terça-feira, janeiro 10, 2012

Falsos profetas e a graça de estado




Nesses dias de tantas tribulações e enganos é preciso que as almas estejam em estado de alerta constante.

Meus irmãos, cuidado com os falsos profetas! Vejo por aí gente boa, bem intencionada que confia no que dizem leigos, ou seja, que segue a quem não tem graça de estado para guiar almas. Vejam bem, meus queridos, os leigos não possuem a graça de estado necessária para aconselhar, para guiar espiritualmente!

Nosso Senhor Jesus Cristo insituiu apenas os apóstolos como mestres da Fé, como guardiões da ortodoxia, não fez isso com os leigos.  

Então quem está fora da Hierarquia da Igreja não pode ser tido como mestre nas coisas espirituais, não pode guiar as almas. Quem tem que guiar almas, dar diretrizes espirituais seguras, é aquele recebe a graça de estado para isso, e tal não acontece com o leigo. Não acontece.

Um católico não pode seguir um leigo em assuntos espirituais, por mais que esse leigo tenha cultura, ou alegue ser profeta, ou diga que conversa com Nossa Senhora, ou qualquer outra coisa tida como espiritual, esse leigo não pode ser seguido por católicos, isso está errado!

Veja o que diz a Carta Encíclica Vehementer, de São Pio X:

"A Escritura nos ensina, e a tradição dos Padres no-lo confirma, que a Igreja é o corpo místico de Cristo, corpo regido por Pastores e Doutores (Ef 4, 11ss) - sociedade de homens portanto, no seio da qual se acham chefes que têm plenos e perfeitos poderes para governar, para ensinar e para julgar (Mt 28, 18-20; 16, 18-19; 18, 17; Tito 2, 15; 2 Cor 10, 6; 13, 19). Daí resulta que essa Igreja é por essência uma sociedade desigual, isto é, uma sociedade que abrange duas categorias de pessoas, os Pastores e o rebanho, os que ocupam uma posição nos diferentes graus da hierarquia, e a multidão dos fiéis. E essas categorias são tão distintas entre si, que só no corpo pastoral residem o direito e autoridade necessária para promover e dirigir todos os membros ao fim da sociedade; quanto à multidão, essa não tem outro dever senão o de se deixar conduzir e, rebanho dócil, seguir os seus Pastores."

Parem e pensem seriamente no que estão envolvidos. Não se deixem iludir tão facilmente, questionem, busquem, investiguem, reflitam!

Há por aí pessoas que pautam suas vidas em ensinamentos de gente que podia até ser bem intencionada no início, não sei, mas que no final das contas terminou por iludir fiéis, e é gente que não possui autoridade para dar diretrizes espirituais, que não faz parte do corpo pastoral. Claro que os seus seguidores dirão "ah, mas fulano (a) é profeta, ele (a) leva vida santa"... Você tem certeza disso, meu irmão? Lembre-se que o Espírito Santo alerta contra os falsos profetas e se você acredita que vivemos dias de apostasia deveria se preocupar seriamente com o grupo no qual está envolvido, pois se é um grupo novo, já da época pós-moderna, do século XX, então há sérias chances de seus líderes serem falsos profetas.

E antes que digam que não é bem assim porque São Francisco não era padre e ainda assim fundou uma ordem, lembrem-se que esse grande santo era Diácono, portanto fazia parte da Hierarquia da Igreja. E preciso mesmo mencionar que além disso ele é santo estigmatizado? Autoridade para aconselhar espiritualmente ele tem o bastante!

Rezemos todos pedindo a Deus que nos ilumine e nos livre de todos os enganos do Maligno.