paz na Terra, sem mais problemas... quantos serão os católicos milenaristas? Não sei. Mas acreditam em ilusões propagadas por falsos profetas.

Quantos são os católicos que pensam que a solução é o socialismo? Outros tantos pensam que o liberalismo é o melhor, todos eles achando que assim, agradando ao mundo, poderão engrossar as fileiras do catolicismo e fazer justiça ...pura confusão.

Muitos são hoje os católicos que pensam fazer o bem ao se juntarem em oração aos protestantes e espíritas, mascarando as verdades da Igreja para poder viver unidos pela paz mundial, pensando que assim poderão convertê-los... Quanta ilusão e pecado!

Vejam o que diz o grande papa, o santo, Pio X sobre tais sonhos de união com as coisas do mundo:

“Estão, pois, muito equivocados os que acreditam possível e esperam para a Igreja um estado permanente de plena tranqüilidade, de prosperidade universal, e um reconhecimento prático e unânime de seu poder, sem contradição alguma; mas é pior e mais grave o erro daqueles que se iludem pensando que alcançarão essa paz efêmera mediante a dissimulação dos direitos e interesses da Igreja, sacrificando-os aos interesses privados, diminuindo-os injustamente, comprazendo o mundo, ‘no qual domina inteiramente o demônio’ (I Jo., V, 19), com o pretexto de captar a simpatia dos fautores de novidade e atraí-los para a Igreja, como se fora possível a harmonia entre a luz e as trevas, entre Cristo e o demônio. Trata-se de sonhos doentios, de alucinações que sempre ocorreram e ocorrerão enquanto houver soldados covardes que deponham as armas à simples presença do inimigo, ou traidores que pretendam a todo o custo fazer as pazes com os opositores, a saber, com o inimigo irreconciliável de Deus e dos homens.”

Pius X.

Encíclica Communium Rerum, de 21 de abril de 1909.

Querem adaptar a Igreja ao mundo e esquecem de defender a verdade... onde irão parar?

"Segundo eles [os modernistas] para converter os que não crêem no sobrenatural é necessário fazer abstração da Revelação de Nosso Senhor, da Graça, dos milagres... Se você tem de tratar com ateus, não fale de Deus, coloque-se no nível dele, sintonize-se om ele, entre no seu sistema! Por esse caminho você será em breve marxista-cristão: eles é que lhe terão convertido!". (D. Marcel Lefebvre. Do Liberalismo à Apostasia. pg. 70, 71)


O cristão precisa defender a verdade e não ficar em cima do muro. Não há união entre trevas e luz!