terça-feira, março 20, 2012

O choro dos pingos de chuva



Há dias em que até parece que o céu chora junto conosco ou que chora o que não podemos chorar.

Olho a janela repleta de pingos de chuva, num dia cinzento em pleno verão, e de certa forma tenho algum conforto, pois o aperto em meu coração que quer ser traduzido em lágrimas - mas que é impedido pelas circunstâncias - encontra nos pingos de chuva uma forma de choro, um choro celeste, de pura empatia. E é como se as asas do meu Anjo batessem levemente em minha cabeça enquanto ele repete: “Paciência criança! Tenha calma, pois nesse mundo as coisas são assim mesmo. Espere em Deus, pois as tristezas um dia terão fim.”

A chuva cai, lavando as ruas. Meu coração apertado pede abrigo. As pessoas passam sem perceber. Mas Deus está comigo.