terça-feira, abril 10, 2012

Imoralidade e cegueira




Não diversamente dos demais cristãos, também as pessoas dotadas simplesmente de honestidade e de bom-senso natural se admiram e aterram à vista da crescente maré de imoralidade que, embora estes últimos tempos já sejam extraordinariamente graves, ainda ameaça submergir a sociedade. Ninguém hesita em reconhecer como causa particular as publicações licenciosas e os espetáculos desonestos, que se apresentam aos olhos e aos ouvidos dos adolescentes e dos homens maduros, dos jovens e dos velhos, das mães e das crianças. Que dizer então da arte, da moda, dos costumes públicos e privados, masculinos e femininos? Difícil crer a que grau de corrupção moral não titubearam em descer determinados autores, editores, artistas, empreendedores e divulgadores de semelhantes obras literárias e dramáticas, artísticas e cênicas, convertendo o uso da pena e da arte, do progresso industrial e das admiráveis invenções modernas em meios, armas e lisonjas para a imoralidade. Escritos e obras, indignos da honra das letras e das artes, encontram leitores e espectadores aos milhares. E vós vedes adolescentes atirarem-se a tal alimento, para a mente e para os olhos, com toda a fúria das paixões que se acordam, vedes progenitores levarem e conduzirem consigo, a tão tristes cenas, meninos e meninas, em cujos tenros corações e em cujas pupilas se imprimem assim, em troca de inocentes e santas visões, fatais imagens e ânsias, que muitas vezes não mais se desvanecerão.” (Papa Pio XII. Discurso às mulheres católicas em 20 de fevereiro de 1942. Grifos meus).


Lá na década de 40 o Papa já reclamava da indecência que vinha tomando conta dos meios de comunicação, da arte. O que será que ele diria hoje então?

É incrível como mesmo assim - mesmo com tantos enxergando a devassidão reinante na mídia atual, mesmo com gente que nem é católica reclamando da imoralidade da TV, das revistas, dos meios de comunicação e das artes em geral – ainda haja católicos que defendem a televisão, por exemplo. Católicos que assistem  novelas de redes de TV que vivem denegrindo a imagem da Igreja. Católicos que assistem programas de baixaria, tais como o famoso e nojento BBB. Católicos que se misturam à podridão do Carnaval atual, e outros ainda que assistem aos blasfemos e indecentes desfiles des escolas de samba, escolas estas patrocinadas pelo narcotráfico.

Como essa gente consegue dormir em paz? Como suas consciências não gritam? Como não sentem vergonha ao dar audiência a programas repletos de imoralidade, cultura de morte e até mesmo blasfêmias? Não tem medo do Dia do Juízo? Não tem medo que Deus os castigue por deixarem penetrar em seus lares tanta nojeira? Não temem que seus filhos estejam aprendendo todo tipo de erro através de tais programas? Não pensam que se deixassem de assistir tanto lixo teriam mais tempo para rezar o Terço, por exemplo?

Estamos numa tremenda crise, só os cegos não enxergam  isso. Mas o pior cego é aquele que não quer ver.


__________________________________________
Fonte do texto do Papa Pio XII: A Grande Guerra