terça-feira, janeiro 31, 2012

A miséria que procede do orgulho




Uma vez uma pessoa ficou revoltada comigo porque viu em uma de minhas assinaturas de email a seguinte frase de Santa Teresa D´Ávila:

"Certa vez, estava eu considerando por que razão Nosso Senhor é tão amigo da virtude da humildade. Veio-me logo de improviso, sem trabalho de raciocínio, esta resposta: é porque Deus é a suma verdade, e ser humilde é andar na verdade. Grande verdade é que nada de bom procede de nós, a não ser a miséria de ser nada. Quem não entende isso, anda na mentira." (Santa Teresa de Jesus, Castelo interior ou moradas, c. X, 7).

Essa pessoa é espírita e não se conformou com a frase da grande santa. Disse para mim que era um absurdo dizer que nada de bom vem de nós. Questionou-me mais ou menos nesses termos: “como assim você não tem nada de bom? E seu marido, e o seu emprego???”. Para a mentalidade espírita (ou espiritualista ou New Age) a humildade em se reconhecer um nada perante O Criador é algo dificílimo de compreender. Essa gente acha que possui méritos devidos ao seu “carma”. Eles acham que constroem sozinhos (ou com ajuda dos “espíritos”) suas histórias de vida e que por isso são donos de sua saúde, beleza, riqueza... afinal tudo isso é resultado de suas escolhas do passado, é tudo “cármico”. No fundo acreditam que não devem nada a Deus, a não ser, talvez, a criação. O resto é fruto da “evolução” e dos “méritos cármicos” deles. Presunção pouca é bobagem!

É interessante que mesmo que eles digam que acreditam em Deus (o que não é verdade, pois eles crêem numa variação do deus do Deísmo), não conseguem perceber que tudo o que temos vem Daquele que nos criou, óbvio, pois nós não damos a vida a nós mesmos. Quando nós damos algo de bom a Deus apenas devolvemos aquilo que Ele nos deu desde o início. Fazendo uma comparação imperfeita: É como a criancinha que vai comprar um presente para o pai com o dinheiro que o próprio pai lhe deu. Nada de material é dela, tudo o que possui vem dos pais. Algo assim tão simples vai se tornando difícil de compreender por quem acredita que possui méritos próprios, que não deve nada a Deus. Bom, talvez ele creia que deve a Deus a criação, mas será? Há quem acredite que é Deus...

Essa pessoa ainda disse que a santa deve ter dito isso quando era jovenzinha, inexperiente. Ou seja, que ela não sabia o que estava dizendo! Veja o orgulho da criatura! Ela se acha mais que Santa Teresa, uma das maiores santas da Igreja! Misericórdia Senhor!

Eu nem me lembro o que respondi, mas nem adianta discutir com eles, pois sofrem de cegueira espiritual. Só posso mesmo rezar! Até que eu tento de alguma forma alertar as pessoas sobre as ilusões das pseudo-doutrinas com as quais estão envolvidas, e, fora isso, o que mais podemos fazer nessa época triste na qual as mentes andam fora dos trilhos? Rezar, rezar e rezar mais um pouco!

Nossa Senhora da Santa Esperança, convertei-nos!