quinta-feira, maio 31, 2012

O Espetáculo do Carimatismo "Católico” - Parte IV

Por John Vennari

Traduzido por Andrea Patricia*



Problemas com o pentecostalismo

Não há espaço para catalogar cada uma das atividades bizarras, já que há material suficiente na Convenção para uma grande obra de não ficção.

Da mesma forma, um tratamento completo dos variados e numerosos problemas teológicos desse movimento está além do escopo deste artigo. Além daquelas já mencionadas, algumas das dificuldades mais proeminentes com o Pentecostalismo "Católico" são:

1) Todo o movimento se baseia em um pecado contra a fé.

Há três pronunciamentos dogmáticos ex-cathedra (infalíveis) ensinando que fora da Igreja Católica não há salvação. No mais marcante dos pronunciamentos se lê: "A sacrossanta Igreja Romana, fundada pela voz do nosso Senhor e Salvador, crê firmemente, professa e prega... e proclama que aqueles que não estão vivendo na Igreja Católica, não só pagãos, mas também judeus e hereges e cismáticos não podem se tornar participantes da vida eterna, mas irão "para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos” [Mat. 25,41], a menos que antes do final de suas vidas tenham sido adicionados ao rebanho... E que ninguém, não importa as doações que ele tenha feito, mesmo que ele derrame o seu sangue pelo nome de Cristo, pode ser salvo a menos que tenha permanecido no seio e na unidade da Igreja Católica" (1).

Em perfeita continuidade com esses ensinamentos infalíveis, a teologia moral Católica tradicional, aqui resumida pelo Bispo Louis LaRavoire Morrow, STD, sustenta que "um Católico peca contra a fé Católica, tomando parte em cultos não-Católicos, porque ele, assim, professa a crença em uma religião que ele sabe ser falsa" (2).

No entanto, pela admissão do pioneiro Carismático Católico, Kevin Ranaghan, o movimento começou com os Católicos realizando o ritual grotesco de buscar uma transfusão de sangue espiritual do cadáver do Protestantismo, e proclamando que Deus "encheu-os a ponto de transbordar com o espírito" por fazerem isso. Tal colaboração e "busca da santidade do Espírito Santo" a partir de hereges anatematizados (qual protestante iria sobreviver aos anátemas do Concílio de Trento?) não pode ser um movimento religioso verdadeiramente de Deus.


2) É um movimento fundado em princípios condenados pelo Papa Pio XI e o Papa Pio XII

Tanto o Papa Pio XI quanto Pio XII (baseando sua doutrina sobre a imutável tradição da Igreja, em vez das novidades progressistas dos teólogos liberais) alertaram contra os perigos da atividade inter-religiosa.

Pio XI em Mortalium Animos ensinou que, apesar de São João ter relatado a Oração de Nosso Senhor "que todos sejam um", bem como o mandamento de Cristo "amar uns aos outros", não obstante (São João) proibiu qualquer relação com aqueles que professavam uma forma mutilada e corrompida do ensinamento de Cristo: "Se qualquer homem vem até você, e não traz esta doutrina, não o recebais em tua casa, nem lhe diga: Deus te abençoe".

O Papa Pio XI puniu ainda mais projetos inter-religiosos, afirmando: “... É claro que a Sé Apostólica não pode de maneira nenhuma tomar parte nessas assembleias, nem é de qualquer forma lícito para os Católicos, dar a essas empresas o seu incentivo ou apoio. Se eles fizessem isso, estariam apoiando um falso Cristianismo completamente estranho à única Igreja de Cristo" (3).

No entanto, como já mencionado, o Pentecostalismo Católico é o produto de tais empreendimentos proibidos.

Além disso, o Papa Pio XII, em sua Instrução de 1949 sobre o Ecumenismo ensinou que, se tiver que haver qualquer intercâmbio entre Católicos e não-Católicos (exclusivamente para o interesse de converter os não-Católicos a Fé verdadeira), toda a atividade deve ser guiada pela verdade de que "a Igreja Católica possui a plenitude de Cristo", isto é, não necessita de adquirir coisas de outras denominações para fazer um Cristianismo (4).

O Pentecostalismo Católico "necessita adquirir" uma simulação de um sacramento de uma falsa religião (o batismo no espírito) para seu ímpeto. Por isso, atua em altivo desdém das diretivas tradicionais de Pio XII.

3) Favorece o indiferentismo religioso

Como já observado, o movimento nasceu através da colaboração ilegal com o Protestantismo. Por este dia, o fundador Kevin Ranaghan ainda "louva a Deus pelos pentecostais dos velhos tempos", e fala de grupos dissidentes protestantes como a "Bênção de Toronto", como movimentos genuínos do Espírito Santo.

Além disso, entre os fornecedores nesta Conferência do 30 º Aniversário, duas organizações protestantes estavam representadas. Destiny Image Publications, um "ministério" não denominacional que produz literatura revivalista exibindo uma completa seleção de livros para venda, incluindo aqueles que promovem a "Bênção de Toronto". Revista Charisma, uma publicação protestante, apregoa seu jornal às multidões com a promessa de que "a partir do próximo mês, cada edição da nossa revista Carismática irá conter um suplemento Católico". Na verdade, Pentecostalismo e ecumenismo se alimentam mutuamente, uma vez que a aceitação de Pentecostalismo depende do reconhecimento do Protestantismo como uma outra forma válida de Cristianismo.

Em 1864, o Venerável Papa Pio IX, em perfeita continuidade com os imutável dogmas dos séculos, ensinou em seu marco Syllabus de Erros que "É UM ERRO acreditar que o Protestantismo é nada mais do que outra forma da verdadeira religião cristã... "(5) Como deveria ser óbvio por agora, o Pentecostalismo Católico está imerso neste erro em sua origem e prática.

4) O crescimento contínuo do movimento parece depender da ausência da Missa Tridentina

O movimento "Carismático Católico" começou enquanto a Missa Tridentina Latina estava em declínio e o estilo protestante Novus Ordo emergente - uma nova liturgia historicamente provada como sendo favorável à experimentação e improvisação.

As aberrações litúrgicas tratadas nesse artigo não poderiam ter lugar dentro da Missa Tridentina Latina. O Cardeal Ottaviani observou que a Missa Tridentina Latina em alinhamento com o ensino dogmático do Concílio de Trento era uma barreira intransponível contra a heresia (6). Não é razoável especular que está implícito no Pentecostalismo Católico a noção errônea de que a Missa Tridentina em latim era um obstáculo ao trabalho do Espírito Santo, uma vez que pode ter ficado no caminho do "desencadear poderoso do Espírito" Pentecostal em todo o mundo.

5) Praticamente ignora o ensinamento Católico sobre o discernimento dos espíritos

Embora este ponto já tenha sido coberto, deve ser ainda notado que o Pentecostalismo encoraja fenômenos extraordinários como "profecias" e "falar em línguas". No entanto, o grande escritor místico e doutor da Igreja, São João da Cruz, alertou que as almas devem fugir de procurar tais manifestações. O que este grande santo disse das revelações privadas aplica-se igualmente a todos os fenômenos: "Onde o diabo habitualmente se mete tão livremente [no fenômeno extraordinário] que eu acredito que seja impossível que um homem não seja enganado por ele, a menos que se esforce para rejeitá-lo, tal é a aparência de verdade e de segurança que o diabo dá a ele (7).

Além disso, Mons. Knox escreveu que "falar em línguas que nunca foram aprendidas era, e é, um sintoma reconhecido em casos de alegada possessão diabólica" (8). Expor-se livremente à tais perigos beira a loucura.

6) Ele tem uma notável semelhança com o movimento ocultista Nova Era em três maneiras:

  a) É um movimento pan-denominacional com um princípio não-Católico como seu fator de unificação, neste caso, o "batismo no espírito".
  b) É uma religião da experiência. Carismáticos nunca fornecem uma explicação teológica satisfatória do "batismo no espírito", mas enfatizam que é algo que deve ser experimentado. Isto espelha tendências Nova Era.
  c) Ele zomba de qualquer doutrina Católica tradicional que está em oposição a ele.

Assim, os problemas com "Pentecostalismo Católico" são verdadeiros e graves, e não podem ser preteridos levemente, ou rejeitados como ridículos, apelando a uma nova "tradição viva" que de repente abençoa o que a Igreja sempre condenou.

O Credo Atanasiano determina "Quem quiser ser salvo antes de tudo, é necessário que mantenha a Fé Católica; a menos que a preserve integral e inviolada, sem dúvida, ele irá perecer na eternidade". À luz do ensino tradicional da Igreja, pode-se firmemente argumentar que a buscar o envolvimento com a mistura selvagem da verdade e do erro do Pentecostalismo-Católico, bem como a sua prática heterodoxa, é pôr em perigo a Fé imprudentemente.

Um povo conquistado

O historiador Católico Dr. John Rao observou que ao longo da história, o povo conquistado, muitas vezes, assumia as características de seus conquistadores (9). Uma descrição mais apropriada do "Pentecostalismo-Católico" não poderia ser formulada. Os carismáticos são um povo conquistado, que abandonaram sua inestimável herança dada por Deus, ao dançar sobre os túmulos de seus Antepassados Católicos na imitação irrefletida da prática protestante (10)

O pentecostalismo e o ecumenismo que estão atualmente captando a nossa Santa Igreja poderiam ser apelidados de "Conquista de Lutero". Não é apenas o nosso dever resistir a isso, mas também implorar o Céu, em favor do "Carismático Católico", que ora com as mãos no ar e seu pé na garganta da doutrina e prática tradicional Católica.


*Quarta e última parte do artigo 1- O Espetáculo do Carimatismo 'Católico'. Veja as outras partes: I, II, III.

Original aqui.
_________________________
Notas:
1) Papa Eugenio IV, Exbulla, "Cantate Domino", 04 de fevereiro de 1441.
2) Reverendíssimo Louis LaRavoire Morrow, STD, Bispo de Krishnagar, My Catholic Faith, (publicado originalmente em 1949), p. 193.
3) O Papa Pio XI, Mortalium Animos, On Fostering True Religious Unity [Na promoção da unidade religiosa verdadeira], 6 de Jan., 1928.
4) "Instruções sobre o Movimento Ecumênico de Constantinopla", AAS, 31 de janeiro de 1950, cf. Romano Amerio, Iota Unum, (Sarto House, Kansas City, 1996), p. 549.
5) A citação completa da Proposição n. 18 lê-se que é um erro dizer que "o Protestantismo é nada mais do que uma outra forma da mesma verdadeira Religião cristã, sob cuja forma se pode agradar a Deus do mesmo modo como na Igreja Católica", o Syllabus de Erros do Papa Pio IX como está escrito em Dogmatic Canons and Decrees, Tan Books and Publishers, Rockford, IL.
6) A Intervenção Ottaviani, (Tan Books e editores, Rockford, IL), p. 27
7) São João da Cruz, Subida do Monte Carmelo, Capítulo 27.
8) Mons. Ronald Knox, Enthusiasm, (Oxford University Press, Oxford, 1950), p. 551.
9) Dr. John Rao, "Por que os Católicos não podem se defender" - Um discurso dado pelo Dr. John C. Rao (D. Phil, Oxford University, Professor Associado da História, Universidade de São João), por ocasião do primeiro aniversário do Instituto Dietrich von Hildebrand, 18 de fevereiro de 1993, e impresso no livro Americanism and the Collapse of the Church in the United States  [Americanismo e o colapso da Igreja nos Estados Unidos], p. 42
10) Quando digo prática protestante, eu realmente quero dizer prática protestante-pentecostal, pois eu conheço muitos protestantes sóbrios que nunca iriam a qualquer lugar perto do Pentecostalismo.