terça-feira, julho 10, 2012

As Irmãs que incomodam o mundo...

...ou o mundo que não suporta os católicos.



vida
Quando li a matéria do Campo Grande News sobre as Escravas de Maria publicada no SPES, postada com imagens no blog A Grande Guerra , eu me lembrei de alguns episódios ocorridos em família. Fiquei pensando em como o mundo fica incomodado com aquilo que é católico, sobre como o cristão é diferente do mundo, principalmente hoje em dia nessa época de grande decadência religiosa, filosófica, cultura, moral...e bota decadência nisso!


Basta você contestar que casamento é sacramento e não um casal de namorados morando junto, ou que um relógio é um relógio e pronto – e não uma nave espacial ou um sapato Prada – e eis que logo você será tachado de radical. Sim, ver a realidade e tentar viver de acordo com a Verdade é mesmo algo radical, pois vai até a raiz das questões mais importantes para o ser humano: “De onde vim? Para onde vou? Quem eu sou?”... e tais questões somente são respondidas de fato através da religião, e religião de fato é a Católica, então...  
É interessante como tentar provar que um relógio é um relógio apenas, ou que um casal de namorados que vive junto não é casado, é visto hoje como fanatismo ou no máximo com alguma condescendência por parte do relativista que repete do alto de sua arrogância: “é a sua verdade”, “cada um na sua”, “o que importa é ser feliz”. Esse mundo enlouqueceu ou não? Eles dizem nom serviam, dizem isso o tempo todo e nós católicos é que somos doidos? Oh My!


Na reportagem esse trecho é bem interessante (grifos meus):
“Antes de ir embora, a irmã entrega um folheto, com os ensinamentos da Escravas de Maria. Ao ler percebo que pode ser difícil encontrar fiéis dispostos ao levar as regras ao pé da letra.
As orientações são para não cultivar “namoros por passatempo”, fugir de “leituras” pecaminosas, do “mau cinema e do mau teatro”. Também é importante, na avaliação das irmãs, “fugir das ocasiões”, como “bailes perigosos e conversas em lugares retirados com os rapazes”.”

Reparem que as orientações das Irmãs são puramente católicas. Mas o mundo esqueceu – ou não quer saber – do que é católico. Quem quer saber sobre pureza atualmente? Pura hoje em dia só a água (ecologia está na moda, não é?), não a alma.
Atualmente repetir o ensino da Igreja e dizer o óbvio é travar um combate. Por isso admiro gente que batalha, que rema contra a maré, a favor de Cristo e de Sua Santa Igreja.
Parabéns às Irmãs Escravas de Maria! Que continuem incomodando muito esse mundo que se esqueceu de Deus.