quarta-feira, abril 25, 2012

Colégio São Bento e Santa Escolástica




Educação é algo tão importante! E como é bom saber que ainda existe gente interessada em educar verdadeiramente as crianças, com amor a Deus em primeiro lugar.
Você quer colaborar com a educação para crianças? Então ajude o Colégio São Bento e Santa Escolástica! Veja como ajudar, clicando aqui.


terça-feira, abril 24, 2012

Para aqueles que têm Fé...




"Para aqueles que tem fé, nenhuma explicação é necessária. Para aqueles sem fé, nenhuma explicação é possível." (Santo Tomás de Aquino)

 
Chega a dar um desânimo tentar falar para os que não querem enxergar, sobre Fé. Cansa ter que reafirmar o ponto de vista cristãos para os familiares que já deveriam estar “carecas de saber” que certas coisas não são adequadas ou lícitas para nós, cristãos.
Chega um ponto em que percebemos que as coisas são exatamente da forma como disse o Aquinate, na frase que começa essa postagem.

No mundo louco de hoje, precisamos ficar firmes na Fé e rezar, rezar...rezar sem parar, incansavelmente. É preciso ter esperança!

Mas nada disso faz com que eu deixe de ter esperanças na conversão deles. Rezo todo dia, várias vezes ao dia, pedindo a Deus misericórdia.

quinta-feira, abril 19, 2012

Comunismo e a evolução dos "erros da Rússia" - Parte I

Por Solange Hertz
Traduzido por Andrea Patrícia*




Nossa Senhora advertiu sobre os erros da Rússia que se espalhariam pelo mundo



Uma geração completa antes do Vaticano II, as técnicas deste assim chamado Concílio "pastoral" recomendadas para atualizar a Igreja já haviam sido aperfeiçoadas por comunistas que trabalham na Igreja na China. Lá foi mostrado como o dialogante "clube de estudo" poderia ser gradualmente transformado no "conselho paroquial" [pastorais], que assumiria a direção da paróquia e, eventualmente, a diocese inteira.


_________________________________
Nota do Editor: O seguinte artigo foi escrito pela Sra. Hertz alguns anos antes que a alegada "queda do Comunismo" fosse anunciada pelos heróis da Glasnost e da Perestroika. Como a Sra. Hertz, explica, a filosofia de Marx sempre dependeu da fomentação de constante mudança e evolução. Hoje, o Comunismo não está "morto", e sim desenvolvendo-se para sua próxima fase. A retrospectiva seguinte vê o Comunismo como ele se manifestou durante a Guerra Fria, portanto, é bastante revelador, já que a rápida espiral descendente do nosso mundo e nossa Igreja para o caos sem Deus é uma conseqüência direta do triunfo do ateísmo, a pedra fundamental do Comunismo. De fato, os "erros da Rússia" já se espalharam pelo mundo inteiro - o cisma ortodoxo não diminuiu nem um pouco e o Comunismo ateu vive a céu aberto no país mais povoado do mundo e, em qualquer outro lugar, se transformou "doutrinariamente" e "filosoficamente" na própria alma da Nova Ordem Mundial. O artigo da Sra. Hertz, então, é talvez hoje mais oportuno do que era quando foi escrito, há uns 25 anos atrás.

MJM
________________________________

Como você faz para que um gato coma pimenta? Essa questão, um clássico em manuais de formação Marxista, abre um exercício de técnica revolucionária. A resposta, para a qual o aluno é conduzido pela lógica e pela experiência comum, explica como o Comunismo foi capaz de tomar o comando de mais de um terço do mundo, sem oposição séria.

Como fazer um gato comer pimenta, um condimento desagradável para ele, como a doutrina Marxista é para a natureza humana saudável? A primeira resposta a apresentar-se, diz a cartilha, é óbvia: abrir à força a boca do gato e empurrar a pimenta dentro.

Errado, é dito ao aluno, porque falta a cooperação voluntária do gato. A segunda resposta - esconder a pimenta em um peixe saboroso - é igualmente inadequada, porque assim que o gato detecta a pimenta ele simplesmente a regurgita.

A resposta correta: salpique a pimenta em todo tapete do gato. Quando o animal deitar-se sobre ele, a pimenta vai se agarrar à sua pele e pinicar, fazendo com que ele em breve esteja lambendo-se para tirá-la. Esse método assegura a perfeita assimilação porque (1) o gato está realmente ingerindo, (2) inteiramente por sua própria iniciativa, (3) e uma iniciativa completamente condicionada, (4) a pimenta, que ele odeia.

Pio XI, com efeito, descreveu este estratagema do gato e da pimenta em sua encíclica Divini Redemptoris, promulgada na festa de São José, em 1937: "O comunista aproveita a presente crise mundial econômica", que ele fomenta "para atrair para a esfera de sua influência até mesmo aqueles setores da população que, por princípio, rejeitam todas as formas de materialismo e terrorismo... Os pregadores do Comunismo também são proficientes em explorar o antagonismo racial e as divisões políticas...”.

Ele exerce "uma propaganda tão verdadeiramente diabólica que o mundo talvez nunca tenha testemunhado isso antes. É emanada a partir de um centro comum. É astutamente adaptada às condições variadas de diversos povos. Tem à sua disposição enormes recursos financeiros, organizações gigantescas, congressos internacionais e inúmeros trabalhadores treinados. Ele faz uso de panfletos e comentários de cinema, teatro e rádio, de escolas e universidades" - uma lista à qual deve agora ser acrescentada televisão e até as nossas próprias igrejas. "Pouco a pouco penetra em todas as classes do povo e atinge até mesmo os melhores grupos da comunidade, e poucos se encontram cientes do veneno que permeia cada vez mais as suas mentes e corações".

Assim funciona o mistério da iniqüidade do nosso tempo, polvilhar a sua pimenta em todos os lugares. Por sua própria admissão que emprega uma técnica simples de tentação que o diabo usou pela primeira vez com Eva no início da Revolução no Éden. Ele ensina a seus seguidores o mesmo tipo de judô espiritual, em que os adversários são levados a usar sua própria honestidade e força contra si mesmos, assim como o pobre gato é atraído para comer pimenta através de sua forte aversão por ela.

Irremediavelmente caído da graça, Satanás tem apenas meios naturais à sua disposição para efetuar a destruição sobrenatural, mas ele usa isso com estratagema transcendente. Embora, mesmo em casos de possessão, ele não possa agir diretamente sobre a vontade humana, ele pode solicitar de inúmeras maneiras, a partir do exterior, cortejar a sua cooperação através do seu desejo para o bem.

"Eu tenho ido ao redor da terra, e passeado por ela", diz ele no livro de Jó (2,2) expondo a fonte de seu conhecimento. Sua inteligência superior compreende a nossa natureza terrena muito melhor do que nós, e ele se vira contra nós com grande habilidade. Quanto mais rica a nossa natureza, mais ele tem que trabalhar. Apesar de todos os seus dons sobrenaturais, ele capturou o consentimento de Eva, apelando aos seus desejos naturais para o que é "bom para comer, e belo aos olhos e delicioso de se contemplar" (Gn 3,6), mais tarde tentou o Filho do Homem nas mesmas três maneiras no deserto, através do que a ascética chama a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba de vida. Pelo enfraquecimento da vontade e interrompendo o julgamento, o pecado original tornou o nosso bom apetite perigoso para nós.

Bem que São Paulo nos adverte que a nossa batalha aqui não é simplesmente contra carne e sangue, mas contra "os espíritos do mal, nos ares" (Efésios 6,12). Através das eras Satanás ensinou suas próprias técnicas para seus discípulos. Os Evangelhos revelam como, depois de seu fracasso com o Senhor no deserto, Satanás inspirou os judeus a continuar a subversão que ele tinha começado. Incitando nosso Senhor à revolução na forma de recusar os impostos de César, eles começaram habilmente a apelar para a sua integridade e amor pela justiça: "Mestre, sabemos que és um orador verdadeiro, e ensinas o caminho de Deus em verdade, não te preocupas tu com qualquer homem: porque tu não considera a aparência dos homens" (Mateus 22,16).

Mais tarde, nos Atos dos Apóstolos, vemos como judaizantes realizam a batalha na Igreja, por um tempo mesmo subvertem o nosso primeiro Papa. No século passado, descendentes desses judeus que rejeitaram Cristo - Marx, Engels, Heine, Lênin, Trotsky e seus incontáveis ajudantes desde então até hoje - forjaram um instrumento pelo qual todos os membros potenciais do reino de Cristo podem ser tentados como foi a sua Cabeça. Popularmente conhecido como o Comunismo, na verdade constitui uma tentação mundial em busca de engolir todo o mundo na revolução de Satanás contra Deus. Pelas avenidas das três concupiscências, toda a força da nossa natureza decaída pode agora ser canalizada e atirada contra toda a humanidade de uma só vez.

O Comunismo pode ser corretamente chamado de heresia judaica, por sua negação formal de uma vida além e da ordem sobrenatural, seu materialismo crasso e uma fé cega no messianismo temporal, que é essencialmente uma forma altamente desenvolvida de Saduceísmo. Os Evangelhos registram conversões ao Cristianismo entre os Fariseus, mas nunca entre os Saduceus. Sua heresia, agora lançada no atacado sobre o mundo, parece ser para a morte.

Ela excede em amplitude e violência qualquer coisa já experimentada nas perseguições anteriores lançadas contra a Igreja", disse Pio XI. "Povos inteiros se encontram em perigo de cair para trás em um barbarismo pior do que aquele que oprimiu a maior parte do mundo na vinda do Redentor."

"Como é possível", pergunta o Papa, "que tal sistema, há muito rejeitado e agora cientificamente provado errôneo pela experiência, pode se espalhar tão rapidamente em todas as partes do mundo?"

"A explicação", ele nos diz, "reside no fato de que muitos poucos de nós têm sido capazes de compreender a natureza do Comunismo".

Em seguida, também, como o Padre François Dufay apontou em Etoile contre la Croix, julgamos o Comunismo demasiado brandamente pela simples razão de que os comunistas são muito melhores do que a sua doutrina. Reconhecendo neles qualidades e virtudes derivadas da lei natural, que permanecem em todos nós, apesar da queda, nós atribuímos essas ao Comunismo. O inverso é verdadeiro com os Cristãos, que sempre ficam mal quando julgados em comparação com o Cristianismo, uma doutrina tão sublime que nunca pode ser vivida completamente. Olhando para os Cristãos, pensamos que o Cristianismo tem defeitos; olhando para os comunistas, achamos que o Comunismo não é tão ruim.

"Irmãos", implora São Paulo, "não sejam crianças no pensamento, mas em malícia sejam crianças e no pensamento sejam maduros!" (I Coríntios. 14,20). Não há nada de Cristão em ser estúpido. "Sejam prudente como as serpentes", ordenou Nosso Senhor (Mt 10,16).

O Comunismo tem sido tragicamente subestimado por aqueles que não fazem esforço mental para entendê-lo. Para a maioria, um comunista é pouco mais do que um detestável organizador de greves irritantes. Até mesmo aqueles que aceitam as palavras de Pio XI de ele que é "intrinsecamente perverso", mesmo que frequentemente não o veja meramente como uma força que os priva de seus bens arduamente ganhos, lambem a sua propaganda apimentada.

Na verdade o Comunismo sóbrio fornece uma explicação detalhada de toda a realidade, voltada para satisfazer o intelecto mais penetrante. A prova é evidente, ele conquistou algumas das melhores mentes da Igreja. Não mera ideologia, e muito menos uma plataforma política, o Comunismo é toda uma filosofia, uma teologia, uma mística. Tem seus Tomás de Aquinos, S. Paulos, S. Joões da Cruz. Seu "Redentor" que propõe a própria humanidade! Como nosso Senhor previu, serão "muitos" que "virão em meu nome dizendo: Eu sou o Cristo... e eles enganarão a muitos" (Mateus 24,5).

Seu desenvolvimento histórico, além disso, revela especificamente um caráter anti-trinitário apocalíptico que até agora vem chegando ao termo. Tentando o homem totalmente através das três concupiscências para alimentos, glória e poder, como Satanás fez com nosso Senhor, ele assalta por sua vez as três faculdades humanas que constituem a imagem da Trindade divina na alma humana: o intelecto, a mente ou "memória", e a vontade. Esta trindade interior, por cujo intercâmbio o homem vive como um ser humano, é análoga à do Pai, do Filho e do Espírito Santo na divindade.

O Comunismo nos confronta, portanto, com uma "trindade" própria: Marx, Lênin e Mao.

I. Marx

Aceito em geral como o Pai do Comunismo, Karl Marx desempenha o papel de criador e fonte da qual todo o movimento flui. Um teórico que pouco tomou parte ativa em eventos revolucionários, ele lançou as linhas principais de uma tentação direta e mortal direcionada principalmente ao intelecto. A esta faculdade, que reflete especificamente Deus, o Pai no homem, e é projetada para se alimentar da verdade, Marx iria oferecer pedras como alimento. Ele propôs o erro satânico chamado materialismo dialético, cujas inexoráveis leis existem para regular toda a filosofia, sociologia e economia.

Ler Marx é o mesmo que ouvir Satanás se gabar em Isaías: "Eu subirei ao céu, vou exaltar o meu trono acima das estrelas de Deus, vou sentar-me no monte da aliança, nos lados do norte. Subirei acima da altura das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo "(Is. 14,13-14). Ele vai explicar tudo.

Como uma tentação oferecida especificamente para o intelecto, o materialismo dialético, necessariamente se opõe à virtude teologal da fé - sem a qual ninguém pode agradar a Deus (Hebreus 11,6). Fingindo iluminar o pensamento do homem, ele irá mergulhá-lo nas trevas. Aceitar seus princípios é negar diretamente a Deus, na medida em que eles afirmam que a história humana é produzida por forças cegas existentes na matéria, e não pela direção da Divina Providência. Em outras palavras, a matéria criou-se, eventualmente, evoluiu para o ponto onde ela começou a pensar, e se fez homem. A definição Marxista do homem - emprestada, aliás, de Benjamin Franklin, a quem Marx admirava - é um animal que pensa.

Ao leitor é implorado que suporte pacientemente os próximos parágrafos, que podem não ser uma leitura fácil, mas eles são essenciais para explicar o Comunismo como o produto final de uma longa cadeia de falsas filosofias:

1. A noção de Marx do materialismo como "dinâmico" era na verdade uma adaptação do materialismo "metafísico" do filósofo alemão Feuerbach, onde Marx substituiu Deus pela ciência como reveladora do universo. Com Marx, o homem deixou de receber diretrizes morais de uma força fora do mundo, e passou a receber da ciência, que surge a partir do próprio mundo, e cuja origem, natureza e direção ela gradualmente explica.

Isto significa que não pode haver moralidade fora da matéria, e na medida em que a matéria está, obviamente, em fluxo constante, os atos humanos só podem variar junto com ela. O homem não precisa mais entrar em sintonia com um Deus arbitrário e Seus mandamentos, mas deve alinhar suas ações à matéria em desenvolvimento, de aggiornamento [atualização] perpétuo ou "ética de situação".

2. A dialética de Marx foi derivada de Hegel, para quem a "alma do mundo" engendrou a matéria. É simplesmente a inversão do processo, Marx postulou que a matéria de fato engendrou o espírito - aliás também gerando a "Noosfera" do Pe. Teilhard de Chardin e outros absurdos relacionados, então leitura básica em Moscou. É verdade que Hegel identificou razão e "idéia", pensamento e ser, mas com ele o princípio universal ainda era espiritual. Não é assim com Marx, para quem a matéria gera o pensamento.

Hegel ensinou que, além disso, a "idéia" se move em três (agora bem divulgadas) sequências: tese, antítese e síntese, que Marx adotou em seu sistema, mas para ele a "idéia" é sempre apenas matéria.

3. A matéria em movimento através desses três grupos é o materialismo dialético, a matéria através de esforços produz o espírito - e a história. Materialismo e dialética são os dois pólos da heresia global, com a qual o mundo está agora tão bem apimentado que o Papa Paulo VI, Bispo de Roma, falou até mesmo da Igreja como em "evolução".

Na dialética pende mudança, a constante mudança das relações das coisas em si e com os outros. Por exemplo, uma maçã pode ser uma semente, uma flor, uma maçã verde, uma maçã madura, ou podre e distribuindo suas sementes para fazer mais maçãs. A maçã está constantemente "vindo a ser". Quando este princípio que ocorre na matéria é aplicado a toda a natureza e seres, temos constante transição e movimento, aparecimentos e desaparecimentos, em todas as ordens da realidade. Nada pode ser definitivo ou absoluto, o que significa, em última análise, que nada pode ser sagrado porque não vai ficar parado o tempo suficiente!

Para o Marxista, este fluxo universal é governado por quatro chamadas "leis":

1. Autodinamismo, ou constante mudança auto-gerada, seja em homens ou maçãs.

2. Interdependência, em que essas mudanças atuam umas sobre as outras, mas sem ciclos fechados, porque o movimento está em aberto, como na maçã que liberta as suas sementes. Isso produz a espiral ascendente pela qual a matéria prossegue no tempo, constituindo o "progresso" (para o Marxista qualquer mudança é sempre para cima e para melhor).

3. Contradição. Tudo em si mesmo contém o seu contrário, um princípio de afirmação, bem como a negação: a vida gera a morte, a morte, vida. A maçã apodrece para que as maçãs novas possam vir. Essa batalha dos contrários garante desenvolvimento.

4. Finalmente, ocorre no processo um "salto" explosivo, em que mudanças quantitativas tornam-se qualitativas, da mesma forma que o oxigênio e hidrogênio juntos produzem água, que é qualitativamente diferente dos dois componentes. A mudança é brusca, mas longa na preparação. Essencialmente, essa é a analogia que Darwin e Lysenko aplicaram falsamente à biologia.

Um exemplo clássico oferecido é o da água que está sendo transformada em vapor, ou gelo, dependendo da quantidade de calor presente. A tendência da água para permanecer como está - tese. Sua tendência a evaporar (ou congelar) antítese. Estas duas forças internas contraditórias tornam seu equilíbrio precário, e torna-se mais precário por mudanças de temperatura. Chegou ao ponto de ruptura, onde a água ferve (ou congela), um "salto" súbito ocorre, vapor (ou gelo) - síntese.

Tudo isso pode ser verdade o suficiente no plano puramente material, mas quando aplicamos essas leis para as formas superiores, o erro é monstruoso. Se a matéria é de fato a primeira na ordem da realidade, então o pensamento humano torna-se simplesmente o resultado de mudanças qualitativas na matéria. Assim que o cérebro material evoluiu, a matéria começou a pensar, pois de acordo com Engels, o cérebro é "o órgão que produz o pensamento." Ele não negaria que o espírito existe, mas isso é apenas uma questão de se ver. A evolução sobre a qual ouvimos tanto, portanto, seria só a história que a matéria dialogante vem realizando ao longo dos tempos, lentamente, passando de uma fase para outra por meio de resoluções repentinas de seus conflitos. A inteligência humana é meramente um limite, o cosmos como o conhecemos apenas o estágio que a matéria alcançou no presente.

A aplicação das quatro "leis" para a sociedade humana significa desastre. O autodinamismo explica o progresso da humanidade da escravidão para a servidão, do feudalismo para a burguesia, para o capitalismo, e então para o socialismo através do qual o "proletariado" antitético agora está sendo produzido (esse ponto de vista da história é poderosamente retratado em mosaicos da Universidade do México e nas obras do artista mexicano comunista Diego Rivera).

Os fenômenos sociais são também interdependentes, condições econômicas agindo sobre as condições sociais e produzindo certos tipos de política, religião, arte, música, etc., cada fator sendo simultaneamente causa e efeito. A contradição entra em jogo porque, de acordo com Marx, estruturas sociais repousam sobre a situação econômica. Acreditando que a economia depende inteiramente dos meios de produção, sendo sempre aperfeiçoada pela tecnologia, Marx previa a "luta de classes" como um desequilíbrio inevitável entre esses novos meios e as estruturas sociais que restaram da fase anterior. O capitalismo está condenado, não por seus pecados, mas porque os seus crescentes meios de produção colocam uma enorme força de trabalho coletiva contra a propriedade privada. Aqueles que possuem os meios de produção são, portanto, "exploradores" dos trabalhadores "explorados".

Devemos notar aqui que no Comunismo o trabalho ocupa o lugar do amor no reino de Cristo. O Cristianismo ensina que o ato próprio do homem é a união com Deus, mas para os comunistas é o trabalho - não trabalho pessoal, mas o trabalho coletivo, que é a própria essência da humanidade gerando a si mesma (Marx nunca fala de pessoas, mas apenas dos indivíduos nas "massas"). É o trabalho, além disso, que confere valor final sobre as coisas, enquanto que para o Cristão o valor é estimado de acordo com sua utilidade em ajudá-lo a chegar a Deus. O Marxismo não se preocupa absolutamente com a utilidade na fixação de valores.

Sociologicamente falando, o "salto" qualitativo é: revolução, gerada pelas tensões inatas que produzem o próximo estágio da sociedade. Embora os Marxistas defendam "reformas" por razões táticas, eles sustentam que a sociedade como tal não pode ser reformada. Ela só pode irromper em sua próxima fase.

Infelizmente, nem todo o raciocínio é falso. Na "dialética", por exemplo, o filósofo clássico reconhece facilmente os conceitos sagrados de "ato" e "potência". O que torna o Marxismo herético é a sua rejeição por atacado de todos e quaisquer fatores transcendentais, com a sua aplicação mecânica de analogias materiais, bastante verdadeiras em seu lugar, a planos mais elevados do ser. A Dialética, que descreve com precisão as tensões dolorosas de um ser humano buscando o seu fim próprio, é apenas uma palavra nova para uma idéia muito velha que agora está sendo mal aplicada.

Como Marx o vê, a identidade e o princípio de contradição no sentido clássico são totalmente eliminados. Onde tudo está em fluxo, qualquer número de postulados pode ser "verdadeiro". Existe apenas uma verdade absoluta no Marxismo, e isso é que tudo é relativo. Alguém poderia dizer que uma coisa não pode ser e não ser, mas o Marxismo diz que sim: em que ser é sempre resolver suas próprias contradições que estão por vir. Isso nunca "é" alguma coisa.

Dada uma tal doutrina, que leis podem permanecer? Quais votos podem obrigar? Estudá-la seriamente é deformar a inteligência criada para a verdade. Para colocá-la em prática, temos que chegar às obras de Lênin.

(continua)



_________________________________________
*Essa é a primeira parte de um artigo dividido em dois. A segunda parte está aqui.

Original aqui.


terça-feira, abril 17, 2012

Os queridos perdidos pelo mundo




Como é difícil ver aqueles que amamos perdidos pelo mundo. Parecem enlouquecidos, correndo atrás de quimeras, envoltos nas mais tristes ilusões, tentando ser felizes a qualquer custo, sem nem mesmo tentar entender que felicidade verdadeira só podemos ter em Cristo. 

Esse mundo é cheio de perigos, o Inimigo - que sabe até se disfarçar em Anjo de Luz - atrai as almas para si com facilidade, pois hoje quase todos pensam que podem sustentar a si mesmos, sem que precisem de Deus, sem que cumpram os mandamentos que Ele instituiu, sem que façam parte da Igreja que Ele criou.

Como dói ver que é tão fácil para eles levantarem-se cedo no domingo para ir à praia, mas se é para assistir Missa, ah, quantas desculpas!

Senhor, tende misericórdia de nossos entes queridos perdidos pelo mundo! Convertei a nós todos!

sábado, abril 14, 2012

A Lei do Aborto de Anencéfalos não é Lei


Não entendeu o título? Então leia aqui.

“Curiosamente, a mesma sociedade que legaliza o assassinato de fetos humanos pune a quem, por exemplo, destruir ovos de tartarugas em risco de extinção. Como qualificar tal sociedade senão de doente, de estúpida, de perversa?” (Carlos Nougué)

Nossa Senhora, rogai por nós!

quinta-feira, abril 12, 2012

Padre preso ao protestar contra Obama



Vi neste blog norte-americano que o Padre Weslin foi preso ao protestar contra Obama. Ele é um grande pró-vida, guerreiro católico. Vamos todos rezar por ele!

Vejam que imagem triste! Como podem prender um sacerdote assim? Um sacerdote que luta pela vida!




Nossa Senhora, rogai pelo Padre Weslin, rogai por nós!

Verde "Santo", Insanidade Profana - parte II

Por John Vennari, em 05 de janeiro de 2010
Traduzido por Andrea Patrícia*


Crianças Doutrinadas

No que foi chamado de "iniciativa inédita", todas as escolas Católicas nos Estados Unidos - 19.000 escolas - receberam materiais chamados "educativos" e promocionais em Inglês e Espanhol na segunda semana de abril deste ano, que pediam aos estudantes e aos pais para se tornar parte do programa do "Pacto Climático Católico", assim doutrinando crianças à histeria das mudanças climáticas.

Paróquias também foram convidadas a considerar a abordar temas ambientais em suas liturgias antes do Dia da Terra. [19] Isso não é apenas um abuso litúrgico, mas ignora os princípios anti-cristãos sobre os quais o Dia da Terra foi fundado. Como o Pasedena Star News observou, o senador Gaylord Nelson, que liderou o primeiro Dia da Terra criou o Dia da Terra como uma campanha "anti-poluição, anti-lixo, de controle populacional". [20]

Esta última iniciativa de mudanças climáticas dos Bispos norte-americanos segue na esteira de uma campanha lançada por cerca de 170 organizações Católicas na Europa em dezembro de 2008, que se uniram para combater a mudança climática causada pelo homem. "A mudança climática é uma realidade hoje afetando as vidas e o sustento de milhões de pessoas nos países em desenvolvimento, exacerbando tempestades, secas e desastres naturais", disse um apelo assinado por 92 bispos, arcebispos e cardeais. [21]

Que desperdício de tempo! Que desperdício de recursos! Que visão triste essa de ver bispos da Igreja, que devem ser faróis de sabedoria e prudência, degenerar-se em facilitadores da moda do pânico infundado do aquecimento global produzido pelo homem.

Lembre-se, no mês passado que citamos o meteorologista John Coleman, fundador do Weather Channel: "Eu estou dizendo a vocês o aquecimento global é um não-evento, uma crise criada, uma fraude total." [22]
Lembre-se do químico-físico ambiental japonês, Dr. Kiminori Ith, que disse: A noção de aquecimento global “causado pelo homem” é o maior escândalo científico da história. "[23]

Lembre-se dos 31.000 cientistas que assinaram o "Petition Project", que afirma, "a liberação humana de dióxido de carbono e outros ‘gases de efeito estufa’ não causará uma perturbação do clima da Terra.” [24].
Esses céticos do aquecimento global têm sido defendidos pelo recente escândalo Climategate. Em 19 de novembro veio à tona a notícia de que os hackers entraram nos servidores do Climate Research Unit na Grã-Bretanha, e liberaram mais de 1.000 e-mails em que os cientistas das "alterações climáticas" falam de manipulação ou supressão de dados não favoráveis à sua causa, e de depreciar os céticos da mudança do clima. [25]

Uma série notável de e-mails a partir dos arquivos hackeados descreve como os cientistas da mudança climática pressionam cientistas dissidentes no processo de revisão por pares. Isto é feito, diz James Delingpole do Londres Telegrah, para criar um ambiente científico em que qualquer um que discorde do aquecimento global antropogênico [artificial] pode ser rebaixado como sendo um excêntrico, cujas visões não têm um pingo de autoridade. O cientista nos seguintes e-mails tenta desacreditar e colocar na lista negra o Climate Research Journal: "Eu acho que nós temos de deixar de considerar Climate Research como um legítimo jornal peer-reviewed [revisado por pares, por colegas de profissão]. Talvez devêssemos incentivar os nossos colegas da comunidade de pesquisa climática para não enviar artigos, ou citar trabalhos dessa revista. Gostaríamos de pedir para considerar o que dizemos ou solicitar dos nossos colegas mais razoáveis que atualmente possuem assento no Conselho editorial". [26]

Um dos e-mails vazados também veio de Michael Mann, criador da agora em desgraça teoria "hockey stick" [bastão de hóquei], do aquecimento global, que tenta desacreditar um legítimo cético do aquecimento global: "Aqueles como [Stephen] McIntyre que operam quase totalmente fora desse sistema não são de confiança." O Wall Street Journal explica que o Sr. McIntyre é um empresário canadense aposentado "que verifica de fato os resultados e, muitas vezes publica os erros que encontra - incluindo alguns no trabalho do Sr. Mann - no seu site Climateaudit.org, Ele possui a rara distinção de ter forçado Mr. Mann a publicar uma correção a um seus mais famosos trabalhos." [27]

No entanto, em face da colossal fraude científica do aquecimento global antropogênico, os Bispos dos Estados Unidos continuam a "Coalizão Católica sobre a Mudança Climática", afastando-se do seu dever de preservar a Fé "inteira e inviolável" [28] e ignoram os males reais que deveriam combater.

Por exemplo, não existe coalizão Católica do tamanho e escopo do "Pacto Climático Católico", criado pelos Bispos para promover a mensagem verdadeiramente urgente para o Céu dada por Nossa Senhora de Fátima que "o homem deve deixar de ofender a Deus que já é ofendido demais", que os Católicos devem rezar o Rosário todos os dias, fazer os Cinco Primeiros Sábados de Reparação, e que o Papa e os bispos devem fazer a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria para evitar a "aniquilação de várias nações". Nossa Senhora advertiu o que resultaria ao ignorar os seus pedidos. Quando foi a última vez que os Bispos dos Estados Unidos enviaram materiais educativos e promocionais para as suas 19.000 escolas paroquiais - em Inglês e em Espanhol para incentivar as crianças da escola a se comprometerem com os pedidos de Nossa Senhora em Fátima?

Os bispos não criaram nenhuma coalizão nacional do tamanho do "Pacto Climático Católico" para combater o aborto, nenhuma coalizão nacional deste tamanho para se opor a políticos pró-aborto, nenhuma coalizão nacional deste porte para combater a agenda homossexual de hoje.

Não! A verdadeira mensagem sobrenatural do dever do homem da Igreja a respeito de Deus e do dever de Sacerdote de criar uma ordem social verdadeiramente Católica - é eclipsado por esta "obrigação" da moda de combater o aquecimento global, que de repente se tornou um requisito fundamental para os Católicos. Os nossos clérigos foram enganados pelas forças anti-vida do ambientalismo para serem os porta-vozes da agenda ambientalista, ao invés de seguirem em primeiro lugar, o mandato de Jesus Cristo "ide e fazei discípulos de todas as nações." (Mt 28,19). No contexto atual, isso inclui especialmente o imperativo de recuperar de volta à Igreja os milhões de Católicos desgarrados que abandonaram [a Igreja] devido aos estragos da revolução do Vaticano II, e o de trabalhar para a conversão dos não-Católicos à única verdadeira Igreja, fora da qual não há salvação.

Da mesma forma, o dever dos bispos de garantir que tenhamos o dogma Católico verdadeiro em nossas escolas, universidades e seminários, Missa Católica verdadeira nas paróquias, e uma liderança verdadeira na luta pelo Reinado Social de Cristo é eclipsado pelos nossos eclesiásticos modernos seguindo cegamente tendências mais recentes da esquerda. Eles se agitam na atividade por uma falsa causa social. No entanto, por se envolver com esta cruzada anti-aquecimento global, os modernos líderes Católicos e seguidores podem fingir que são parte de uma grande força moral para o benefício da humanidade.

Vemos o que aconteceu. A Igreja Católica não converteu a World Wildlife Fund ao Catolicismo. Pelo contrário, a pró-aborto World Wildlife Fund converteu clérigos Católicos ao ambientalismo.

Tragicamente, o "verdejar" da Igreja é algo que vemos não só de bispos do mundo, mas dos mais altos escalões do Vaticano.

O Papa “Verde”

O meteorologista John Coleman, fundador do Weather Channel, insiste: "Eu estou dizendo a vocês o aquecimento global é um não-evento, uma crise fabricada, uma fraude total."

Papa Bento XVI foi proclamado o "Papa mais verde da história". [29] Vários fatores têm contribuído para esta denominação.

• Em julho, o Vaticano anunciou que Dia Mundial da Mensagem de Paz de Bento XVI para 2010 terá um tema ambiental: "Se você quer cultivar a paz, cuide da criação." [30]
• O repórter do National Catholic, John Allen, alegrou-se durante um serviço de Vésperas em 30 de julho, o Papa Bento "fez uma breve, mas inconfundível referência" ao jesuíta panteísta, Pierre Teilhard de Chardin, que é "amplamente considerado o santo padroeiro da ecologia Católica." [31]
• Bento é elogiado pela instalação de painéis solares em sua residência privada em Regensburg Alemanha, que é projetada para fornecer energia à rede elétrica alemã.
• Em 2008, ele havia instalado painéis solares em cima do salão de audiências do Vaticano, um projeto que capturou o Prêmio Euro Solar daquele ano".
• Também em 2008, o Vaticano anunciou que assinou um acordo para se tornar o primeiro Estado "carbono neutro" da Europa.

A "floresta climática do Vaticano" foi criada no Parque Nacional Bükk, da Hungria, para supostamente compensar as emissões anuais de dióxido de carbono do Vaticano. John Allen escreveu: "Uma seção de terra grande o suficiente para absorver a quantidade de carbono que o Vaticano põe para fora em um ano foi plantada com árvores novas". Planktos/KlimFa, a empresa internacional de "eco-restauração" que ajudou a criar a “floresta climática do Vaticano", também "se comprometeu a trabalhar com o Vaticano para calcular as emissões de dióxido de carbono de cada uma das igrejas Católicas ao redor do mundo, e para oferecer meios para transformar as suas pegadas de carbono verde." [32]

Só podemos imaginar o que os cientistas John Coleman e Joseph D'Alea teriam a dizer sobre o Vaticano assinar o que eles insistem que é uma fraude científica. Conforme observado no mês passado, o meteorologista Coleman disse: "No caso da fraude do aquecimento global, eu não aceito as contas da mídia. Em vez disso eu li dezenas de artigos científicos. Eu falei com vários cientistas. Estudei. Tenho pensado sobre isso. Eu sei que estou correto quando eu lhe asseguro que não há alterações climáticas. O impacto do homem sobre o clima não é catastrófico. Nosso planeta não está em perigo. É tudo uma fraude, o resultado de má ciência." [33]

Da mesma forma, Joseph D'Alea, diretor de meteorologia do Weather Channel e ex-chefe do Comitê da Sociedade Meteorológica Americana sobre Análise e Previsão do Tempo, disse:

 "Nós somos responsáveis por apenas 0,001 por cento desta atmosfera. Se a atmosfera fosse comparável a um prédio de cem andares, a nossa contribuição antropogênica de CO2 hoje seria equivalente ao linóleo (d) no primeiro andar". [34]

No entanto, como John Allen relata, [35] a posição Verde do Papa Bento XVI é um pouco complexa, em que o Papa quer promover mais uma "nova síntese" - uma espécie de ecologia teísta pró-vida que tem em conta a lei natural [36]. De fato, Bento XVI vê o interesse do mundo na ecologia como uma oportunidade para reintroduzir certos aspectos da lei natural. Talvez essa abordagem possa ser útil se se trata de homens com mentes abertas, mas a mente aberta é algo que os mentirosos acadêmicos do movimento Mudança do Clima ainda têm que demonstrar.

Uma discussão completa sobre os pontos fortes e fracos da abordagem do Papa Bento XVI está além do escopo deste artigo, e pode ser tomada em algum momento no futuro. Por agora, podemos brevemente dizer o seguinte: sendo principalmente um homem do Concílio, a abordagem do Papa Bento XVI é aquela do Vaticano II, na medida em que assume muito boa vontade por parte dos envolvidos em um movimento que é essencialmente do anti-Cristo. Como podemos assumir boa vontade, quando a ciência fraudulenta, táticas intimidadoras, políticas de controle governamentais ao estilo soviético e ferozes propostas pelo aborto/controle da população são os elementos definidores do movimento anti-aquecimento global de hoje?
A abordagem de Bento XVI permite ao mundo ditar os termos do debate e, efetivamente, trata o movimento ecológico pagão de hoje como um parceiro igual no diálogo, a quem a Igreja Católica, agindo como um "grande irmã", pode amorosamente persuadir a ver a luz. Sua abordagem falha ao não se opor forçosamente ao mal enorme e à enganação deste movimento, algo que, é triste dizer, muitos comentaristas seculares fazem com zelo e muito mais clareza do que o Papa Bento XVI.

Além disso, o Vaticano de Bento, como os Bispos dos Estados Unidos, segue as tendências da época, ao invés de serem corajosos criadores de tendências próprias, exigindo que a histeria do aquecimento global seja parada em seus trilhos, e que afirmações científicas do aquecimento global produzido pelo homem sejam escrupulosamente examinadas, que aos "céticos" do aquecimento global seja concedida total voz. Em vez disso, vemos o Vaticano abocanhar muitos dos aspectos questionáveis da alegada mudança climática. [37]

Em suma, a tentativa de Bento XVI de "batizar" o ambientalismo não é um baluarte eficaz contra o movimento da ecologia socialista de hoje. Tratando-o como um parceiro igual no diálogo, ao invés de soar um alarme forte contra ele, e seguindo conselhos questionáveis de que a alegada "pegada de carbono" do Vaticano pode ser perdoada pelo plantio de uma floresta de 500 quilômetros de distância nas profundezas da Hungria, Bento de fato dá legitimidade a um movimento anti-vida, anti-ciência, anti-Cristo.

Como gostaríamos que o Papa Bento XVI tivesse um conselheiro confiável, influente e de bom senso, no Vaticano, que exortasse o Papa a criar grupos de leigos competentes para se opor forçosamente a esta falsa ciência do aquecimento global produzido pelo homem; que o exortasse a lutar contra as forças militantes anti-vida conectadas com o ambientalismo moderno; que instasse a expor e combater as metas socialistas e totalitárias desta última manifestação da ecologia pagã; e que o lembrasse que, ao fazer do ambientalismo uma questão central, ele está dançando ao som dos eco-grupos pró-aborto como o World Wildlife Fund, que aprovou a estratégia de começar a envolver as religiões com o ambientalismo, de modo a dar ao movimento um "imperativo espiritual".

Este tipo de oposição viril seria a ação de um clérigo que tenha realmente lido e compreendido os "sinais dos tempos".

Entretanto, ainda podemos fazer a nossa parte, de qualquer maneira que pudermos para nossa caminhada na vida, opondo-nos à falsa ciência do aquecimento global produzido pelo homem, fazendo guerra de forma intransigente contra os princípios pró-aborto, anti-família, anti-vida, que são elementos constitutivos do ambientalismo moderno, e expondo e combatendo as metas socialistas e totalitárias desta última manifestação da ecologia pagã.



__________________________________
*Essa é a segunda e última parte de um artigo dividido em dois. A primeira está aqui.

Original aqui.

___________________________________________
Notas:
[19] "New Climate Initiative Set to Launch" ["Iniciativa Climática Nova Pronta Para Ser Lançada"], Jerry Filteau, National Catholic Reporter, 17 abr 2009 ..
[20] "For Earth Day, the Issues Change but the Spirit Remains" ["Para o Dia da Terra, as questões mudam, mas o espírito permanece"], Pasadena Star-News, 21 de abril, 2009.
[21] "Catholic groups launch climate change efforts" ["grupos Católicos lançam esforços sobre mudança do clima"], Jonathon Luxmore, National Catholic Reporter, 19 de dezembro de 2008.
[22] "Global Warming is a Total Scam" ["O aquecimento global é um embuste total"], John Coleman, http://earthpro.info/
[23] "The Climate Change Climate Change" ["O Clima Muda a Mudança Climática"], Kimberly A. Strassel, Wall Street Journal, 26 de junho de 2009.
[24] Ver www.petitionproject.org
[25] Ver artigo de Rebecca Terrell na página 5 de Janeiro de 2009 CFN "Climate Change Science in the Hotseat" [“Ciência da Mudança Climática na Cadeira Quente"].
[26] "Climategate: the final nail in the coffin of 'Anthropogenic Global Warming'?"  ["Climategate: o último prego no caixão do 'aquecimento global antropogênico'?"], James Delingpole, O [Londres] Telegraph, 24 de novembro de 2009
[27] "How to Forge a Consensus" ["Como forjar um consenso"], Wall Street Journal, 26 de novembro de 2009.
[28] Como mandado pelo Credo Atanasiano.
[29] "Benedict's Very Own Shade of Green” ["A Própria Sombra Verde de Bento”], National Catholic Reporter, 31 de julho de 2009).
[30] "Vatican: Environment Theme for World Peace Day 2010" ["Vaticano: Tema Ambiental para o Dia Mundial da Paz 2010"], Catholic Information Service para a África, 31 de julho de 2009. Ver também, "Vatican stress on environment in Peace Day theme" ["o estresse do Vaticano sobre o meio ambiente no tema Dia da Paz"], National Catholic Reporter, 29 de julho de 2009. Só podemos lamentar que o Papa Bento não tem como o seu "Dia Mundial da Paz" o tema mais realista: "Se você quer cultivar a paz, obedeça a Nossa Senhora de Fátima". Na verdade, como esta escrito, (17 de dezembro de 2009), o Papa Bento XVI ainda não mencionou Nossa Senhora de Fátima de forma alguma, em qualquer de suas cinco anuais mensagens do "Dia Mundial da Paz".
[31] "Benedict's Very Own Shade of Green” ["A Própria Sombra Verde de Bento”].
[32] The Future Church: How Ten Trends are Revolutionizing the Catholic Church  [A Igreja do Futuro: Como dez tendências estão a revolucionar a Igreja Católica], John Allen, [New York: 2009, Doubleday], pp 298-299.
[33] "Global Warming is a Total Scam" ["O aquecimento global é um embuste Total"], John Coleman, http://earthpro.info/ [grifo nosso]
[34] “31,000 Scientists Reject ‘Global Warming' Agenda" “[31.000 cientistas rejeitam Agenda do 'Aquecimento Global’”], Bob Unruh, WorldNetDaily, 19 de maio de 2008. (Grifo nosso).
[35] "Benedict's Very Own Shade of Green” ["A Própria Sombra Verde de Bento”].
[36] O Papa Bento XVI tem algumas coisas decentes para dizer sobre este ponto na Seção 51 da Caritas in Veritas, "a degradação da natureza está intimamente ligada à cultura que modela a coexistência humana: quando a 'ecologia humana' é respeitada dentro da sociedade, a ecologia ambiental também se beneficia .... Para proteger a natureza, não é suficiente intervir com incentivos ou penalizações econômicas, nem mesmo uma instrução adequada é suficiente A questão decisiva é a solidez moral da sociedade. Se houver uma falta de respeito pelo direito à vida e à morte natural, se a concepção humana, gestação e nascimento são feitas artificialmente, se os embriões humanos são sacrificados para a pesquisa, a consciência da sociedade acaba por perder o conceito de ecologia humana e, junto com ele, da ecologia ambiental. É contraditório insistir que as gerações futuras respeitem o meio ambiente natural, quando a educação e as leis não as ajudam a respeitar a si mesmas. o livro da natureza é uno e indivisível: leva não apenas o ambiente mas também a vida, sexualidade, o casamento, a família, as relações sociais, numa palavra o desenvolvimento integral, humano .... Seria errado defender um conjunto de deveres, enquanto se pisa no outro". (Grifo nosso). No entanto, muitos de nós gostaríamos que ele expusesse com mais veemência a verdadeira face do atual movimento ecológico anti-vida, socialista, que ele recordasse aos Católicos em linguagem inequívoca que a contracepção e o aborto são pecados mortais que enviam almas para o inferno, e que ele chamasse as forças da Igreja em todo o mundo para lutar contra estes movimentos malignos de uma forma militante, como observamos no final deste artigo.
[37] Por exemplo, o anúncio do Vaticano sobre o tema para o Dia Mundial da Paz, janeiro 2010, inclui a declaração: "A próxima mensagem para o Dia Mundial da Paz, que será celebrado em 01 de janeiro de 2010, será dedicada ao tema seguinte: Se você quiser cultivar a paz, cuide da criação. O tema pretende solicitar a consciência da estreita ligação que existe em nosso mundo globalizado e interconectado entre a salvaguarda da criação e o cultivo do bem da paz. Essa conexão estreita e íntima, na verdade, é cada vez mais colocada em discussão por inúmeros problemas em relação ao ambiente natural da pessoa humana, tais como o uso de recursos, mudanças climáticas, a aplicação e uso da biotecnologia e o crescimento demográfico. Se a família humana não sabe como enfrentar esses desafios com um renovado sentido de justiça, equidade social e solidariedade internacional, corre o risco de semear a violência entre os povos e entre as gerações presentes e futuras." "Vatican: Environment Theme for World Peace Day 2010" ["Vaticano: Tema Ambiental para o Dia Mundial da Paz 2010"], Catholic Information Service para a África, 31 de julho de 2009.

______________________________________
Notas da tradutora:

(d)   Linóleo é um tapete feito com juta e óleo de linhaça.

terça-feira, abril 10, 2012

Imoralidade e cegueira




Não diversamente dos demais cristãos, também as pessoas dotadas simplesmente de honestidade e de bom-senso natural se admiram e aterram à vista da crescente maré de imoralidade que, embora estes últimos tempos já sejam extraordinariamente graves, ainda ameaça submergir a sociedade. Ninguém hesita em reconhecer como causa particular as publicações licenciosas e os espetáculos desonestos, que se apresentam aos olhos e aos ouvidos dos adolescentes e dos homens maduros, dos jovens e dos velhos, das mães e das crianças. Que dizer então da arte, da moda, dos costumes públicos e privados, masculinos e femininos? Difícil crer a que grau de corrupção moral não titubearam em descer determinados autores, editores, artistas, empreendedores e divulgadores de semelhantes obras literárias e dramáticas, artísticas e cênicas, convertendo o uso da pena e da arte, do progresso industrial e das admiráveis invenções modernas em meios, armas e lisonjas para a imoralidade. Escritos e obras, indignos da honra das letras e das artes, encontram leitores e espectadores aos milhares. E vós vedes adolescentes atirarem-se a tal alimento, para a mente e para os olhos, com toda a fúria das paixões que se acordam, vedes progenitores levarem e conduzirem consigo, a tão tristes cenas, meninos e meninas, em cujos tenros corações e em cujas pupilas se imprimem assim, em troca de inocentes e santas visões, fatais imagens e ânsias, que muitas vezes não mais se desvanecerão.” (Papa Pio XII. Discurso às mulheres católicas em 20 de fevereiro de 1942. Grifos meus).


Lá na década de 40 o Papa já reclamava da indecência que vinha tomando conta dos meios de comunicação, da arte. O que será que ele diria hoje então?

É incrível como mesmo assim - mesmo com tantos enxergando a devassidão reinante na mídia atual, mesmo com gente que nem é católica reclamando da imoralidade da TV, das revistas, dos meios de comunicação e das artes em geral – ainda haja católicos que defendem a televisão, por exemplo. Católicos que assistem  novelas de redes de TV que vivem denegrindo a imagem da Igreja. Católicos que assistem programas de baixaria, tais como o famoso e nojento BBB. Católicos que se misturam à podridão do Carnaval atual, e outros ainda que assistem aos blasfemos e indecentes desfiles des escolas de samba, escolas estas patrocinadas pelo narcotráfico.

Como essa gente consegue dormir em paz? Como suas consciências não gritam? Como não sentem vergonha ao dar audiência a programas repletos de imoralidade, cultura de morte e até mesmo blasfêmias? Não tem medo do Dia do Juízo? Não tem medo que Deus os castigue por deixarem penetrar em seus lares tanta nojeira? Não temem que seus filhos estejam aprendendo todo tipo de erro através de tais programas? Não pensam que se deixassem de assistir tanto lixo teriam mais tempo para rezar o Terço, por exemplo?

Estamos numa tremenda crise, só os cegos não enxergam  isso. Mas o pior cego é aquele que não quer ver.


__________________________________________
Fonte do texto do Papa Pio XII: A Grande Guerra

domingo, abril 08, 2012

Feliz Páscoa, 2012



Cristo ressuscitou! Verdadeiramente ressuscitou!

Feliz Páscoa!

Que esta data seja comemorada verdadeiramente, de coração, celebrando a Ressurreicão do Senhor.

Viva Cristo Rei!

quinta-feira, abril 05, 2012

Verde "Santo", Insanidade Profana - Parte I


Por John Vennari, em 05 de janeiro de 2010
Traduzido por Andrea Patrícia*




Líderes Religiosos Enganados em Histeria do Aquecimento Global

O Príncipe Philip da Inglaterra, que já foi presidente do World Wildlife Fund, disse que quando ele morrer, ele pretende retornar como um vírus mortal para "níveis populacionais humanos inferiores". O mesmo Príncipe Philip, em 1990, explicou que era um dos principais objetivos do movimento ecológico anti-vida obter o envolvimento dos líderes religiosos, de modo a dar ao ambientalismo um "imperativo espiritual". Nisso, o Movimento Verde foi bem sucedido. Os líderes da Igreja agora estão dançando ao som do ambientalismo pró-aborto de hoje.

No mês passado, "Under the Green Thumb" (a) (CFN, dezembro de 2009), destacou a ciência questionável e agenda obscura por trás do frenesi de hoje sobre o alegado aquecimento global antropogênico. [1]

Vimos que esse movimento ambientalista moderno é pró-aborto, a pró-controle populacional e anti-humano em sua essência, e que há milhares de cientistas que desafiam todo o conceito de que o aquecimento global é um fenômeno provocado pelo homem, ou que o aquecimento global está mesmo acontecendo! O meteorologista John Coleman chama toda a noção de "a maior fraude da história" [2]. O correspondente do clima da BBC, Paul Hudson, informou que muitas pessoas ficariam surpresas em saber que "o ano mais quente registrado globalmente não foi em 2008 ou 2007, mas em 1998" [3].

Vimos que os comunistas e radicais encontraram um refúgio seguro no Movimento Verde, e que o hype (b) do aquecimento global produzido pelo homem está sendo usado como um pretexto para o governo impor mais impostos, mais multas e mais regulamentos restritivos, ao estilo soviético, às pessoas cumpridoras da lei.

Vimos que a pesquisa com o objetivo de provar que o aquecimento global é um problema gerado pelo homem é o que recebe doação de dinheiro - e é muito dinheiro - e não há doação de dinheiro para os cientistas que trabalham para refutar o aquecimento global feito pelo homem.

Vimos que a mídia de notícias importantes, na maioria dos casos, ridiculariza os cientistas, ou se recusa a publicar os resultados desses cientistas, que apresentam evidências científicas fortes de que o aquecimento global não é um problema criado pelo homem.

Agora, não gostamos de pensar que uma falsidade tão explosiva, que tem o potencial de causar danos às famílias, à sociedade e ao Catolicismo em si, ser um grande problema contra o qual nossos clérigos Católicos teriam que soar o alarme ?

Tragicamente, mas não surpreendentemente, na era pós-conciliar, não é isso o que encontramos. Como é o caso com temas da última moda, muitos de nossos modernos clérigos Católicos foram levados pelo nariz até esse movimento de ambientalismo e histeria anti-aquecimento global.

O Verdejar da Religião (c)

Um dos principais objetivos do movimento ecológico pagão, anti-vida, era fazer com que os líderes da Igreja e religiosos fossem comprometidos com a causa do ambientalismo. Nisso o Movimento Verde teve sucesso.

Vamos olhar para um evento central em Assis, em 1986, que foi crucial para conseguir que a Igreja Católica se envolvesse.

A primeira reunião do evento pan-religioso em Assis não foi a oração do Papa João Paulo II pela paz em 27 de outubro de 1986, mas sim o 25 º aniversário da World Wildlife Fund (WWF), em 26 de setembro, o mês anterior do mesmo ano.

Em um discurso proferido para o Almoço da National Press Club (NPC) em Washington, 18 de maio de 1990, o Príncipe Philip de Edimburgo, da Inglaterra (marido da rainha Elizabeth), que era então presidente da WWF, relatou o evento inter-religioso.

Ele explicou que o 25 º aniversário da fundação do WWF foi em 1986. Portanto, disse ele, "foi decidido que Assis seria o lugar mais apropriado para as comemorações do aniversário", especialmente já que São Francisco agora é considerado patrono da ecologia.

Príncipe Philip continuou:

"... Nós sugerimos ao Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores Convencionais... que ele poderia convidar os líderes das outras quatro grandes religiões, isso é a judaica, a muçulmana, a hindu e a budista, para reunir-se em Assis, para discutir se havia um aspecto religioso para a conservação da natureza e o que as suas escrituras individualmente têm a dizer sobre a relação da humanidade com o mundo natural."

Agora isso é crucial. Nós vemos o Príncipe Philip, explicando que a WWF considera que é fundamental envolver as religiões do mundo com a ecologia. Isso foi considerado necessário por duas razões:

1) Para que programas eco / ambientais sejam bem sucedidos, é necessário que as religiões do mundo invistam com algum tipo de "imperativo espiritual";
2) Os líderes religiosos podem influenciar o seu próprio povo, especialmente em países atrasados com alto índice de analfabetismo, à causa da ecologia e ambientalismo. O Príncipe Philip, explicou: "Em muitas partes do mundo, a única pessoa com influência é o líder religioso local". [4]

Isso é semelhante às táticas comunistas onde os comunistas usaram a religião como um veículo para promover os seus próprios princípios revolucionários, mas expressa em adereços religiosos (como a Teologia da Libertação, ou a retórica de esquerda que vem de "Justiça e Paz" grupos diocesanos).

Da mesma forma, os eco / ambientalistas estão usando as religiões do mundo como um meio para promover a sua própria agenda ambientalista pagã.

Na conclusão da reunião da WWF, em Assis (29 de setembro de 1986), o Príncipe Philip proclamou a cúpula um sucesso:

Eu acredito que hoje... uma aliança nova e poderosa foi obtida entre as forças da religião e as forças da conservação ... os líderes espirituais aprenderam que o mundo natural da criação não pode ser salvo sem o seu envolvimento ativo ". [5]

Quatro anos mais tarde, no Almoço NPC de 1990, o Príncipe Philip relatou o ritual inter-religioso que coroava o aniversário do evento:

"No final do processo de Assis, todos nós fomos para a basílica para uma celebração inter-religiosa... Todo mundo foi chamado para a oração por um muezim muçulmano em uma das torres dessa catedral cristã, e o presidente do Congresso Mundial Judaico soprou seu chifre de carneiro na porta. Ele não fez isso por dentro, mas do lado de fora. Os hindus fizeram uma dança dentro... No final do mesmo as declarações sobre religião e natureza foram todas abençoadas”. [6]

Este ritual inter-religioso coloca a Fé Católica e verdadeira no mesmo nível dos sistemas de contrafacção, algo que a Igreja Católica sempre proibiu em toda a sua história, antes das atualizações modernistas do Concílio Vaticano II. Tal encontro pan-religioso é uma espécie de blasfêmia, indescritivelmente pior pelo fato de que ela ocorre em uma Basílica Católica com a bênção das mais altas autoridades da Ordem Franciscana.

Baseando-se no ensino consistente dos Papas, o Cardeal Mercier escreveu em 1918 que colocar as religiões feitas pelo homem no mesmo nível que a verdadeira religião Católica "é a blasfêmia que atrai muito mais castigo para a sociedade do que os pecados dos indivíduos e das famílias".

Em 1918, o Cardeal Mercier da Bélgica, escreveu uma carta pastoral intitulada "The Lesson of Events" ["A Lição dos Eventos"], na qual ele disse que a I Guerra Mundial foi um castigo para os estados e os governos por terem colocado a única verdadeira Igreja de Jesus Cristo no mesmo nível dos falsos credos.

O Cardeal Mercier, escreveu: "Em nome do Evangelho, e à luz das Encíclicas dos últimos quatro Papas, Gregório XVI, Pio IX, Leão XIII e Pio X, eu não hesito em afirmar que esta indiferença à religião que coloca no mesmo nível a religião de origem divina e as religiões inventadas pelos homens, a fim de incluí-los no mesmo ceticismo é a blasfêmia que atrai um castigo para a sociedade muito mais do que os pecados dos indivíduos e das famílias". [7]

Isto se aplica com ainda mais força quando os líderes Católica colocam "no mesmo nível a religião de origem divina e as religiões inventadas pelos homens", como foi o caso no evento da World Wildlife Fund. Em nome de abordar o castigo da natureza pelo alegado abuso do homem sobre o meio ambiente, nossos líderes da Igreja provocam a punição de Deus pela blasfêmia objetiva desses eventos inter-religiosos.

Em relação à extravagância inter-religiosa da WWF em 1986, a Reuters forneceu uma descrição mais detalhada das aberrações pagãs decretadas nesta basílica Católica em 1985:

"Depois das cerimônias de boas-vindas na Basílica, Yamina Krishnamurti, um dos mais conhecidos dançarinos do templo da Índia, executou uma dança Hindu da criação com o sári vermelho e dourado e pulseiras balançando ao ritmo da música da cítara ao vivo...

"Quatro monges budistas vestidos com Açafrão e vestindo plumas amarelas brilhantes cantavam versos comemorativos num profundo tom monótono em frente aos afrescos do artista italiano, Giotto." "No final do serviço, um coro da Zâmbia cantou o "Cântico das Criaturas", enquanto uma bandeira representando todas as cinco religiões e a WWF saiam em fila da basílica". [8]

Apesar de conservar a natureza parecer ser uma cruzada nobre, o movimento ambientalista de hoje tem uma agenda mais obscura, incluindo o esforço para expurgar o máximo possível de seres humanos do planeta... através dos dispositivos de controle da população (isto é, aborto, esterilização, eutanásia, doença, etc.). Isso foi detalhado no "Under the Green Thumb" do último mês. Nós também ouvimos isso vindo da boca da WWF do Príncipe Philip.

Quanto à "expurgar o máximo possível de seres humanos do planeta", o Príncipe Philip não faz segredo dos dogmas anti-humanos, anti-família da crença pagã da ecologia. No almoço NPC, o Príncipe vangloriou-se com grandes aplausos o afirmar:

"Eu sou velho o suficiente para ser capaz de dizer que aqueles de vocês que ainda estão em idade de procriação devem ser um pouco cautelosos em procriar."

O World Wildlife Fund em si é anti-humana em suas políticas, e definitivamente contribui para a falsidade que afirma que as "pessoas são a poluição". Um dos relatórios anuais da WWF declarou que "o aumento da população [humana] faz uma drenagem dos recursos naturais, que é geométrica, não aritmética... não se pode esperar que a Ciência sobrepuje os processos vitais da natureza". [9]

Em 1989, o Príncipe Philip da WWF desnudou ainda mais a filosofia distorcida da ecologia contemporânea. Ele disse que se ele reencarnasse, ele gostaria de voltar como um "vírus mortal para diminuir os níveis de população humana". [10]

Tragicamente, esses princípios anti-vida não impediram a WWF de receber o abraço ecumênico de Roma. Em 10 de abril de 1990, este mesmo Príncipe Philip - que disse que quer voltar como um vírus assassino para acabar com os níveis de população humana - se reuniram com o Papa João Paulo II no Vaticano. No final do dia, o Príncipe Philip anunciou à imprensa "A partir de amanhã, a WWF e a Igreja Católica irão cooperar juntas para proteger a natureza". [11]

A Igreja Católica - a única e verdadeira Igreja de Cristo - é, portanto, cooptada para servir a uma agenda anti-humana.

Intrusão do Governo e Controle da População

Vamos repetir um pouco do que foi observado no mês passado sobre como a histeria do aquecimento global está levando as pessoas a aceitarem um controle do governo, ao estilo soviético, sobre o cidadão cumpridor da lei.

O colunista Richard Littlejohn, escrevendo no Daily Mail de Londres, disse: "Duvido que haja um único país no mundo onde toda a classe política tenha completamente perdido o bom senso sobre o alegado aquecimento global. Aqui na Grã-Bretanha, isso tem sido aproveitado como uma arma nova e excitante com a qual são infligidos mais impostos, multas e regulamentos sobre nós". [12]

Na mesma linha, o colunista Mark Steyn observou que "É fascinante observar como quase qualquer velha chantagem totalitária se torna respeitável uma vez que seja envolta bobagem ambiental. Por exemplo, restrições à liberdade de movimento eram anteriormente a marca da União Soviética. Mas na Grã-Bretanha, eles estão propondo limites ao seu direito de apanhar os voos de companhias aéreas de outros países - tudo em nome da "responsabilidade ambiental", e combate às alterações climáticas - e todo mundo acha que é uma ótima ideia".[13]

A verdadeira face desse monstruoso movimento da mudança climática continua a revelar-se, particularmente na área de controle populacional. No dia 08 de dezembro de 2009 na edição do Financial Post, um jornal nacional, no Canadá, Diane Francis pediu ao mundo inteiro "para adotar a política chinesa do filho único" da contracepção e do aborto forçado, a fim de salvar o planeta da alegada superpopulação. Ela convidou os reunidos na Cúpula do Clima da ONU em Copenhague a propor um plano desse tipo. [14]

Não surpreendentemente, o controle da população emergiu como uma questão-chave em si em Copenhague. O LifeSite deu como manchete em 11 de dezembro uma reportagem: "Copenhague: China empurrando o Controle Populacional como a Solução Final". Na reunião da ONU, o delegado chinês Zhao Baige, vice-ministro da Comissão Nacional de População e Planejamento Familiar da China (NPFPC) disse: "A população e as mudanças climáticas estão interligadas, mas a questão da população se mantém num ponto cego quando países discutem formas de mitigar mudanças climáticas e frear o aquecimento global. Lidar com a mudança climática não é simplesmente uma questão de redução de emissão de CO2, mas um desafio global que envolve questões políticas, econômicas, sociais, culturais e ecológicas, e a preocupação sobre a população se encaixa bem dentro do quadro". [15]

É claro a partir dessas citações, e das muitas citações que fizemos no mês passado, que o controle populacional é um princípio central do ambientalismo.

O controle da população - o aborto e a contracepção - é contrário à Lei Divina, é pecado mortal que envia almas ao inferno, e é contra a lei natural. No entanto, apesar da ecologia hoje estar irremediavelmente presa a esses princípios perversos e anti-Deus, os nossos próprios bispos norte-americanos, e os bispos em todo o mundo, pularam no vagão da ecologia. Temos visto essa "ecologização" da Igreja se expandindo desde 1990, culminando em uma nova iniciativa dos bispos Católicos norte-americanos lançada na primavera passada.


Pacto Climático Católico

Em abril de 2009, praticamente seguindo o roteiro escrito para eles pela anti-vida World Wildlife Fund, os Bispos Católicos dos EUA lançaram o "Pacto Climático Católico".

Em abril de 2009, a Conferência dos Bispos dos Estados Unidos lançou o que eles chamam de “Pacto Climático Católico”, um desenvolvimento da Coalizão Episcopal Católica sobre as Alterações Climáticas criada em 2006.

O objetivo desses grupos é aumentar a consciência entre os Católicos sobre a alegada devastação da terra por causa do aquecimento global produzido pelo homem, e exortar os Católicos fazer o "Compromisso de São Francisco Para Proteger a Criação e os Pobres".

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos, portanto, segue o roteiro escrito para eles, pela anti-vida World Wildlife Fund. A WWF considera que é necessário aproveitar os líderes religiosos na causa da ecologia - para serem embaixadores do ambientalismo - para que os líderes religiosos possam dar ao ambientalismo uma "dimensão espiritual". Isso é exatamente o que encontramos na iniciativa do novo "Pacto Climático Católico".

Esse grupo "Católico" produziu um pequeno vídeo publicado em seu site chamado "quem está sob sua pegada de carbono?" A imagem que o vídeo invoca é a seguinte: se você usar muita energia, dirigir um carro muito grande, aquecer muito uma casa, você estará criando uma pegada de carbono maciça que irá acelerar as alterações climáticas, o que causará ainda mais sofrimento e morte entre os pobres.

Na trilha sonora de vídeo, uma mulher de fala mansa, narra em tom preocupado:

"Quem está sob a sua pegada de carbono? Utilizando muita energia; dirigindo carros maiores, aquecendo casas maiores, com água mais quente, tudo isso significa mais gases de efeito estufa, e uma pegada maior de carbono, e que significa aumentar o problema das alterações climáticas. Mais calor! Mais seca, mais inundações, mais tempestades, mais desemprego. Então, quem está sendo pisado? Quem está sob sua pegada de carbono? É o pobre que mais diretamente suporta o impacto da degradação ambiental...". [16]
O vídeo acrescenta uma nota de urgência: quanto mais tempo esperarmos para reduzir nossa pegada de carbono, mais os pobres vão viver em degradação, apesar de o vídeo nunca explicar como.

Então, é claro, somos lembrados do dever Católico para com os pobres. A implicação é clara: se queremos viver de acordo com o nosso dever Católico diante de Deus, devemos mudar nossas vidas, ter carros menores, usar menos água quente, ter uma casa menor, usar menos energia, adotar uma atitude "verde", de modo que não contribuamos para os gases de efeito estufa provocando o aquecimento global, e tornando a vida miserável para os pobres.

Isto é vergonhoso vindo de uma coalizão chamada Católica, uma vez que o primeiro dever do Católico é o de dizer a verdade! Mas, como documentado no mês passado em "Under the Green Thumb", não há nenhuma ligação comprovada entre a atividade humana e os chamados "gases de efeito estufa" supostamente causadores do aquecimento global. Não há sequer um consenso verdadeiro entre os cientistas de que a Terra está ficando mais quente. [17] E entre aqueles que acreditam que a Terra está se aquecendo, não há um verdadeiro consenso de que o aquecimento é feito pelo homem, ou que este ligeiro aquecimento está acontecendo para danificar a terra de qualquer forma.


Mas isso não impede o Pacto Climático Católico de fazer afirmações ridículas e irresponsáveis sobre a suposta culpa do homem sobre o aquecimento global.

O que é pior, há pelo menos doze diferentes organizações Católicas nacionais que se comprometeram com essa Coalizão Católica sobre a Mudança Climática, incluindo:


• O Conselho de Bispos Católicos dos Estados Unidos;
• National Religious Partnership for the Environment  [Parceria Religiosa Nacional pelo Meio Ambiente] (um grupo ecumênico)
Catholic Charities USA
• Catholic Relief Services
• Catholic Health Association
• The USCCB Department of Justice, Peace and Human Development

A lista continua, doze organizações ao todo.

Junto com tudo isso existem dezoito outros grupos ligados ao "Pacto Climático Católico", incluindo a Federação Nacional dos Conselhos dos Sacerdotes; Ministério do Campus Católico e a Associação Nacional de Ministério Leigo. Esse tempo e a energia concentrados na mudança climática é uma distração massiva da verdadeira missão da Igreja, que é principalmente a salvação das almas, e, secundariamente, a melhoria do bem comum.

O bem comum inclui amizade cívica, paz, ordem, liberdade, amor ao direito, e uma opinião pública bem informada. [18] Estão os Bispos contribuindo para uma "opinião pública bem informada" ao promoverem as mentiras da histeria do aquecimento global? Ao fazer isso, os bispos se tornam cooperadores em uma campanha de mentiras, e este engano é destinado a todas as faixas etárias, inclusive crianças na escola.

(continua)

__________________________________
*Essa é a primeira parte de um artigo dividido em dois. A segunda parte está aqui.

Original aqui.


___________________________________________

Notas:


[1] "Under the Green Thumb: The Global Warming Fraud" ["Sob o Polegar Verde: A fraude do aquecimento global"], J. Vennari, Catholic Family News, Dezembro, 2009. Esta apresentação, juntamente com a deste mês "Holy Green" ["Santo Verde"] foi originalmente dada como um discurso, mas foi editada, reformatada e ampliada substancialmente para a Catholic Family News. A gravação do discurso original em si está disponível em www.oltyn.org / green.htm

[2] "Global Warming is a Total Scam" ["O aquecimento global é um embuste Total"], John Coleman, http://earthpro.info/

[3] "What Happened to Global Warming" ["O que aconteceu com o aquecimento global"], Paul Hudson, BBC News, 09 de outubro de 2009. O artigo abre: "Este título pode vir como um pouco de surpresa, assim também o fato de que talvez o ano mais quente registrado globalmente não foi em 2008 ou 2007, mas em 1998. Mas é verdade. Durante os últimos 11 anos temos nós não temos observado qualquer aumento nas temperaturas globais. E nossos modelos climáticos não previram que, apesar do dióxido de carbono feito pelo homem, o gás pensado para ser responsável pelo aquecimento do nosso planeta, tem continuado a aumentar”.

[4] "Conservationists Seek Help of World Religions" ["Os conservacionistas procuram a ajuda das Religiões do Mundo"], Christian Science Monitor, 23 de outubro de 1986.

[5] "Wildlife Fund Marks 25 Years with Ecumenical Service at Assisi" ["Wildlife Fund marca os 25 anos com Serviço Ecumênico de Assis"], de Alan Baldwin, da Reuters News Service, 29 de setembro de 1986.

[6] Transcrição do discurso do Príncipe Philip ao National Press Club, Federal News Service, 18 de maio de 1990.

[7]. Citação tirada de The Kingship of Christ and Organized Naturalism [A realeza de Cristo e Naturalismo Organizado], do Padre Denis Fahey (Regina Publications, June, 1943), p. 36. Notas de rodapé como citadas na Carta Pastoral do Cardeal Mercier, 1918, The Lesson of Events. (Grifo nosso)

[8] "Wildlife Fund Marks 25 Years with Ecumenical Service at Assisi" ["Wildlife Fund marca os 25 anos com Serviço Ecumênico em Assis"] Reuters, 29 de setembro de 1986.

[9] Citado em Trashing the Planet [Planeta na lixeira], Dixy Lee Ray com Lou Guzzo, (Regnery, Washington, 1990) p. 169.

[10] Ibid. [Grifo nosso].

[11] "Pope and Prince Philip Join Forces to Save Nature"  ["O Papa e o Príncipe Philip unem forças para salvar a natureza"], Reuters, 10 de abril de 1990.

[12] Red Hot Lies: How Global Warming Alarmists Use Threats, Fraud, and Deception to Keep You Misinformed [Red Hot Lies: Como os alarmistas do aquecimento global usam ameaças, fraude e engano para mantê-lo desinformado], Cristóvão C. Horner, [Washington: Regnery, 2008], p. 209.

[13] "People Who Don't Need People" ["As pessoas que não precisam de pessoas"], Mark Steyn, National Review Online The Corner, 7 de setembro de 2007.

[14] "The Real Inconvenient Truth: The Whole World Needs to Adopt China's One Child Policy" ["A Verdadeira Verdade Inconveniente: o mundo inteiro precisa adotar a política chinesa do filho único"], Diane Francis, Financial Post, 08 de dezembro de 2009.

[15] "Copenhagen: China Pushing Population Control as Final Solution" ["Copenhague: China Empurra Controle Populacional como Solução Final"], Hilary White, LifeSite Notícias, 11 de dezembro de 2009.

[16] Homepage: www.catholicclimatecovenant.org

[17] Ver reportagem da BBC citada anteriormente, "What Happened to Global Warming?" ["O que aconteceu com o aquecimento global?"] Veja também "Hiding Evidence of Global Cooling" ["escondendo provas de resfriamento global"], The Washington Times, 24 de novembro de 2009.

[18] "The Function of Civil Authority" ["A função da autoridade civil"], Raphael Waters, Ph.D., Catholic Family News, Dezembro de 2009. Disponível em http://www.aquinasphilosophy.com/func-cv.htmm

______________________________________
Notas da tradutora:

(a)    Green Thumb é uma organização internacional de apoio ao meio-ambiente, cujo nome significa “Dedo Verde”. Under the Green Thumb é algo como “estar sob o dedo verde”, ou seja, sob a ditadura do ambientalismo, sob a imposição do eco / ambientalismo. Under the Green Thumb é o nome de um artigo de John Vennari publicado no Catholic Family News.
(b)   Hype: palavra difícil de traduzir, pois significa algo que é aumentado, exagerado, anunciado publicamente de forma aumentada, enganação, golpe publicitário.
(c)    No original “Greening”, que significa tornar verde novamente, restauração do frescor, do verde.