quarta-feira, julho 11, 2012

Aos católicos estarrecidos

vida
Um comentário forte, lúcido, para ser meditado. Feito por Bruno Luís de Santana, em 2 de julho de 2012, no Fratres in Unum. Leia e reflita:

Caros católicos estarrecidos do Fratres:
Vocês dizem não conseguir entender o papa, dizem não conseguir compreender os seus critérios. Vocês se escandalizam porque o papa deu um golpe no prego (nomeando Di Noia) e outro na ferradura (nomeando o arcebispo Muller), dando-lhes um banho de água gelada em plena segunda-feira, para acordá-los e chamá-los para a triste realidade.
Vocês provavelmente são os mesmos que querem a FSSPX com as armas entregues ao mesmo Bento XVI, para fazer dela o que bem lhe aprouver.
Bem, então minha pergunta a vocês, estarrecidos com o estilo Bento XVI de governar é a seguinte:
Vocês não entendem a linha do papa, ou vocês NÃO QUEREM ENTENDER?
A nomeação de Gherard Ludwig Muller para contrabalançar Di Noia segue um estilo que é a MARCA REGISTRADA do atual pontífice.
Ou vocês fingem que esquecem que ele tirou, por exemplo, o ultra liberal Daneels de Bruxelas e colocou o conservador Dom André-Joseph Leonard?
E que tirou em Recife o conservador D. Sobrinho, e colocou em seu lugar o liberal Dom Antônio Fernando Saburido?
Bento XVI é extremamente coerente, é extremamente preciso no seu modo de governar a Igreja. Chega a ser previsível. Toda vez que ele faz algo pró-tradição, é praticamente certo que o modernismo será compensado de alguma forma.
Será que sete repetitivos anos não bastam para vocês enxergarem tudo isso?
Infelizmente basta sim. Vocês construiram um sistema, inventaram um papa que não existe, desejam tão fortemente que o panorama atual seja revertido, que criaram uma realidade paralela, onde a vontade é superior à realidade.
Bento XVI é como um cocheiro que conduz dois cavalos: a Tradição e o modernismo. Quando um avança demais, ele puxa a rédea para o primeiro cavalo andar sempre no mesmo ritmo que o outro, e vice-versa.
E assim ele conduz ambos para um caminho que nenhum dos dois deseja: o da hermeneutica da continuidade.
Há sete anos Bento XVI conduz a igreja em direção a esta terceira via, mas vocês se recusam a aceitar isso. Se recusam que o modernismo para Bento XVI é tão precioso quanto a Tradição, pois são as matérias primas que ele precisa para formar seu híbrido.
Nós merecemos um papa assim, porque a humanidade já ultrapassou os limites do absurdo, em termos de ofensas a Deus. Na verdade, Deus está send[o] misericordioso, porque deveria ser muito pior.
Vocês querem que a FSSPX dê um salto no escuro. Ao mesmo tempo Bento XVI prova com atos que sua intenção não é a de restaurar, mas a de recriar.
Mas, que estou dizendo? Não adianta argumentar a quem se obstina a uma realidade idealizada.
Pois então, desejo que vocês se estarreçam por muito tempo, como punição por suas recusas a encarar fatos como este, em plena manhã de segunda.
Vão chorar na cama que é lugar quente. Depois usem – para justificarem a cegueira – que se não for feito acordo, certamente nunca mais haverá um papa bom, e nunca mais haverá acordo, não é mesmo, homens de pouca fé?