quinta-feira, fevereiro 24, 2011

Ela é muitíssimo querida por Deus


Lembremos sempre de pedir a Nossa Senhora para que nos proteja! Tenhamos para com a mãe do Senhor uma especial reverência. Ela é muitíssimo querida por Deus, foi criada e agraciada por Ele de forma toda especial. Ele a ouve, sempre.

Peçamos a ela que rogue por nós. Assim como nas Bodas de Caná, Nosso Senhor ouviu o rogo de Sua santa mãe e transformou a água em vinho antes mesmo do tempo de começar Sua missão, Ele a ouve hoje e observa tudo o que ela pede. Então peçamos a ela que rogue por nós. Sempre!

Salve Maria, Cheia de Graça!

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Cinco Anos “Ad Orientem”.

Por Pe. Mark


Dando um Passo

O dia 17 de dezembro de 2010 marcará o quinto aniversário da minha posição ad orientem perante o altar para o Santo Sacrifício da Missa. Comecei a oferecer a Santa Missa exclusivamente ad orientem no Mosteiro da Cruz Gloriosa, onde trabalhei por vários anos como capelão. Preparei a mudança no Advento de 2005 com uma catequese pastoral e mistagógica apropriada.

Depois Veio o Summorum Pontificum

Depois de 14 de setembro de 2007, o Summorum Pontificum facilitou bastante a celebração do rito tradicional da Santa Missa e, desde que assumi a minha missão em Tulsa, tenho oferecido a Forma Extraordinária diariamente, não tendo nenhum desejo e não vendo nenhuma necessidade, no contexto da vida monástica contemplativa, de celebrar na Forma Ordinária.

Não é um Retrocesso

Tendo dito isso, após cinco anos oferecendo a Santa Missa ad orientem, posso dizer que eu nunca quero ter de voltar à posição versus populum. Quando viajo, entretanto, algumas vezes, sou obrigado a celebrar versus populum, especialmente, na Irlanda, na França e Itália; isso me deixa com um sentimento de inadequação extrema. Sofro do que posso descrever apenas como uma falta de pudeur sagrado, ou modéstia em face aos Santos Mistérios. Quando sou obrigado a celebrar versus populum, sinto visceralmente, como se fosse, que há, algo muito errado – teológica, espiritual e antropologicamente – com o oferecimento do Santo Sacrifício voltado em direção à congregação.

Dez Vantagens

Quais são as vantagens da posição ad orientem no altar, uma vez que eu a experimentei ao longo dos últimos dois anos? Posso pensar em dez logo de imediato:

1. O Santo Sacrifício da Missa é experimentado como tendo uma direção e enfoque teocêntrico.
2. Os fiéis são poupados do clerocentrísmo cansativo que até então tem tomado conta da celebração da Santa Missa nos últimos quarenta anos.
3. Mais uma vez se tornou evidente que o Cânon da Missa (Prex Eucharistica) é dirigido ao Pai, pelo sacerdote, no nome de todos.
4. O caráter sacrifical da Missa é maravilhosamente expresso e afirmado.
5. Quase que imperceptivelmente alguém descobre o acerto de se rezar silenciosamente em determinados momentos, de recitar determinadas partes da Missa suavemente e recitar outras de maneira musical.
6. Ela permite ao padre celebrante ter o benefício da santa modéstia.
7. Eu me vejo cada vez mais identificado com Cristo, o Eterno Sumo Sacerdote e Hóstia perpétua, na liturgia do santuário celestial, para além do véu, perante a Face do Pai.
8. Durante o Cânon da Missa, sou agraciado com um recolhimento profundo.
9. As pessoas se tornaram mais reverentes em seu comportamento.
10. Toda a celebração da Santa Missa ganhou em reverência, atenção e devoção.


* * *

Dom Mark Daniel Kirby é Prior do Mosteiro Beneditino Diocesano de Nossa Senhora do Cenáculo em Tulsa, Oklahoma.

Sua Excelência, Bispo Edward J. Slattery da Diocese Católica Romana de Tulsa estabeleceu o mosteiro em 2009 com a missão distintiva da Adoração Eucarística para a santificação dos sacerdotes.

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Você pode estar no barco errado


Nesses dias me pego pensando com mais intensidade nos que rejeitam viver a religião. Com os que não querem servir, com os que preferem continuar vivendo como se nada fosse acontecer no futuro, como se não houvesse Alguém olhando para cá, olhando para o que elas fazem ou deixam de fazer.

Enquanto estão aqui ainda há tempo de mudar, ainda há tempo de buscar Deus na Igreja e consequentemente a salvação de suas almas. Mas, das pessoas que eu conheço, poucas são as que parecem se importar realmente com o seu fim. Algumas vivem numa corrida louca para bem longe da Igreja, com medo mesmo de admitir que no fim das contas os católicos podem estar certos... algumas apostam a vida em bobagens, crendo em fantasias perigosas. Deveriam pensar assim: quem vive se preparando para o Céu e no fim dá de cara com “planos espirituais” não perdeu nada, vai para uma “cidade espiritual” e tudo bem, tem nova chance, não é? Mas e se não for assim? E se você vive se preparando para “outros planos espirituais” e no fim der de cara com...a eternidade do Inferno? Já parou para pensar nisso? Seriamente? Já parou para pensar que você pode estar no barco errado?

Precisamos pensar seriamente na vida e na morte. É tempo. O tempo é agora. Amanhã pode ser tarde demais.




quarta-feira, fevereiro 09, 2011

Deus abraça o pecador que volta para ele!


Oh, com quanto amor e ternura Deus abraça o pecador que volta para ele! Jesus Cristo claramente no-lo ensina por meio da parábola do Bom Pastor, que, falando da ovelha perdida, a põe amorosamente aos ombros (Lc 15,5) e convida seus amigos para que com ele se regozigem (Lc 15,6). E São Lucas acrescenta: “Haverá gozo no céu por um pecador que faz penitência” (Lc 15,7). O mesmo manifestou o Redentor na parábola do Filho pródigo, quando declarou que ele próprio é aquele pai que, ao ver voltar o filho perdido, corre-lhe ao encontro, e, antes que lhe fale, o abraça e cobre de beijos, e nem mesmo com essas ternas carícias pode expressar o consolo que sente (Ez 18,21-22).

O Senhor chega até a assegurar que, quando o pecador se arrepende, ele risca da memória as ofensas, como se nunca houvessem existido. Veja-se o que diz: “Vinde e argüi-me; se vossos pecados forem cor de escarlate, tornar-se-ão brancos como a neve” (Is 1,18; Ez 18,21- 22), ou ainda: “Vinde, pecadores, se não vos perdoar, repreendei-me e acusai-me de infidelidade...” Mas, não, Deus não sabe desprezar um coração que se humilha e se arrepende (Sl 50,19).

Gloria-se o Senhor de usar de misericórdia, perdoando aos pecadores (Is 30,18). E quando perdoa?... Num instante (Is 30,19). Pecador, diz o Profeta, não terás que chorar muito. Enquanto derramas a primeira lágrima, o Senhor terá piedade de ti (Is 30,19). Não procede Deus conosco como nós para com ele. Deus nos chama e nós não queremos atendê-lo. Deus, não. Logo que nos arrependemos, nos responde prontamente e logo nos perdoa.

(Santo Afonso de Ligório. Preparação para a morte. Edição PDF. Páginas 169, 170)

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Das profundezas

vida

Concede-se indulgência parcial ao fiel que recitar piedosamente o salmo Das profundezas (Sl 129 [130]) (Tradução oficial)

Das profundezas

Das profundezas eu clamo - Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, escutai a minha voz!- Vossos ouvidos estejam bem atentos, ao clamor da minha prece - Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir? - Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero - No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra, - A minh’alma espera no Senhor mais que o vigia pela aurora. - Espere Israel pelo Senhor mais que o vigia pela aurora! - Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. - Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa. 
 
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos dos séculos.
 
Amém.

sexta-feira, fevereiro 04, 2011

A casa que deve ocupar eternamente


“Se tanto trabalho se dá o homem para adquirir uma casa cômoda, espaçosa, saudável e bem situada, como se tivesse certeza de que a poderia habitar durante toda a vida, por que se mostra tão descuidado quando se trata da casa que deve ocupar eternamente? — disse Santo Euquério. — Não se trata de uma morada mais ou menos cômoda ou espaçosa, mas de viver em um lugar cheio de delícias, entre os amigos de Deus, ou num abismo de todos os tormentos, entre a turba infame dos celerados, hereges e idólatras... E isto por quanto tempo?... Não por vinte nem por quarenta anos, senão por toda a eternidade. Grande negócio, sem dúvida! Não é coisa de momento, mas de suma importância”.

(Santo Afonso de Ligório. Preparação para a morte. Edição PDF. Página 149, 150)

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Aviso sobre comentários

vida
Eu estou agora chegando ao final de minha gravidez e tudo está muito corrido, então resolvi que vou fechar o blog para comentários, pois não estou com disponibilidade para gerenciar isso.

Se alguém quiser se comunicar escreva para mariarosamulher@gmail.com. Não garanto que responderei às mensagens.

Peço as orações de vocês para que dê tudo certo e oro para que Deus abençoe a todos.


A Paz!