segunda-feira, novembro 05, 2012

Princípios de um governo tirânico-maquiavélico




Um pequeno texto com os princípios básicos para tiranizar. Leia com atenção e veja como isso está sendo aplicado hoje até mesmo dentro da Igreja, dentro da Tradição.

Quem tiver olhos de ver, que veja.

***

  •  Princípio da simplificação e do inimigo único. Adotar uma única ideia, um único símbolo, identificar o inimigo em um único inimigo.
  •  Princípio do método de contágio. Reunir vários adversários em uma só categoria ou indivíduo; Os adversários devem se tornar uma soma individualizada.
  • Princípio da transposição. Carregar o adversário com os próprios erros ou defeitos, respondendo o ataque com ataque. "Se você não pode negar as más notícias, invente outras que as distraiam".
  • Princípio do exagero e da desfiguração. Converter qualquer anedota, ainda que pequena, em grave ameaça.
  • Princípio da vulgarização. "Toda propaganda deve ser popular, adaptando seu nível ao menos inteligente dos indivíduos a quem ela é dirigida. Quanto maior for a massa a convencer, menor deve ser o esforço mental a realizar. A capacidade receptiva das massas é limitada e sua compreensão é escassa; além do mais, elas têm grande facilidade em esquecer".
  • Princípio da orquestração. "A propaganda deve limitar-se a um pequeno número de ideias e repeti-las incansavelmente, apresentadas de novo e de novo a partir de diferentes perspectivas, mas sempre convergindo sobre o mesmo conceito, sem fissuras ou dúvidas". A partir daí vem a famosa frase: "Se uma mentira é repetida o suficiente, acaba por tornar-se verdade".
  • Princípio da renovação. Há que se emitir constantemente novas informações e argumentos com uma velocidade tal que, quando o adversário responder, o público esteja interessado em outra coisa. As respostas do adversário nunca poderão contrariar o nível crescente de acusações.
  • Princípio da verossimilhança. Construir argumentos a partir de fontes diversas, através dos chamados balões meteorológicos ou informações fragmentárias.
  • Princípio de silenciamento. Silenciar sobre questões sobre as quais não se tem argumentos e dissimular as notícias que favorecem o adversário, também contraprogramando com a ajuda dos meios de comunicação afins.
  • Princípio da transfusão. Por regra geral, a propaganda funciona sempre a partir de um substrato preexistente, quer seja uma mitologia nacional ou um complexo de ódios e preconceitos costumeiros; trata-se de difundir argumentos que possam ter raízes em atitudes primitivas.
  • Princípio da unanimidade. Chegar a convencer muitas pessoas de que elas pensam "como todo mundo", criando a impressão de unanimidade.

Assinado por Goebbels, chefe da propaganda nazista, dois anos antes da ascensão de Hitler.
_______________________________
Fonte: SPES

Nota: Os grifos são do texto original.