terça-feira, agosto 30, 2011

Violar as Leis da Indiferença




Quantas vezes por semana nós nos irritamos por causa de erros ou de bobagens ditas pelos outros? Essa irritação é uma quebra das Leis da Indiferença, segundo São Francisco de Sales. Se alguém sofre com sua própria irritação é bom que lembre que nessa vida nós sempre temos chance de nos reerguer. Portanto, nada de desespero ou desânimo. O importante é ter sempre em mente que Deus perdoa quem se arrepende e se volta para Ele com humildade.

Buscar a indiferença, segundo o santo, nesses casos em que nos irritamos dá certo mesmo. Se pensarmos que nesse mundo tudo passa e que Deus permite que as coisas aconteçam sempre por um bem maior, então temos mais motivos para não deixar que as paixões nos derrubem, mas caso caiamos, poderemos sempre nos levantar e seguir em frente. Veja o que diz o grande santo:

"Quando por um movimento repentino do amor-próprio ou das paixões, violarmos as leis da indiferença*, inclinemos quanto antes o nosso coração diante de Deus e digamos-lhe com espírito de confiança e humildade: Misericórdia, Senhor, porque estou doente (Sl 6,3). Levantemo-nos com paz e tranquilidade, reatemos o fio da nossa indiferença e continuemos a nossa obra. Não é necessário quebrar as cordas nem abandonar o alaúde quando se nota que está desafinado: o que é preciso é aplicar o ouvido para saber donde vem a desafinação e lentamente retesar a corda ou afrouxá-la, conforme o caso." (1)

_______________________________________
(*) O termo indiferença ou santa indiferença não tem, na pena de São Francisco de Sales, o matiz negativo de "desinteresse" ou "apatia". Significa simplesmente que, para os que amam a Deus, todas as coisas, tanto as boas quanto as que parecem más, são recebidas com igual reconhecimento e gratidão, pois todas vêm de Deus e cooperam para a nossa salvação. "Violar as leis da indiferença", corresponde, portanto, a perder a paz diante de uma contrariedade, irritar-se com os erros dos outros, ou então entusiasmar-se desmedidamente, sem referência a Deus quando as coisas correm ao nosso gosto (N. do T.).

(1) Tissot, Joseph. A Arte de Aproveitar as Próprias Faltas. 3 ed. São Paulo: Quadrante, 2003.

sábado, agosto 27, 2011

Evento Tomista no Rio, dia 24 de setembro


Depois do sucesso do Evento Tomista em São Paulo, agora é a vez do Rio de Janeiro. Garanta a sua vaga!

quinta-feira, agosto 25, 2011

Para entender a Inquisição


"O que é a Inquisição? É o instrumento judicial com o que a Igreja tirou da alçada dos civis o poder de julgar matérias espirituais" (Prof. Carlos Nougué)

Para quem quiser saber realmente o que foi a Inquisição eu deixo aqui vídeos, uma indicação de livro, algumas citações com links e mais um trechinho de artigo do Prof. Nougué. Para quem tem vontade de saber a verdade esse material é esclarecedor. 



Um documentário da BBC sobre a Inquisição Espanhola:


Outro vídeo bom:


Baixe o livro "A Inquisição em seu mundo" de João Bernardino Gonzaga, professor de Direito da Universidade de São Paulo, aqui. É leitura obrigatória para todos os que tem interesse sobre o assunto. Alguém já disse que o autor faz algumas colocações liberais, mas creio que ainda assim é um livro importante sobre o assunto.

Sobre o livro: 

"Os estudos sobre a Inquisição não levam em conta um complexo de fatores (condições políticas, sociais, econômicas, religiosas e científicas) que forjou um certo modo de vida na Idade Média, bem diferente do nosso. Por não considerar tais variantes, a Inquisição é tratada como um acontecimento isolado que, pelos padrões contemporâneos, se torna inaceitável, incompreensível e repulsivo. Este livro propõe analisar a Inquisição européia enquanto instituição humana no contexto histórico em que se desenvolveu."

"Uma análise ímpar sobre a Inquisição, baseada numa pesquisa cuidadosa sobre as condições gerais da vida naquela época e sobre como atuava a justiça criminal comum. Um livro que oferece elementos para uma avaliação equilibrada sobre esse assunto tão complexo."

Sobre os Cátaros:
 vida


Um historiador [Henri-Charles Léa], embora hostil à Inquisição, não hesitou em concluir que, na Cruzada Albigense:
“… a causa da ortodoxia [Católica] não era outra que não da civilização e do progresso… se esta crença [catarismo] tivesse recrutado uma maioria de fiéis, resultaria no retorno da Europa para a selvageria dos tempos primitivos.”.”" (http://omniverbo.wordpress.com/2009/09/25/santainquisicao/) 

Inquisição Espanhola:
 
A verdadeira história da Inquisição não corresponde de forma alguma a legenda negra que é espalhada pelos inimigos da Igreja. Bartolomé Bennassar, que não é nenhum apologista do Santo Ofício, escreveu em L’Inquisition espagnole, Xve -XIXe siècle, (1979):
Se a Inquisição Espanhola fosse tida como um tribunal semelhante a  outros tribunais, eu não hesitaria em concluir, sem medo de contradição e a despeito de idéias preconcebidas, que ela era superior a eles… Mais eficiente, não há nenhuma dúvida; mas também mais preciso e mais escrupuloso, a despeito da fraqueza de um certo número de juizes que podem ter sido orgulhosos, avarentos e devassos. Uma justiça que pratica um exame muito atento dos testemunhos, que realiza uma checagem cruzada meticulosa deles, que aceita sem hesitação as impugnações do réu de testemunhas suspeitas (e freqüentemente pela mais leve razão), uma justiça que raramente emprega a tortura e que, ao contrário de certas cortes civis de justiça, e que, depois de um quarto de século de severidades atrozes, raramente condena a pena capital e apenas, muito prudentemente, administra a terrível punição das galés. Uma justiça ansiosa para educar, explicar ao acusado porque ele está em erro, que repreende e aconselha, e de quem a última condenação apenas afeta o reincidente.”."" (http://omniverbo.wordpress.com/2009/09/25/santainquisicao/)


Mais uma vez, o professor Carlos Nougué:

"Acusava-se e acusa-se a Igreja, sua Inquisição e os regimes políticos católicos de cercear a liberdade de pensamento, quando o que na verdade a Igreja, a Inquisição e os regimes católicos cerceavam, em ordem à salvação das almas, era a liberdade do erro, da heresia e do pecado. “Esmaguem a Infame”, dizia Voltaire do alto de seu ódio ignóbil. No fundo e do baixo de sua carne revoltada, queria sobretudo dizer: “Libertem o Infame!” E, liberto o Infame, sentenciou-se a golpes de guilhotina: todos têm liberdade de expressar o que ditar sua livre consciência. Naturalmente, e precavidamente, dizem os “paladinos da liberdade” em suas declarações dos direitos do homem que a liberdade de expressão tem um limite: o limite da liberdade alheia. Se alguém, por exemplo, pregar uma ideologia de extermínio racial, já não se beneficiará de tal liberdade. Seja. Mas então qual o problema com a Igreja, sua Inquisição e os regimes católicos, se eles diziam que todos têm liberdade de expressar o que ditar sua consciência, mas com um limite: o limite dos direitos de Deus? Se alguém defendesse algo contra a lei natural ou a lei divina positiva, como, por exemplo, o aborto, já não se beneficiaria de tal liberdade. Afora o fato, sempre escamoteado, de que a Inquisição não tinha jurisdição sobre os não católicos (judeus, muçulmanos, etc.), enquanto a ONU e todos os governos ateus ou laicistas se outorgam uma jurisdição universal, especialmente sobre os católicos..."  (http://spessantotomas.blogspot.com/2011/06/blefes-imensos.html)


Uma lista de textos sobre o tema, organizada pelo Ecclesia Una:


http://beinbetter.wordpress.com/tag/inquisicao/

Diversos trechos de livros postados no Adversus Haereses:


http://advhaereses.blogspot.com/search/label/Inquisi%C3%A7%C3%A3o
vida
Espero que este material ajude aos que se interessam sobre a Inquisição.

terça-feira, agosto 23, 2011

Festa da Santa Cruz


Festa da Santa Cruz no Mosteiro da Santa Cruz, com bênção com a relíquia da Vera Cruz! Veja:

 Domingo 18 de setembro

10h30 – missa
12h30 – almoço
14h30 – seção recreativa
16h – bênção com a relíquia da Santa Cruz

Para mais informações, clique aqui.



segunda-feira, agosto 22, 2011

Hoje é Dia do Imaculado Coração de Maria!



Hoje é Dia do Imaculado Coração de Maria! Para comemorar este dia deixo aqui dois links:

+No blog Escravas de Maria, leia sobre esta devoção e saiba como ser consagrado ao Imaculado Coração de Maria.

Doce Coração de Maria, sede nossa salvação!

quinta-feira, agosto 18, 2011

Máximas da vida espiritual

Por Santo Afonso de Ligório




Máximas da vida espiritual:

- Só Deus merece o nosso amor.
- O único mal que devemos odiar é o pecado.
- Tudo o que Deus quer é bom.
- Nesta terra tudo terá fim.
- É melhor levantar da terra uma palha em cumprimento da vontade de Deus, que converter o mundo  inteiro contra Sua vontade.
- Deve-se sempre praticar o que se desejaria ter praticado na hora da morte.
- Devemos viver neste mundo como se nele nada mais existisse que Deus e nós.

Quem nutre seu espírito com tais pensamentos e máximas, pouco inquietado será pelas coisas terrenas e sentir-se-á bastante forte para reprimir suas más inclinações.

(Santo Afonso de Ligório. Escola de Perfeição Cristã. Pg. 76)

quarta-feira, agosto 17, 2011

Pecados de Palavra nos Atos Ordinários da Vida



Um texto maravilhoso sobre o que diz Santo Tomás de Aquino a respeito dos "Pecados de Palavra nos Atos Ordinários da Vida", foi publicado no blog do SPES. leia:
O que publicamos aqui é parte do Catecismo da Suma Teológica de Santo Tomás de Aquino, do R. P. Tomaz Pègues O.P. Iremos publicando outras partes dele à medida que se façam necessárias. A obra como um todo, porém, parece padecer especialmente de dois defeitos de entendimento ou de explicação com respeito à doutrina do Aquinate:
• de entendimento, quanto às relações entre poder civil e poder eclesiástico;
• de explicação, quanto à tese da predestinação.
Ao longo do tempo, trataremos estas duas questões da maneira devida.

Lembremos sempre: Como disse o Papa Pio XII, Santo Tomás de Aquino éo mais sábio dos santos, e o mais santo dos sábios”.

*  *  *

PECADOS DE PALAVRA NOS ATOS ORDINÁRIOS DA VIDA:
INJÚRIA, DIFAMAÇÃO (MALEDICÊNCIA E CALÚNIA),
MURMURAÇÃO, IRRISÃO E MALDIÇÃO

Quais são as injustiças de palavra que na vida se cometem contra o próximo?
São as de injúria, difamação, murmuração, irrisão e maldição (LXXII-LXXVI).

Que entendeis por injúria?
Entendem-se por injúria, insulto, ultraje, e às vezes por menosprezo, censura e repreensão, as palavras que se usam para qualificar excessos ou injustiças, o fato de afrontar a alguém por palavra ou obra, agravando-o tanto na honra, como no respeito e consideração que se lhe merece (LXXII, 1).

A injúria é pecado mortal?
Quando as palavras ou fatos constituem por sua natureza ultraje grave, e existe intenção formal de ofender, sim, senhor; porém será venial, apesar do exposto, quando a honra do ofendido não fica seriamente comprometida, ou falta no agressor intenção de injuriar (LXXII, 2).

Têm todos os homens obrigação estrita de justiça de tratar os outros, quaisquer que sejam, com a devida consideração e respeito?
Sim, senhor; visto que este respeito mútuo é de grande importância para a boa harmonia nas relações sociais (LXXII, 1-3).

Em que se funda e qual é a importância desta obrigação?
Funda-se em ser a honra um dos bens que os homens têm em maior estima, e, por consequência, há obrigação de tratar com as devidas considerações até os mais humildes e pequenos, sempre em harmonia com a sua condição; afrontá-los, deprimi-los, humilhá-los com olhares, gestos e palavras é mortificá-los naquilo que mais amam (Ibid.).

Logo, estamos obrigados a evitar, em presença de outros, qualquer palavra ou fato que possa mortificá-los, humilhá-los ou entristecê-los?
Sim, senhor (Ibid.).

A ninguém é permitido afastar-se desta regra?
A ninguém, exceto os superiores com o fim exclusivo de corrigir os seus súditos, quando realmente o mereçam, ainda que, neste caso, jamais devem fazê-lo alucinados pela paixão, nem com formas e modos arrebatados ou indiscretos (LXXII, 2 ad 2).

Como devemos portar-nos com os que nos injuriam e ofendem?
A caridade e a mesma justiça podem exigir que não deixemos impunes os atentados diretos ou indiretos contra a nossa honra ou de outras pessoas que nos estão confiadas. Porém, ao reprimir a audácia do ofensor, devemos guardar a circunspecção precisa e sobretudo o modo de não devolver novo agravo ou injustiça (LXXII, 3).

Que entendeis por difamação?
No sentido estrito, consiste em atentar por meio de palavras contra a reputação e bom nome do nosso próximo, ou em fazer-lhe perder, total ou parcialmente, e sem razão nem motivo justificado, a estima e consideração dos outros (LXXIII, 1).

É a difamação um pecado muito grave?
Sim, senhor; porque arrebata ao próximo bens mais estimáveis que a riqueza, objeto do pecado do roubo (LXXIII, 2, 3).

Quantas classes há de difamação?
Quatro diretas: imputar ao próximo culpa ou delito que não cometeu; exagerar os seus defeitos; divulgar segredos que lhes sejam desfavoráveis; e atribuir-lhe intenções e propósitos torcidos, ou, ao menos, suspeitos, nas suas melhores ações (LXXIII, 1. ad 3).

Existe alguma outra maneira de difamar o próximo?
Há outra, indireta, que consiste em negar-lhe as suas boas qualidades ou silenciá-las com malícia ou diminuí-las dissimuladamente (Ibid.).

Que entendeis por murmurar, ou semear cizânia?
O pecado do que diretamente se propõe, por meio de frases ambíguas e pérfidas insinuações, introduzir a discórdia entre os que se acham unidos com laços de amizade e mútua confiança (LXXIV, 1).

É pecado muito grave?
É o mais grave, odioso e digno de reprovação perante Deus e os homens, de quantos de palavra se cometem contra o próximo (LXXXIV, 2).

Que entendeis por irrisão?
A irrisão, zombaria ou chacota injuriosa é um pecado de palavra contra a justiça, e consiste em ridicularizar o próximo em sua presença, encontrando nele defeitos e torpezas que lhe façam perder o domínio de si mesmo, nas relações com os outros (LXXV, 1).

É um pecado grave?
Sim, senhor; porque envolve desprezo da pessoa, e o desestimar e ter em pouco a outrem é ato detestável e digno de reprovação (LXXV, 2).

Confunde-se a ironia com o pecado de irrisão, e tem a mesma gravidade?
Pode a ironia ser falta venial, quando, com ela, a modo de diversão, se criticam defeitos leves, sem desdenhar nem ofender as pessoas. Pode acontecer que não seja falta quando não passa de travessura e passatempo inocente, nem haja perigo de mortificar nem contrariar a quem dela é alvo. De qualquer modo, é um sistema de diversão muito delicado e melindroso e convém usá-lo com extrema prudência (LXXV, 1 ad 1).

Pode ser a ironia, em alguma ocasião, ato de virtude?
Manejada com habilidade e delicadeza, é um meio de que pode utilizar-se o superior para admoestar e repreender os súditos, e também pode empregar-se entre iguais, a modo de caritativa correção fraterna.

Que precauções devem tomar-se nestes casos?
Antes de tudo, deve usar-se com grande tacto e discrição, porque, se bem que às vezes pode ser útil abater, até limites justos, a vã opinião que de si mesmo têm os propensos à jactância, é preciso também não destruir a segurança e confiança legítima que cada um deve ter em si mesmo, sem a qual se paralisa toda iniciativa e espontaneidade, convertendo a vítima da ironia em um ser tímido e irresoluto, degradado e envilecido aos seus próprios olhos.

Que relações têm a injúria, a difamação, a murmuração e a irrisão com o hábito vicioso de maldizer?
Têm de comum estes vícios o serem pecados de palavra contra o próximo e diferenciam-se em que os quatro primeiros consistem em proposição ou enunciados com que se imputam males ou se negam bens, e a maldição em invocar o mal para que caia sobre os nossos semelhantes.

É a maldição ou praga ato essencialmente mau?
Sim, senhor; porque é desejar o mal pelo mal; por consequência, é sempre, e por sua natureza, falta grave (LXXVI, 3).

*  *  *

É pecado a porfia ou contenção? 
É pecado quando se porfia pelo prazer de contradizer; também o é, com maioria de razão, quando se prejudica o próximo, ou os foros da verdade; também o é, finalmente, quando, ainda que se defenda a verdade, se faz em tom imoderado e com palavras mortificantes (XXXVIII, 1).


segunda-feira, agosto 15, 2011

sexta-feira, agosto 12, 2011

Marcha pela Vida, 2011

vida

Nossa Senhora Aparecida, livrai-nos do flagelo do aborto!


quinta-feira, agosto 11, 2011

IMPORTANTE: Projeto de lei ameaça a liberdade de expressão na internet


Vamos fazer a nossa parte! Eu já enviei a mensagem contra o PL. É fácil, clique aqui:


Peço aos leitores que divulguem a campanha nas redes sociais e onde puderem, o tempo é curto e a ameaça é grave!


Defenda a liberdade na internet

Na semana que vem, o Congresso poderá votar um projeto de lei que restringiria radicalmente a liberdade da internet no Brasil, criminalizando atividades on-line cotidianas tais como compartilhar músicas e restringir práticas essenciais para blogs. Temos apenas seis dias para barrar a votação.

A pressão da opinião pública derrotou um ataque contra a liberdade da internet em 2009 e nós podemos fazer isso de novo! O projeto de lei tramita neste momento em três comissões da Câmara dos Deputados e esses políticos estão observando atentamente a reação da opinião pública nos dias que antecedem à grande votação. Agora é nossa chance de lançar um protesto nacional e forçá-los a proteger as liberdades da internet.

O Brasil tem mais de 75 milhões de internautas e se nos unirmos nossas vozes poderão ser ensurdecedoras. Envie uma mensagem agora mesmo às lideranças das comissões de Constituição e Justiça, Ciência e Tecnologia e Segurança Pública e depois divulgue a campanha entre seus amigos e familiares em todo o Brasil:


O projeto de lei do deputado Azeredo sobre a internet supostamente teria o objetivo de nos proteger contra fraudadores e hackers. Porém, como alguém que faz uma cirurgia com uma motosserra, as normas excessivamente cautelosas impostas pelo projeto de lei trariam altíssimos custos sem de fato cumprir seu objetivo. Em vez de capturar os verdadeiros criminosos, elas penalizariam todos nós. Por esse motivo, até mesmo o importante site anti-pedofilia, o SaferNet é contra o PL Azeredo.

Se esse projeto de lei for aprovado, nossa privacidade e liberdade de expressão, criação e acesso on-line ficarão gravemente limitadas. Pior que isso, os provedores de internet que mantêm informações detalhadas sobre nosso histórico de navegação na internet passarão a ser “policiais virtuais” monitorando os usuários a todo momento.

O projeto de lei tem circulado em Brasília por mais de uma década, e a pressão da opinião pública já o derrotou antes. Em 2009, uma consulta pública sobre o “Marco Civil da Internet” barrou o andamento do projeto. Mas alguns meses atrás, o deputado Azeredo tentou apressar a aprovação no Congresso, usando os ataques de crackers aos sites do governo como desculpa. Um novo Congresso e uma maior conscientização sobre as amplas implicações do projeto de lei significam que nossas vozes poderão fazer a diferença. Envie agora mesmo uma mensagem às lideranças na Câmara:


Infelizmente, o PL Azeredo não é a única lei desse tipo. Em todo o mundo, na Índia, Turquia, Estados Unidos e outros países, a liberdade da internet está sob ataque promovido por iniciativas similares. Mas os membros da Avaaz nesses países estão se mobilizando. Vamos fazer a nossa parte neste movimento popular global em defesa da web barrando o PL Azeredo.

Com esperança,

Emma, David, Ricken, Maria Paz, Giulia, Rewan e a equipe da Avaaz

Viva Santa Clara!



Tenho um carinho especial por Santa Clara. Gosto muito da história dela, admiro sua coragem, sua pureza, seu espírito de desprendimento das coisas do mundo, sua escolha total por Deus!

Acho lindo esse nome: Clara! Veja porque ela foi batizada assim:

"Clara nasceu por volta do ano 1193, de uma ilustre família feudal de Assis. Em peregrinação à Terra Santa, sua mãe orava diante da cruz, quando recebeu a certeza que haveria de ter uma filha que iluminaria o mundo: chamou-a, portanto, Clara. este nome parece ser bem a síntese da vida de Santa Clara." Não é lindo? Leia mais aqui.


E hoje é dia dela!

Santa Clara, rogai por nós!

quarta-feira, agosto 10, 2011

Viva Santa Filomena!



Veja no blog Mulher Católica e no blog A Grande Guerra, postagens sobre esta grande santinha!


Santa Filomena, rogai por nós!

A Missa do Futuro- documentário


Muito bom esse documentário intitulado "Reforma ou Revolta? O Movimento Litúrgico e a Missa de Paulo VI", onde é feita uma comparação entre a Missa Tradicional e o Rito de Paulo VI, a Missa Nova, as duas celebradas no mesmo local e no mesmo dia. Com informações históricas muito importantes, o vídeo pode auxiliar muito aos que buscam entender sobre o assunto. Assista:


Lex orandi, lex credendi.


terça-feira, agosto 09, 2011

Preocupadas em fazer uma montanha de cada montículo


(Imagem pintada por São João da Cruz)

"... como é triste, pelo contrário, ver certas almas piedosas pararem à mínima dificuldade, dir-se-ia que preocupadas em fazer uma montanha de cada montículo, constantemente preocupadas consigo próprias e sempre prontas a julgar que lhes fazem mal! É preciso que uma sacudilela de coragem as arranque finalmente desta miséria: elas que olhem para Jesus e Sua Mãe nos Seus indizíveis sofrimentos, e as suas pequeninas dificuldades desfar-se-ão como gotas de água no oceano. A graça de Deus muda o sinal a todas as coisas: só ela tem o poder de dar um valor positivo ao mal que nós suportamos, e de fazer que o aceitemos com amor. 'Corramos com perseverança na carreira que nos é proposta, pondo os olhos no autor e consumador da fé, Jesus, o qual, tendo-Lhe sido proposto gozo, sofreu a Cruz, não fazendo caso da ignomínia... Considerai, pois, aquele que sofreu tal contradição dos pecados contra Si, para que não vos fatigueis, desfalecendo em vossos ânimos'". (Hebreus, XII 2,3)

(Intimidade com Deus, por um Cartuxo)
 

segunda-feira, agosto 08, 2011

Agricultor diz que foi ao inferno, falou com o diabo e voltou


Impressionante o relato deste senhor sobre sua ida ao Inferno. Creio que ele esteja dizendo a verdade. Veja:


"Ó meu Jesus, livrai-nos do fogo do Inferno, levai as almas todas para o Céu, socorrei principalmente as que mais precisarem de vossa misericórdia!"

Nossa Senhora, rogai por nós!



sábado, agosto 06, 2011

Oração a São José para pedir a pureza



Ó glorioso São José, pai e protetor das virgens, guarda fiel a quem Deus confiou Jesus, a perfeita inocência, e Maria, a Virgem das virgens, eu vos peço e conjuro por Jesus e por Maria, este duplo tesouro a vós tão caro, com vosso eficaz auxílio, dai-me conservar meu corpo isento de toda mancha, e que puro e casto, sirva perpetuamente a Jesus e a Maria em perfeita castidade.

Amém.

quinta-feira, agosto 04, 2011

Aversão ao próximo: o perigo de ficar preso por um cabelo




Na vida espiritual deve-se buscar ascender sempre, pois se não buscarmos progredir terminaremos por retroceder até cair de vez. 

O que podemos não perceber é que a falta de progresso espiritual pode se dar por falta de perdão ao próximo, por guardar rancor contra outras pessoas. Ao agir assim ficamos acorrentados ao Inimigo e morrendo nesse estado iremos para o Inferno.

O texto abaixo é um trecho com ensinamento de Santo Afonso de Ligório sobre o perigo de se guardar rancor. 

Leia e ore pedindo a Deus para que Ele não o deixe cair na tentação de querer mal ao próximo e lembre-se de que só seremos perdoados se nós perdoarmos também.

"Perdoai as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores"


"Alguns cristãos são zelosos em receber a miúdo a santa comunhão, em fazer suas orações costumadas, etc., mas procuram com isso unicamente satisfazer um certo sentimento piedoso, contentar uma certa sentimentalidade espiritual, pondo nisso todos os seus esforços. Assim permanecem, porém, sempre retidas na terra com suas inclinações, ficam impedidas de progredir na vida espiritual, retrocedendo até cada vez mais por esse motivo. Não raro acontece que essas almas caem miseravelmente na desgraça de Deus.

O demônio quando tenta os cristãos piedosos não os induz, a princípio, ao pecado mortal. No começo se dá por satisfeito se consegue prender as almas por um cabelo, pois se pretendesse acorrentá-las logo no princípio com uma cadeia, causar-lhes-ia temor e fugiriam; tendo-as, porém, por um cabelo, fácil se lhe torna amarrá-las com um fio, que substitui por uma corda, prendendo-as finalmente com fortes cadeias, fazendo-as escravas do inferno.

Suponhamos que certa pessoa, depois de pequena desavença com o próximo, guarde algum rancor em seu coração: eis o cabelo. Em conseqüência disso não fala mais com ele, nem o saúda: eis o fio. Aumentando-se a antipatia e rancor, começa a falar mal dele e ofende-lo, provocando-o: eis a corda. Ocorrendo qualquer outra desavença e suposta ofensa, apodera-se dela um ódio mortal: eis a cadeia que a torna escrava do demônio." 

(Santo Afonso de Ligório. Escola de Perfeição Cristã: Da necessidade de combater as paixões. 4 ed. Petrópolis: Editora Vozes. 1955. Pg. 72)

quarta-feira, agosto 03, 2011

"Do fundo do baú" (Modéstia em geral)




O blog A Grande Guerra disponibilizou em uma postagem diversos artigos sobre a Modéstia Cristã. Veja:

Especial: "Do fundo do baú" (Modéstia em geral)





Virgem Santíssima, Rainha da Modéstia, rogai por nós!


terça-feira, agosto 02, 2011

Colabore com o Pró-vida de Anápolis!



Colabore com o Pró-vida de Anápolis! Esse trabalho belíssimo do Pe. Lodi merece nosso apoio, pois luta pela vida.

Clique aqui para saber como fazer sua doação!

Nossa Senhora, livrai-nos do flagelo do aborto!

segunda-feira, agosto 01, 2011

Começa hoje a novena de Santa Filomena!


Começa hoje a novena de Santa Filomena!

Veja aqui:




Vou fazer essa novena pelo segundo ano consecutivo, se Deus quiser!

Baixe aqui o livro "Santa Filomena, a Grande Milagrosa".

Vamos praticar essa devoção!

Santa Filomena, rogai por nós!


Importante: começou hoje indulgência da Porciúncula!


Atenção católicos! Começou hoje o perdão de Assis, a indulgência da Porciúncula! Leiam:

http://padremarcelotenorio.blogspot.com/2011/07/vai-comecar-o-perdao-de-assis-meio-dia.html