quarta-feira, outubro 19, 2011

Evitar o herege, guardar a Fé




“Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o”. (Tito 3,10)

Nos dias de hoje em que reina a confusão, são muitos os católicos - leigos ou pertencentes a mais alta hierarquia - que dão escândalo ao andarem de braços dados com hereges dentro das igrejas e ao defenderem heresias. Eu nem preciso citar nomes, creio que cada um de vocês poderá apontar um nome - famoso ou não - de alguém que se comporta desta maneira atualmente, dando espaço até mesmo para que hereges "preguem"  dentro das igrejas, diante do Santíssimo.

Vivemos tempos tão perigosos para as almas, tão terríveis, que temos a todo momento que parar para pensar de onde tal figura tirou aquele pensamento, aquela palavra. Pensamos: "será que isso é católico?", "será que ele está defendendo algo verdadeiro?". Temos dúvidas até mesmo do que dizem os padres, outrora tão mais respeitados. Mas hoje são tantos que defendem mentiras que fica difícil confiar em tudo o que dizem, sejam bispos ou padres ou outros religiosos. E lá vai então o simples católico correr para buscar ajuda para entender o que tal ou qual membro da hierarquia acabou de dizer... quanta confusão!

Algumas coisas que mais me chocaram nesses anos de Fé católica foi ver gente da Igreja defendendo hereges e - pior! - heresiarcas! Isso não dá para suportar, é difícil demais, dói demais. Parece até que quebra algo dentro da gente ver a defesa de desgraçados que blasfemam, que se desfazem da Igreja, de Nossa Senhora, de Deus mesmo. É duro, é doloroso, é triste. Mas Nossa Senhora em La Salette já advertiu sobre esses tempos, então temos que orar e vigiar ainda mais.

"Os chefes, os condutores do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência. E o demônio obscureceu suas inteligências."

São Jerônimo, grande defensor da Fé, escreveu em uma carta a Rufino: 'Há um ponto em que não poderei concordar contigo: poupar os hereges, não me mostrar católico'. (Papa Bento XV. Encíclica "Spiritus Paraclitus")

O grande santo - sabiamente a meu ver - diz que poupar os hereges é não se mostrar católico. Ora vejam só, se não é este o verdadeiro espírito cristão! Sim é esse o espírito, pois devemos defender a Fé, sempre! Mas palavras como essas do santo são odiadas pelos ouvidos ecumênicos de plantão. Que fazer? A verdade dói mesmo, já diz o ditado popular.

O que não podemos é compactuar com o erro dando a desculpa de que os tempos são outros, que as coisas mudam, etc.

Essa mentalidade moderna, esse falar ambíguo, não são coisas retas, logo não são de Deus. Língua bífida tem o demônio que com um lado diz uma coisa e com o outro diz outra e os pobres incautos ficam sem saber no que acreditar, ou pensam que podem conciliar a verdade com o erro, a luz com as trevas. Quanta perdição, Senhor! Mas se até mesmo São Pedro traiu, dormiu, fraquejou e abandonou Nosso Senhor, o que podemos esperar dos outros católicos? Que ao menos se arrependam como nosso primeiro Papa se arrependeu e voltem a defender a Fé.

Irmãos, estejam atentos! Vamos orar e vigiar fortemente, pois os tempos são obscuros. Voltem-se para os ensinamentos de sempre, da Igreja, e não dêem ouvidos às novidades ecumênicas Cuidado, pois o que está em jogo é a salvação das almas.


Nossa Senhora, destruidora das heresias, rogai por nós!