terça-feira, outubro 11, 2011

As seitas e a Igreja no Ocidente pós-católico



Recomendo a leitura deste ótimo artigo de Sidney Silveira, do Contra Impugnantes sobre as seitas. Trechinho:

"Juntem-se, numa fórmula doutrinal, idéias fantasiosas as mais contrárias ao senso comum (se possível, numa mescla de sutis contradições entre os princípios que as regem, para desorientar as mentes), inserindo-as num simbolismo que lhes dê a verossímil aparência de sistema coerente. Crie-se então uma rigorosa hierarquia que contemple práticas iniciáticas e ritos de passagem, a começar por algum “batismo” ou prova de fogo à guisa de promessa solene, de pacto de lealdade entre pessoas a ser cooptadas, a princípio, para um grupo restrito — o núcleo duro. Remeta-se tudo isso à autoridade de um guru, de um “santo”, de um presumível mestre espiritual iluminado, de um filosófo profeticamente “inspirado” em torno do qual orbitará a camarilha dos iniciados, a tropa de elite que não apenas buscará novos adeptos, como também defenderá o grupo de quaisquer perigos externos, não raro recorrendo a expedientes como calúnia e detração sistemáticas, ou, nos casos mais graves, ameaças e assassinatos. Teremos, então, uma seita."