quinta-feira, maio 31, 2012

O Espetáculo do Carimatismo "Católico” - Parte IV

Por John Vennari

Traduzido por Andrea Patricia*



Problemas com o pentecostalismo

Não há espaço para catalogar cada uma das atividades bizarras, já que há material suficiente na Convenção para uma grande obra de não ficção.

Da mesma forma, um tratamento completo dos variados e numerosos problemas teológicos desse movimento está além do escopo deste artigo. Além daquelas já mencionadas, algumas das dificuldades mais proeminentes com o Pentecostalismo "Católico" são:

1) Todo o movimento se baseia em um pecado contra a fé.

Há três pronunciamentos dogmáticos ex-cathedra (infalíveis) ensinando que fora da Igreja Católica não há salvação. No mais marcante dos pronunciamentos se lê: "A sacrossanta Igreja Romana, fundada pela voz do nosso Senhor e Salvador, crê firmemente, professa e prega... e proclama que aqueles que não estão vivendo na Igreja Católica, não só pagãos, mas também judeus e hereges e cismáticos não podem se tornar participantes da vida eterna, mas irão "para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos” [Mat. 25,41], a menos que antes do final de suas vidas tenham sido adicionados ao rebanho... E que ninguém, não importa as doações que ele tenha feito, mesmo que ele derrame o seu sangue pelo nome de Cristo, pode ser salvo a menos que tenha permanecido no seio e na unidade da Igreja Católica" (1).

Em perfeita continuidade com esses ensinamentos infalíveis, a teologia moral Católica tradicional, aqui resumida pelo Bispo Louis LaRavoire Morrow, STD, sustenta que "um Católico peca contra a fé Católica, tomando parte em cultos não-Católicos, porque ele, assim, professa a crença em uma religião que ele sabe ser falsa" (2).

No entanto, pela admissão do pioneiro Carismático Católico, Kevin Ranaghan, o movimento começou com os Católicos realizando o ritual grotesco de buscar uma transfusão de sangue espiritual do cadáver do Protestantismo, e proclamando que Deus "encheu-os a ponto de transbordar com o espírito" por fazerem isso. Tal colaboração e "busca da santidade do Espírito Santo" a partir de hereges anatematizados (qual protestante iria sobreviver aos anátemas do Concílio de Trento?) não pode ser um movimento religioso verdadeiramente de Deus.


2) É um movimento fundado em princípios condenados pelo Papa Pio XI e o Papa Pio XII

Tanto o Papa Pio XI quanto Pio XII (baseando sua doutrina sobre a imutável tradição da Igreja, em vez das novidades progressistas dos teólogos liberais) alertaram contra os perigos da atividade inter-religiosa.

Pio XI em Mortalium Animos ensinou que, apesar de São João ter relatado a Oração de Nosso Senhor "que todos sejam um", bem como o mandamento de Cristo "amar uns aos outros", não obstante (São João) proibiu qualquer relação com aqueles que professavam uma forma mutilada e corrompida do ensinamento de Cristo: "Se qualquer homem vem até você, e não traz esta doutrina, não o recebais em tua casa, nem lhe diga: Deus te abençoe".

O Papa Pio XI puniu ainda mais projetos inter-religiosos, afirmando: “... É claro que a Sé Apostólica não pode de maneira nenhuma tomar parte nessas assembleias, nem é de qualquer forma lícito para os Católicos, dar a essas empresas o seu incentivo ou apoio. Se eles fizessem isso, estariam apoiando um falso Cristianismo completamente estranho à única Igreja de Cristo" (3).

No entanto, como já mencionado, o Pentecostalismo Católico é o produto de tais empreendimentos proibidos.

Além disso, o Papa Pio XII, em sua Instrução de 1949 sobre o Ecumenismo ensinou que, se tiver que haver qualquer intercâmbio entre Católicos e não-Católicos (exclusivamente para o interesse de converter os não-Católicos a Fé verdadeira), toda a atividade deve ser guiada pela verdade de que "a Igreja Católica possui a plenitude de Cristo", isto é, não necessita de adquirir coisas de outras denominações para fazer um Cristianismo (4).

O Pentecostalismo Católico "necessita adquirir" uma simulação de um sacramento de uma falsa religião (o batismo no espírito) para seu ímpeto. Por isso, atua em altivo desdém das diretivas tradicionais de Pio XII.

3) Favorece o indiferentismo religioso

Como já observado, o movimento nasceu através da colaboração ilegal com o Protestantismo. Por este dia, o fundador Kevin Ranaghan ainda "louva a Deus pelos pentecostais dos velhos tempos", e fala de grupos dissidentes protestantes como a "Bênção de Toronto", como movimentos genuínos do Espírito Santo.

Além disso, entre os fornecedores nesta Conferência do 30 º Aniversário, duas organizações protestantes estavam representadas. Destiny Image Publications, um "ministério" não denominacional que produz literatura revivalista exibindo uma completa seleção de livros para venda, incluindo aqueles que promovem a "Bênção de Toronto". Revista Charisma, uma publicação protestante, apregoa seu jornal às multidões com a promessa de que "a partir do próximo mês, cada edição da nossa revista Carismática irá conter um suplemento Católico". Na verdade, Pentecostalismo e ecumenismo se alimentam mutuamente, uma vez que a aceitação de Pentecostalismo depende do reconhecimento do Protestantismo como uma outra forma válida de Cristianismo.

Em 1864, o Venerável Papa Pio IX, em perfeita continuidade com os imutável dogmas dos séculos, ensinou em seu marco Syllabus de Erros que "É UM ERRO acreditar que o Protestantismo é nada mais do que outra forma da verdadeira religião cristã... "(5) Como deveria ser óbvio por agora, o Pentecostalismo Católico está imerso neste erro em sua origem e prática.

4) O crescimento contínuo do movimento parece depender da ausência da Missa Tridentina

O movimento "Carismático Católico" começou enquanto a Missa Tridentina Latina estava em declínio e o estilo protestante Novus Ordo emergente - uma nova liturgia historicamente provada como sendo favorável à experimentação e improvisação.

As aberrações litúrgicas tratadas nesse artigo não poderiam ter lugar dentro da Missa Tridentina Latina. O Cardeal Ottaviani observou que a Missa Tridentina Latina em alinhamento com o ensino dogmático do Concílio de Trento era uma barreira intransponível contra a heresia (6). Não é razoável especular que está implícito no Pentecostalismo Católico a noção errônea de que a Missa Tridentina em latim era um obstáculo ao trabalho do Espírito Santo, uma vez que pode ter ficado no caminho do "desencadear poderoso do Espírito" Pentecostal em todo o mundo.

5) Praticamente ignora o ensinamento Católico sobre o discernimento dos espíritos

Embora este ponto já tenha sido coberto, deve ser ainda notado que o Pentecostalismo encoraja fenômenos extraordinários como "profecias" e "falar em línguas". No entanto, o grande escritor místico e doutor da Igreja, São João da Cruz, alertou que as almas devem fugir de procurar tais manifestações. O que este grande santo disse das revelações privadas aplica-se igualmente a todos os fenômenos: "Onde o diabo habitualmente se mete tão livremente [no fenômeno extraordinário] que eu acredito que seja impossível que um homem não seja enganado por ele, a menos que se esforce para rejeitá-lo, tal é a aparência de verdade e de segurança que o diabo dá a ele (7).

Além disso, Mons. Knox escreveu que "falar em línguas que nunca foram aprendidas era, e é, um sintoma reconhecido em casos de alegada possessão diabólica" (8). Expor-se livremente à tais perigos beira a loucura.

6) Ele tem uma notável semelhança com o movimento ocultista Nova Era em três maneiras:

  a) É um movimento pan-denominacional com um princípio não-Católico como seu fator de unificação, neste caso, o "batismo no espírito".
  b) É uma religião da experiência. Carismáticos nunca fornecem uma explicação teológica satisfatória do "batismo no espírito", mas enfatizam que é algo que deve ser experimentado. Isto espelha tendências Nova Era.
  c) Ele zomba de qualquer doutrina Católica tradicional que está em oposição a ele.

Assim, os problemas com "Pentecostalismo Católico" são verdadeiros e graves, e não podem ser preteridos levemente, ou rejeitados como ridículos, apelando a uma nova "tradição viva" que de repente abençoa o que a Igreja sempre condenou.

O Credo Atanasiano determina "Quem quiser ser salvo antes de tudo, é necessário que mantenha a Fé Católica; a menos que a preserve integral e inviolada, sem dúvida, ele irá perecer na eternidade". À luz do ensino tradicional da Igreja, pode-se firmemente argumentar que a buscar o envolvimento com a mistura selvagem da verdade e do erro do Pentecostalismo-Católico, bem como a sua prática heterodoxa, é pôr em perigo a Fé imprudentemente.

Um povo conquistado

O historiador Católico Dr. John Rao observou que ao longo da história, o povo conquistado, muitas vezes, assumia as características de seus conquistadores (9). Uma descrição mais apropriada do "Pentecostalismo-Católico" não poderia ser formulada. Os carismáticos são um povo conquistado, que abandonaram sua inestimável herança dada por Deus, ao dançar sobre os túmulos de seus Antepassados Católicos na imitação irrefletida da prática protestante (10)

O pentecostalismo e o ecumenismo que estão atualmente captando a nossa Santa Igreja poderiam ser apelidados de "Conquista de Lutero". Não é apenas o nosso dever resistir a isso, mas também implorar o Céu, em favor do "Carismático Católico", que ora com as mãos no ar e seu pé na garganta da doutrina e prática tradicional Católica.


*Quarta e última parte do artigo 1- O Espetáculo do Carimatismo 'Católico'. Veja as outras partes: I, II, III.

Original aqui.
_________________________
Notas:
1) Papa Eugenio IV, Exbulla, "Cantate Domino", 04 de fevereiro de 1441.
2) Reverendíssimo Louis LaRavoire Morrow, STD, Bispo de Krishnagar, My Catholic Faith, (publicado originalmente em 1949), p. 193.
3) O Papa Pio XI, Mortalium Animos, On Fostering True Religious Unity [Na promoção da unidade religiosa verdadeira], 6 de Jan., 1928.
4) "Instruções sobre o Movimento Ecumênico de Constantinopla", AAS, 31 de janeiro de 1950, cf. Romano Amerio, Iota Unum, (Sarto House, Kansas City, 1996), p. 549.
5) A citação completa da Proposição n. 18 lê-se que é um erro dizer que "o Protestantismo é nada mais do que uma outra forma da mesma verdadeira Religião cristã, sob cuja forma se pode agradar a Deus do mesmo modo como na Igreja Católica", o Syllabus de Erros do Papa Pio IX como está escrito em Dogmatic Canons and Decrees, Tan Books and Publishers, Rockford, IL.
6) A Intervenção Ottaviani, (Tan Books e editores, Rockford, IL), p. 27
7) São João da Cruz, Subida do Monte Carmelo, Capítulo 27.
8) Mons. Ronald Knox, Enthusiasm, (Oxford University Press, Oxford, 1950), p. 551.
9) Dr. John Rao, "Por que os Católicos não podem se defender" - Um discurso dado pelo Dr. John C. Rao (D. Phil, Oxford University, Professor Associado da História, Universidade de São João), por ocasião do primeiro aniversário do Instituto Dietrich von Hildebrand, 18 de fevereiro de 1993, e impresso no livro Americanism and the Collapse of the Church in the United States  [Americanismo e o colapso da Igreja nos Estados Unidos], p. 42
10) Quando digo prática protestante, eu realmente quero dizer prática protestante-pentecostal, pois eu conheço muitos protestantes sóbrios que nunca iriam a qualquer lugar perto do Pentecostalismo.

terça-feira, maio 29, 2012

Magistério, gestos e lapsos

vida
Dois textos muito interessantes que li por esses dias:

Trechos:
O Magistério ordinário da Igreja, exercido pelo Papa e pelos Bispos, amparado pelas promessas de Nosso Senhor, efetiva-se não apenas por palavras escritas ou orais, mas também por atos e fatos,  de  natureza  extremamente  variada  e  rica.
(...)
“um simples sinal de cabeça, um gesto de mão ou uma expressão de fisionomia podem indicar, de maneira inequívoca, um pensamento. Num terreno mais vasto, uma tomada de posição política, o silêncio de uma autoridade, ou uma atitude pública podem expressar, conforme as circunstâncias, que quem assim procede tem tais ou tais ideias”
Trechos:
“assim como o Magistério Ordinário de todos os tempos, embora assistido pelo Espírito Santo, nem sempre está coberto pela infalibilidade, assim também o Magistério de hoje conta com a assistência divina, o que no entanto não representa garantia absoluta de isenção de erro. Dessa forma, alguns ensinamentos do Magistério Ordinário podem divergir da Tradição, e até gravemente.
(...)
As doutrinas novas do Vaticano II apontadas como divergentes da Tradição – as da liberdade religiosa, da colegialidade, do ecumenismo etc. – podem constituir ensinamento diverso (“si quis aliter docet”- S. Paulo, I Tim, 6, 3), sem que se possa dizer que com isso tenha falhado a assistência do divino Espírito Santo e que tenha sido vulnerada a indefectibilidade da Igreja.”

Para quem quer aprender e entender mais sobre a atual crise na Igreja.

Salve Maria, Mãe do Céu!




Ela é Mãe do Céu não somente porque é Rainha e acolhe a todos os que buscam A Deus sinceramente, mas também é porque deu à luz O Salvador, Aquele que abriu as portas do Paraíso. Mãe do Céu, Vaso de Salvação, Puríssima, Castíssima, Belíssima. Meu Deus, que obra esplendorosa!
Ela deu à luz O Redentor, disse sim a Deus. Como não agradecê-la por isso?
Glória a Vós, Senhor! Salve Maria, Mãe do Céu!


sexta-feira, maio 25, 2012

Ainda sobre o Facebook


Hoje o Facebook tornou-se muito popular, mas será que nós, católicos, pensamos sobre os problemas que podem surgir por causa de redes sociais como essa? Creio que cada um deve buscar com sinceridade refletir sobre o tema (e pensando nisso resolvi terminar minhas páginas de blogs por lá), e por isso indico a leitura desse breve post do Professor Carlos Nougué, publicado no blog do SPES. Veja:


Publico abaixo, a pedidos, minha intervenção numa discussão na lista Index Bonorvm sobre o Facebook e similares. Publico-a em sua redação original, sem nenhuma alteração e com todos os defeitos de uma escrita rápida.

  *

Caros,

Minha (acho) última palavra sobre o assunto.

1) Para saber se algo é intrinsecamente mau, não se trata de saber quem é seu autor (embora isto tenha importância por muitos outros ângulos).
2) O Facebook é intrinsecamente mau porque:
a) Estimula um tipo de “amizade” virtual que não é o amor de amizade cristão nem o amor de amizade político. O primeiro requer contato pessoal; o segundo, um governo ordenado ao bem. Na verdade, trata-se de falsas amizades, que não raro implicam pecados de concupiscência.
b) Estimula o fim do recato, hoje mal chamado privacidade. Este é um mal da modernidade mesmo entre tradicionalistas. Por exemplo, confessam-se publicamente pecados passados ou atuais que podem mexer com a própria concupiscência alheia, além de terem de reservar-se para o confessionário e seus sussurros. O Facebook vai na mesma linha: nele cada um se mostra de forma não recatada, com fotos, com conversas indevidas, e mais: nele, a mulher expõe-se em pé de igualdade com o homem, o que é contra a modéstia feminina. Dizia Santo Tomás que devemos tratar a todos cordialmente, mas não devemos ter familiaridade com ninguém ou só a devemos ter com muito poucos.
c) Estimula a ocupação do tempo com essas coisas em lugar da meditação e do estudo cristãos, em lugar da oração, e em lugar da vida familiar cristã, que deveria rechaçar tudo quanto venha ocupar os momentos da dedicação dos pais aos filhos e dos pais entre si. É o caso da televisão e do Facebook.
2) Recomendo que cada um faça um exame de consciência pensando em duas coisas:
a) Se realmente não incorre nos problemas acima;
b) Que são francamente contrários aos Facebooks da vida os principais sacerdotes da Tradição, alguns com argumentos tão sólidos como os encontrados no artigo italiano já citado nesta lista.
3) Em verdade, o Facebook e similares são instrumentos os mais apropriados para o governo mundial que antecederá o Anticristo. Recomendo, aliás, a leitura atenta do magnífico e profético1984, de George Orwell; nele se entenderá que tais instrumentos são instrumentos de ”diversão” das massas, em prol, digo, do fim total da influência do verdadeiro Cristianismo.
4) Que alguém tenha conseguido, per accidens, fazer algo bom via Facebook não admira: nada pode ser totalmente mau; algo de bom há de ter. Logo, algo de bom poderá propiciar. Não tira Deus um bem até do demônio e dos que mandam nossos mártires ao cadafalso? Mas cuidado: não somos Deus, e lembremo-nos de que não é lícito praticar um mal para conseguir um bem.
5) Por fim: sinceramente não vejo como o Facebook possa ser tão útil quanto uma lista católica para reunir-nos e aos amigos, nem quanto um blog ou um site para divulgar a doutrina. Acho que muito pelo contrário.

Em comunhão de orações,

Carlos Nougué

P.S.1: Não sei se já se deram conta, mas, excluído o blog da música (que é de minha inteira responsabilidade), nada do que escrevo é senão repetição do que dizem Santo Tomás, D. Lefebvre, o Padre Calderón, etc., se se trata de doutrina; e, se se trata do combate da Tradição, não escrevo nada senão depois de ordenado por D. Tomás ou depois de consultá-lo. Incluído o que digo do Facebook e similares. Há um grave risco nas fileiras laicas da Tradição: como, em defesa da Fé, não podemos hoje seguir a hierarquia da Igreja, acabamos por tender a fazer coisas e a julgar coisas por nossa própria conta. A tendência ao erro é enorme; e digo-o porque sei que errei eu mesmo sempre que não segui a D. Tomás. Por isso, devemos a todo o transe buscar, para nossas ações e julgamentos, aestrita direção de um sacerdote (naturalmente, firme na Fé como uma rocha).
P.S.2: De modo algum quero eu ser diretor de almas. Aliás, logo me retirarei da vida pública (por razões alheias à minha vontade). Mas “que cada um faça o que quer” cheira-me a liberalismo. Que cada um faça o que ditar a doutrina católica e seu diretor particular, isto sim.

quinta-feira, maio 24, 2012

O Espetáculo do Carimatismo "Católico" - Parte III

"Sob o fluxo de onde a Glória sai"
Por John Vennari
Traduzido por Andrea Patrícia*



O Centro de Convenções David Lawrence, de Pittsburgh, foi criado no estilo de teatro, com cadeiras amplas e espaço nas laterais para acomodar os 7.500 inscritos. O palco serviu como pódio para os palestrantes, como santuário improvisado e para a banda. Um banner, um crucifixo grande e bonito, um cartaz da Divina Misericórdia, e a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, também adornavam a plataforma. A banda, ocupando o lado esquerdo do palco, era composta por cantores, instrumentos elétricos e um kit completo de bateria. Era semelhante à banda na Igreja Bênção de Toronto.

O pop-rock "música de louvor" tocado foi imerecidamente dignificado com o nome de "ministério da música". O vocalista líder da banda cantava as melodias com aquele efeminado estilo “cantor de canções” que passou a ser a marca da moderna, pop-medíocre música de igreja. Um punhado escasso de hinos tradicionais foram mal espalhados por todo o fim de semana em meio a um programa de música pesada. Com uma exceção, não houve Canto Gregoriano.

Embora muitas dessas canções fossem de um estilo de balada das paradas de sucesso, várias tinham uma batida rock’n’roll que catapultou a multidão para ficar em pé cantando, braços no ar, dançando sem sair do lugar. Durante estas apresentações, se podia notar jovens em jeans apertados pulando com a música, sorrindo e cantando nas faces umas das outras como se estivessem brincando em um festival dos Beach Boys. 

Havia aclamações e aplausos em alto volume no final da maioria das músicas. O Mestre de Cerimônias, colhendo esse entusiasmo, incentivava mais explosões gritando: "LOUVADO SEJA JESUS, GLÓRIA A DEUS, ALELUIA, ALELUIA", cuja multidão obediente gritava junto. Às vezes, o Mestre de Cerimônias iniciava uma “oração em línguas" indistinguíveis. Da mesma forma, o seguia.

Em seguida, outro número musical iria começar. A atmosfera era dominada por uma mistura de revivalismo protestante, show de rock e espírito de reunião animada. Qualquer coisa Católica seria engolida em tal tumulto.

No entanto, uma exceção notável ocorreu quando o cantor entoou à capela um Veni Creator Spiritu em Canto Gregoriano. Foi o único momento do fim de semana quando o salão foi permeado com a distintiva marca Católica, o silêncio reverencial. Nesse momento a multidão ficou imóvel. Sem mãos em o ar, sem acenos, sem danças nos corredores, sem aplausos na conclusão do hino. Há um poder na Música Sacra genuína que impede que seja acompanhada por manifestações mundanas de animadores de torcida e sacolejos-santos. Este interlúdio pacífico não iria durar muito. Parece que os Carismáticos, como crianças pequenas, têm dificuldade em sentar e ficar quietos.

Por volta das 19:30 horas na noite de abertura, o Mestre de Cerimônias deu o pontapé inicial, aproveitando o microfone e gritando "FELIZ ANIVERSÁRIO CARISMÁTICOS CATÓLICOS". A multidão respondeu com uma explosão ensurdecedora da torcida frenética que beirava a Beatlemania. "O clima vai esquentar nessa velha cidade hoje à noite" o Mestre de Cerimônias gritava por cima da multidão que rugia.

O fim de semana começou com orações carismáticas, liturgia, dança,"Línguas", gente "profetizando", e os discursos incentivando a multidão a "viver sob o fluxo de onde a Glória sai."

"Profetizando"

Uma das práticas carismáticas mais peculiares é "profetizar". Um indivíduo permanece como o centro das atenções e fala como se Deus estivesse falando através dele. Um grande número de pentecostais realizou esse ritual ao microfone. A multidão ouviu atentamente, como se estivessem na presença de Deus falando no Monte Sinai. O que sempre foi proferido, no entanto, era uma piedosa platitude que qualquer pessoa com um conhecimento mínimo da religião poderia fabricar e seguir.

Um trecho de como um longo "profetizar" funciona: "Onde quer que vá, onde você estiver, saiba que o poder do meu Espírito Santo é o mesmo para você, e é levado para as pessoas... traga-lo, proclame-lo e invoque-lo e saiba que o mesmo poder que você experimenta em você, você toma diante deste lugar, e tem com você, para sempre, e em todo o ministério que eu o chamo a fazer”.

Após este "profetizar" o público aplaude, enquanto o Mestre de Cerimônias diz "Louvai ao Senhor, louve a Deus, obrigado Jesus, etc.".

Em um ponto, no meio de tal "profecia", um homem declarou: "Eu o Senhor também sou vosso servo". Jim Murphy, o Mestre de Cerimônias, comentou para a multidão em espanto boquiaberto, "Isso não é maravilhoso?! O PRÓPRIO DEUS nos disse que Ele é também o nosso servo". Na prática, Murphy estava ensinando ao público que na verdade, DEUS TINHA ACABADO DE FALAR através do profeta carismático bem diante dos seus olhos... uma presunção que é estranha ao Catolicismo. 

Não havia muito o ensino sólido de doutrina, moral ou espiritualidade por parte dos palestrantes. Qualquer ensinamento Católico era altamente temperado, com condimentos pós-Vaticano II. Qualquer esperança de realmente aprender alguma coisa teria ido embora decepcionada. Como a Bênção de Toronto, os falantes eram, em sua maioria, superficiais, vazios e, muitas vezes, muito barulhentos. O principal objetivo do fim de semana era celebrar a alegria de estar "vivo no Senhor", com muito incentivo para "marchar no espírito".

Sem Rosário - Liturgias estranhas

Patti Gallagher Mansfield, uma das pioneiras carismáticas dos anos 60, palestrou sobre a verdadeira devoção de São Luis de Montfort a Nossa Senhora. O discurso foi um híbrido das teologias que misturam a "bondade" de ser batizado no espírito, juntamente com a devoção a Maria. A Sra. Mansfield prejudicou seriamente sua própria leitura, e destruiu sua credibilidade, afirmando que ela propositadamente não recomendava as devoções tradicionais a Maria como a Medalha Milagrosa, o Rosário, etc., porque, em sua teologia, "não importa como você chegue a Maria, contanto que você venha".

Ela ainda minimizou a importância do Santo Rosário com a declaração: "Se a devoção a Maria consistisse em rezar o Rosário todos os dias, eu estaria perdida".

Achei estranho que esta senhora carismática, (que supostamente possuía uma especial "ligação direta com o céu", devido ao seu batismo no espírito) contradiria com tanta certeza a ordem expressa do Céu por Nossa Senhora em 1917 que disse: "Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração". Nossa Senhora então deu instruções específicas sobre como esta devoção deve ser praticada, a mais importante das quais é o pedido de Nossa Senhora para se rezar o Rosário todos os dias. Nossa Senhora, em seguida, provou Suas palavras com o maior milagre da História do Novo Testamento, o Milagre do Sol. Contudo, nenhuma das orientações urgentes de Fátima vindas do Céu foram pregadas nesta conferência por oradores que constantemente se gabavam de estar "transbordando com o espírito". Durante este encontro, Fátima era praticamente inexistente. Não houve recitação pública do Rosário durante o fim de semana inteiro, mas houve muito tempo para serviços de "adoração" revivalistas e danças pelos corredores.

As liturgias da conferência eram concelebrações Novus Ordo com o Bispo Sam Jacobs, um prelado carismático “até a medula”, como celebrante principal. Aqui também, a escala de espiritualidade aponta para o protestantismo. O que ocorreu após a Evangelho parecia mais um seminário motivacional da Amway do que uma homilia Católica.

No "Sermão de Domingo" o Bispo Jacobs estava todo empinado para cima e para baixo no palco, em estilo revivalista, emitindo um bocado generoso de "améns" e encorajando a participação do público.

Durante este discurso, pegando a pergunta de Nosso Senhor "Quem dizeis que eu sou?" a Simão Pedro, o Bispo Jacobs gritou para a platéia: "QUEM VOCÊS DIZEM QUE EU SOU?"
  A multidão gritava "JESUS!"
  Bispo Jacobs: "QUEM VOCÊS DIZEM QUE EU SOU?"
  Multidão: "JESUS!"
  Bispo Jacobs: "QUEM VOCÊS DIZEM QUE EU SOU?"
  Multidão: "JESUS" (1)

A homilia foi muitas vezes interrompida por aplausos altos e fortes... lembre-se, isso foi no meio da Missa de Domingo! Homilias dos outros dias foram de tipo semelhante. Era de partir o coração suportar um bispo Católico fazendo uma imitação barata de Oral Roberts (a).

As missas incluíram "adoração em línguas" coreografada que aconteceram numa pausa durante o "Santo Santo Santo", e também antes do Pai Nosso. O "beijo da paz" será deixado para a imaginação do leitor.

A mais estranha de todas as práticas litúrgicas carismáticas é o zumbido de "línguas" substituindo os sinos de consagração. Durante a consagração, na elevação da Hóstia e na elevação do Cálice, o Bispo Jacobs ficou na pose de elevação e deu início a "oração em línguas" que se espalhou através da congregação inteira: "Hum de yah hay dah sham a lum yada..." Um zumbido de algaravia indistinguível subiu da multidão, soando como o um medonho mantra de um Ashram hindu. A grande maioria do público recebeu a Comunhão na mão.

Padre Michael Scanlon

A edição do verão de 1997 da revista Sursum Corda! apresentou um surpreendente artigo favorável sobre Steubenville University. A revista informou que o Padre Scanlon, de Steubenville, "permitiu e até incentivou o declínio do movimento [carismático] na Universidade".

Com todo o respeito a esta publicação bem-intencionada, essa não é certamente a mensagem que o Padre Scanlon transmitiu durante seu discurso na Conferência de Pittsburgh. Não só Steubenville hospedou a carismática Conferência de Liderança em 1998, como Padre Scanlon parecia determinado a definir o registro certo sobre o compromisso de Steubenville com o pentecostalismo.

Ele abriu: "Eu só quero deixar claro sobre a Universidade Franciscana de Steubenville. É O Poder do Espírito Santo, ELA ESTÁ sendo batizada no Espírito Santo, É A Renovação Carismática que lançou e é responsável pelo crescimento e maturidade desta Universidade, e agradeço a Deus por isso!" (aplausos).

Neste discurso, o Padre Scanlon falou de suas "três conversões". A primeira foi quando ele veio a ser totalmente convencido sobre as verdades da Igreja Católica e da Sagrada Escritura. A segunda foi quando ele estava na Harvard Law School e abandonou tudo para se tornar um sacerdote franciscano. Até então tudo bem.

Mas a terceira "conversão" foi a sua entrada no pentecostalismo em 1973. Ele explicou que sentiu que era seu dever, como reitor de 170 seminaristas franciscanos, tornar os seus homens santos, e ficou perplexo sobre como conseguir isso. Uma freira carmelita lhe disse: "Você precisa ser batizado no Espírito Santo". Uma semana mais tarde, um sacerdote e dois leigos impuseram as mãos sobre ele. Ele alega que lá recebeu "A P-P-Precipitação do Espírito". Ele contou: "depois disso, minha pregação mudou, as pessoas começaram a ficar curadas no confessionário. As pessoas começaram a voar para ir à confissão". Ele deu contas de curas espirituais e corporais com as quais ele tinha sido envolvido. Ele também gritou: "eu experimento um maior poder DO ESPÍRITO, UMA PRECIPITAÇÃO MAIOR HOJE DO QUE NAQUELE DIA" (em 1973).

Enquanto isso acontecia, eu tentei imaginar modelos humildes de santidade como Padre Pio, São João Bosco e São João Vianney ostentando a uma multidão de 7.500 como eles eram "cheios do espírito", e se vangloriando de seus ministérios “cheios do espírito” terem sido tão fundamentais para curas ainda não comprovadas. Os repetidos depoimentos como este, feitos por vários oradores, me fizeram sentir que eu estava no meio de um infomercial Carismático de três dias.

Ouvir sacerdotes como Padre Scanlon louvarem a prática protestante do "Batismo no espírito", como se fosse O caminho final para a santidade é bastante desconcertante. Isto é especialmente intrigante desde que reitores dos seminários do passado teriam sofrido uma morte de mártir ao invés de buscar uma zombaria protestante do sacramento como um canal para a santidade. Os métodos Católicos ainda são os únicos legítimos e verdadeiros. Por que ele não simplesmente emprega os Exercícios Espirituais de Santo Inácio para esses homens, já que os Exercícios Espirituais são uma estrada comprovada para a santidade, tendo sido praticados e endossados por séculos de Papas e Santos, e foram entregues a Santo Inácio pela própria Mãe de Deus (a esposa do Espírito Santo).

Como sabemos, participar de serviços religiosos não Católicos é um pecado grave contra a Fé, e o pentecostalismo vem de tal atividade religiosa proibida. Não se pode deixar de imaginar se um Católico, um sacerdote, que caminha em tais atividades pecaminosas com os olhos bem abertos, e persiste em tal prática heterodoxa, não acabaria sendo punido com a cegueira espiritual que o faria julgar certos males como sendo bens. Se este é o caso com os clérigos desta conferência, só Deus sabe.

Além disso, a Igreja Católica não é facilmente impressionada com os milagres relatados entre Carismáticos. Nenhum falado nesta conferência foi documentado.

Os pentecostais não são o único grupo alegando milagres e conversões para autenticar seu movimento. Existem numerosas aparições Marianas não aprovadas (alguns que relatam o aviso da Mãe Santíssima "os Carismáticos são do Inferno"), que também alegam milagres e conversões (2). Há selvagens visionários como Clemente na Espanha, que coroou a si mesmo "Papa Gregório XVI" cujo movimento também reivindica curas e conversões.

Um milagre só pode ser verdadeiro se absolutamente nenhuma outra causa natural possa ser atribuída (em Lourdes, apenas 65 curas a partir de 1989 foram proclamadas pela Igreja como milagrosas). Além disso, para o milagre ser verdadeiramente de Deus, a mensagem impõe que o milagre deve estar em conformidade com o ensino tradicional da Igreja. Aqui, é claro, é onde o pentecostalismo cai estatelado, pois não é nada Católico buscar a santidade em seitas heréticas, não sacramentais.

Se qualquer fenômeno extraordinário é usado para justificar uma nova ou falsa doutrina, então o Catolicismo julga isso como uma "maravilhosa mentira" - um fenômeno que vem do homem ou do diabo. Como o Padre Vicente Miceli apontou em seu discurso, O Anticristo, "estes são chamados prodígios de mentira, porque levam as pessoas a uma religião diferente em vez da verdadeira religião".

Nossa Igreja Católica tem uma história maravilhosa de dois mil anos de "Discernimento dos espíritos", contida na ascética e mística teologia tradicional que deve ser rigidamente aplicada a tais manifestações. Aqui nós temos o oposto: Leigos impõem as mãos sobre um indivíduo, o indivíduo recebe uma PRECIPITAÇÃO, e imediatamente proclama que está "cheio do Espírito". Isto é presunção chocante de acordo com a doutrina Católica.

A Igreja Católica ensina que nunca devemos aceitar de cara qualquer manifestação sobrenatural aparente como algo definitivamente vindo de Deus. Nunca! - uma vez que é muito fácil ser enganado por forças demoníacas. A agonia sofrida por Santa Margarida Maria Alacoque e outras autênticas almas favorecidas trabalhando para determinar a autenticidade de suas manifestações celestes devem ser amplo testemunho.

Eu não vejo nenhum desses critérios aplicados aos Carismáticos. Na verdade, os Carismáticos parecem agir como se esses ensinamentos ou não existissem, ou não aplicassem a eles. No entanto, parece que a maioria dos Carismáticos nesta conferência eram pessoas simples, bem-intencionadas, que não sabem nada sobre esses ensinamentos, nem da sua obrigação de "provar os espíritos" de acordo com estas sábias escrituras (3).

Os pais que pensam em enviar seus filhos para Universidade de Steubenville devem saber que o Padre Scanlon ostentava com orgulho, "75% de todo estudantes da Universidade Franciscana de Steubenville, foram rezados para receber o batismo do Espírito Santo". Além disso, um ou dois ônibus cheio de estudantes de Steubenville foram fazer trabalho voluntário nesta conferência. Assim, os estudantes de Steubenville serão expostos a tais reuniões Carismáticas que são vistas por esta universidade como prática Católica aceitável.

Rock em volta do rebanho

A Carismática Dança de Sábado à Noite que aconteceu após o discurso do Padre Scanlon lançaria o elemento do absurdo às alturas dos arranha-céus. Claro que, esta abordagem "Saturday Night Fever" (b) da religião também foi imerecidamente dignificada com o nome de "sessão ministério". Ela era composta pela Diva Pentecostal, Babsie Bleasdell "fazendo a sua coisa" sobre o microfone por cerca de uma hora.

A sessão foi uma das pregações e orações de Bleasdell no estilo revivalista, padrão Batista de "louve o Senhor, Aleluia, o espírito de medo e da dúvida forma embora em Nome de Jesus, deixe que o Espírito de Deus caia sobre você... um espírito de alegria! alegria!", enquanto o público pegava o entusiasmo e incendiava em um "groove santo" (c). A banda tocou sua energética música de "Louvor" pop-rock com uma fúria crescente. Em um ponto, a represa de entusiasmo estourou enquanto a multidão corria para a frente do salão numa dança de corpo inteiro como fãs adoradores celebrando sua banda de rock favorita. Bleasdell encorajava a brincadeira. No meio de tudo isto, uma versão da música de James Brown "Papa's Got a Brand New Bag" não ficaria deslocada.

Bleasdell também empregou o bem gasto mesmerismo Pentecostal: "alguns de vocês sentem que não tem mais dor de cabeça... levante sua mão", etc., etc. Em um ponto, Padre Scanlon, obviamente estupefato com entusiasmo, tomou o centro do palco e se dirigiu à multidão como se sob o domínio de um sonho: "Eu quase nunca tenho visões, mas eu posso ver a mão de Deus se movendo para baixo dentro de tantos nesta assembleia e chegando e pegando o lixo... pegando o lixo. (Chegando a um crescendo gritante) DEIXE-O ARRANCAR ISSO FORA! LIVRAR-SE DISSO. ENVIA-LO AGORA – JOGUE FORA. O ESPÍRITO SANTO VAI SUBSTITUÍ-LO! LIXO FORA - ESPÍRITO SANTO DENTRO". A multidão respondeu com "Louvado seja Deus, Louvado seja Jesus, Aleluia, Aleluia," Haveria tempo para a congregação inteira juntar-se em "orações de cura”.

Na maior parte, acho que os líderes Carismáticos formam um quadro de homens muito bobos. Essa impressão foi confirmada da melhor maneira nessa “sessão ministério". Enquanto Bleasdell foi acelerando a multidão com gritos de "Ame e dance diante do Senhor... Ele anseia por vê-lo", sacerdotes e bispo (s) em um palco lotado, incluindo Padre Scanlon, estavam tendo o grande momento de suas vidas e entraram na dança. 7.500 Carismáticos lidaram com o espetáculo do bispo Sam Jacobs juntando os braços com uma mulher (uma freira à paisana, eu acho) executando uma série bastante infeliz de moderados chutes can-can (d). Em um momento, Bleasdell foi ladeada pelo Bispo Jacobs no seu lado direito e o que parecia ser outro bispo à sua esquerda engajando-se em uma dança de corpo inteiro, o seu peitoral atravessando e saltando ao ritmo, ao mesmo tempo sorrindo e acenando para a plateia.

Os três juntos mais parecia Diana Ross e The Supremes do que líderes religiosos. Parece que quanto mais nossas autoridades da Igreja falam da dignidade humana, mais eles degradam a dignidade eclesiástica. 

(continua)


_______________________________________
*Esta é a terceira parte do artigo O Espetáculo do Carimatismo "Católico", publicado neste blog.
Veja: Parte I e Parte II

Original aqui.


_________________________________
Notas:
(1) Quero deixar claro, no caso de alguém não entende este formato, que o Bispo Jacobs não estava tentando induzir o público a anunciá-lo (Bispo Jacobs), como Jesus, esta é simplesmente a maneira emocional carismática de provocar no público uma espécie de ato de fé.
(2) Deve ser afirmado aqui que eu (e Catholic Family News) não seguimos ou promovemos qualquer das aparições não aprovadas da história recente ou anterior. [J.V.]
(3) Duas excelentes fontes de tratamento teológico católico em Fenômenos Extraordinários podem ser encontradas em Vida Espiritual do Padre Adolph Tanquerey (de impressão) e As Três Idades da Vida Interior [dois volumes] por Pe. Reginald Garrigou-Lagrange, OP.
___________________________________

Notas da tradutora:
(a)  Oral Roberts é um “televangelista” norte-americano, um apresentador de programas protestantes, um carismático pentecostal.
(b)   Saturday Night Fever= Embalos de Sábado à Noite; festas, baladas da noite de sábado.
(c)    Groove significa encaixar, e relacionada à música pode significar um padrão rítmico. Ligado à batida da percussão, ao baixo do Funk e do Rithm and Blues. Como gíria significa levada, batida, “pegada”.
(d)   Can-can é uma dança francesa cheia de sensualidade, típica de cabarés.

terça-feira, maio 22, 2012

Salve Mãe das Dores, Salve Co-Redentora!




Ela sentiu muita dor e ao mesmo tempo sabia que Ele autorizava aquilo tudo. Ela sabia que no momento em que Ele quisesse, os verdugos deixariam de torturá-Lo.
Como deve ter sido isso no coração dela? Como ela pôde suportar ver seu Filho amado sofrendo tanto, sendo desprezado até pelos que amava e confiava? Somente uma Fé pura, inabalável poderia suportar isso tudo da maneira que ela suportou: heroicamente.
Somente uma total entrega a Deus poderia gerar nela a vontade de entregar seu Divino Filho em sacrifício ao Pai.
Salve Virgem Santíssima, Rainha, Mãe, Guerreira, Co-Redentora!


sexta-feira, maio 18, 2012

Crise e uma Pergunta Inevitável


 vida
Mais um texto que eu recomendo, para refletir. É do Frederico de Castro:

A Crise na FSSPX e uma Pergunta Inevitável
 

Trechinho grifado por mim:

“O que está em jogo não é uma questão de preferência ou de carisma, mas sim a verdade e a justiça em relação ao modo de viver e conviver da forma como Deus nos ensinou e determinou que se faça.
Dito isso: quem está fazendo o que Deus manda? Dizeis por vós mesmos e tomem conta de que responderão por isso.”


Nesse momento tão grave, devemos rezar, nos informar, meditar, e buscar defender a Igreja, defender a Fé. Custe o que custar.

Peçamos ao Senhor  iluminação. Devemos defender os direitos Dele em primeiro lugar. Não confiemos nos homens e sim em Deus.

Lembremos que Ele irá cobrar de cada um de nós no Dia do Juízo. É muito fácil se acomodar, é muito fácil rotular os outros e se afastar, difícil é lutar remando contra a maré. Hoje vejo que muitos se estivessem no tempo da crise ariana não teriam hesitado em ficar ao lado dos bispos em heresia, não hesitariam em chamar Santo Atanásio de cismático. No entanto, quem é o santo reconhecido pela Igreja?

Cuidemos de buscar a verdade e defendê-la sempre. O que aconteceu ontem pode estar acontecendo novamente. Pense nisso. 


Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

quinta-feira, maio 17, 2012

O Espetacular Carimatismo "Católico" - Parte II


Crescimento do Pentecostalismo 'Católico' no Jardim da Heresia*


Por  John Vennari
Traduzido por Andrea Patrícia



Nós aqui contamos uma breve história do Pentecostalismo e como ele fez o seu caminho na Igreja Católica.

Embora tenha sido uma intrusão na Igreja Católica há apenas 39 anos (a), o Pentecostalismo tem história mais longa. A maioria dos autores identifica o seu verdadeiro pai como sendo John Wesley, da Inglaterra, o fundador do Metodismo. Wesley pregou sobre o batismo do Espírito Santo (ou "segunda bênção"), que ele dizia ser uma experiência pessoal intensa confrontando o cristão com a presença de Deus.

Com o tempo, a seita Metodista de Wesley tornou-se mais mainstream (b), e o Pentecostalismo ramificou-se em diferentes áreas. Em seu livreto "Assembléias de Deus e outras Igrejas Pentecostais", o grande apologista da contra-reforma Rev. Dr. L. Rumble (da renomada Radio Replies), traça a expansão do Pentecostalismo através do Revivalismo do século XIX que gerou "Igrejas Santidade", o Movimento da Chuva Serôdia e da Assembleia da igrejas de Deus. Uma vez que este livro foi escrito antes de acontecer a confusão ecumênica, o padre Rumble claramente reconheceu o Pentecostalismo como uma outra seita herética que os Católicos devem evitar.

Em relação a "falar em línguas" e outras explosões emocionais, Padre Rumble escreveu:

"Foi uma espécie de nova descoberta de que tais manifestações emocionantes poderiam resultar de fortes sentimentos religiosos. Profeta após profeta surgiu a encetar um revivalismo visando deliberadamente a criação de tais exibições anormais. Cresceu a idéia de que eles eram a prova de uma especial efusão do Espírito Santo sobre almas eleitas, e tais experiências emocionais foram interpretadas como evidência do ‘Batismo no Espírito’, a 'segunda bênção', conferindo a santidade a todos os que receberam tais dons". [1]

Este ponto merece comentário. É lógico que dentro do Protestantismo, se desenvolveu uma necessidade para uma intensa experiência pessoal como prova da presença de Deus. Os protestantes acreditam erroneamente que Cristo não estabeleceu uma Igreja para "ensinar, governar e santificar em Seu Nome" até o fim dos tempos. O Protestantismo, enraizado na interpretação particular das Escrituras, é apenas uma confederação de crentes que aceitam a Bíblia como a única fonte de Revelação Divina. Falta-lhes a certeza da autoridade Divinamente instituída ensinando infalivelmente que os sacramentos da Igreja Católica dados por Deus sempre conferem graça (a fonte da verdadeira santidade) para a alma que está devidamente disposta.

Essa necessidade, então, de provar pela experiência a presença de Deus na vida de alguém é o resultado direto da rejeição da Igreja Católica pelo protestante, do seu magistério sagrado, e dos sacramentos que conferem a graça. Uma vez que essa necessidade se baseia em um pecado mortal objetivo contra a Fé, quaisquer manifestações emocionais (que supostamente surgem ao ser "batizado no espírito") só podem ser explicadas por causas naturais ou por influência demoníaca. Tais manifestações também confirmam o protestante em seu pecado de incredulidade. Desde que o pentecostal acredita que ele já tem o Espírito Santo (e pode demonstrá-lo na hora), por que teria necessidade da Igreja Católica?

Alinhados com a doutrina Católica e a tradição imutável, podemos dizer que é blasfêmia descrever essas exposições como sendo obras do Espírito Santo. Procurar e imitar tais fenômenos é arriscar-se irresponsavelmente da própria Fé Católica. Promover tais manifestações é desempenhar o papel de falso profeta.

Línguas de Topeka

Católicos Pentecostais acreditam que o grande derramamento do espírito dos tempos modernos começou realmente a partir de uma pequena seita Protestante em Topeka, Kansas, liderada por Charles F. Parham. Alguns "Católicos" carismáticos, como Peter Herbeck (dos Ministérios da Renovação Ralph Martin), tratam o movimento revivalista de Parham como uma manifestação Divina igual a importância e santidade das visitas de Nossa Senhora de Fátima. [2]

Em seu livro "As Religiões Minoritárias nos Estados Unidos", William J. Whalen sucintamente descreve o papel importante da seita no Pentecostalismo moderno:

"O reaparecimento da glossolalia (falar em línguas) foi relatado em 1901. Charles F. Parham, um pregador da Santidade, estava desanimado com a aridez de sua própria vida espiritual. Ele alugou uma mansão “elefante branco” (c) em Topeka, Kansas, e começou uma escola bíblica com cerca de quarenta alunos. Juntos, eles traçaram um estudo intensivo das Escrituras e chegaram à conclusão de que o falar em línguas era o sinal de que um cristão havia recebido o batismo do Espírito Santo. Às sete horas da noite, na véspera do Ano Novo em 1900, um dos estudantes, a Senhorita Agnes N. Ozmen, surpreendeu o grupo reunido, quando ela começou a orar em línguas. Dentro de alguns dias muitos outros fizeram o mesmo.

"Parham passou os próximos cinco anos como um pregador itinerante antes de abrir outra escola bíblica, desta vez em Houston. Um de seus alunos, um ministro negro chamado W.J. Seymore, levou a mensagem ‘full-gospel' (d) para Los Angeles. O revivalismo nessa cidade da Califórnia já com três anos de duração   atraiu pessoas de todo o país, e essas pessoas estabeleceram o Pentecostalismo na maioria das grandes cidades os EUA, assim como em muitos países europeus. As Igrejas Santidade antigas se recusaram a dar ênfase ao falar em línguas, mas dezenas de igrejas Pentecostais independentes foram logo organizadas". [3]

O Monsenhor carismático Vincent Walsh, um promotor entusiasta das aberrações da "Bênção de Toronto", escreveu com aprovação: "Devido aos ministérios da Parham e Seymore, o Pentecostalismo mundial moderno foi lançado" [4]. Como um fenômeno entre os conjuntos de protestantes, ele teve um crescimento espetacular. E em 1967, um grupo de Católicos em Pittsburgh, com suas defesas destruídas pelo rolo compressor do aggiornamento Conciliar, e encantado com a história de um ministro protestante de sucesso entre os jovens arruaceiros de Nova York, iriam adotar uma "nova maneira de pensar," estudando as Escrituras de acordo com esta nova mentalidade, e mergulharam de cabeça nessa prática heterodoxa.

"Agitações em Pittsburgh"

No livro
Catholic Pentecostals, Kevin e Dorothy Ranaghan (fundadores do movimento pentecostal Católico) descrevem os primórdios do movimento. Os Ranaghans e seus colegas na Universidade de Duquesne estavam envolvidos com várias atividades populares na época (direitos civis, etc.). Em meio a essas empresas, eles foram atormentados com aridez espiritual. Para combater isso, eles afirmam, o grupo saiu em busca de uma maior influência de Deus em suas vidas.
A data era 1966, um período de turbulência eclesiástica sem precedentes. Thomas Merton logo estaria fora no Tibete orando com o Dalai Lama e chamando para uma unidade que se assemelhava a "Unificação" Hindu. O escritor New Age Teilhard de Chardin era praticamente reverenciado por muitos intelectuais Católicos como o quinto evangelista. Foi um período tumultuado da história da Igreja, com ventos violentos de mudança com desenraizamento e destruição de inúmeros marcos Católicos. Com tantos sinais familiares varridos do mapa, era muito fácil para os Católicos passearem fora dos limites buscando a Deus em lugares errados.

Em um Congresso Cursilho, este grupo reuniu-se a Ralph Martin e Steve Clarke que os apresentou ao livro "A Cruz e o Punhal", a história de sucesso do ministro protestante David Wilkerson entre gangues adolescentes em Nova York. Por causa do que Ranaghan e amigos consideraram "aspectos positivos" do Pentecostalismo encontrados neste livro, e por causa das "vidas transformadas" de dois de seus amigos envolvidos com tais atividades, eles buscavam uma experiência semelhante.

Ranaghan relata que seu grupo solicitou o conselho de um ministro episcopal, ignorando assim a sabedoria Católica milenar que proíbe a camaradagem religiosa prática com as seitas heréticas. Este clérigo os introduz numa reunião Protestante, Pentecostal. O grupo Católico compareceu ao encontro e participou do estudo da Bíblia.

Um dos presentes, Ralph Keifer, escreveu que no final desta reunião de oração, "Pat [Bourgeois] e eu pedimos para sermos rezados com o batismo do Espírito Santo. Eles se separaram em vários grupos, porque eles estavam orando por várias pessoas. Eles simplesmente me pediram para fazer um ato de fé pelo poder do Espírito para trabalhar em mim. Orei em línguas muito rapidamente" [5].

Mais tarde, o mesmo Ralph Keifer impôs as mãos sobre os outros dois (não identificados no livro) e eles também "receberam o batismo no espírito".

O Sr. Ranaghan e seus amigos parecem ter esquecido o aviso de Mons. Ronald Knox que "falar em línguas que nunca se tinha aprendido era, e é, um sintoma reconhecido em casos de alegada possessão diabólica" [6].  Expor-se livremente a tais perigos beira a loucura.

Não foi de estranhar então que Kevin Ranaghan foi o primeiro orador na noite de abertura na 30º aniversário da Conferência em 1997. Depois de se vangloriar que Deus havia lhe enchido até o transbordamento com o Espírito, Ranaghan contou que nos primeiros dias, a fim de estar no “espírito", ele e seu amigo procuraram o conselho espiritual de um grupo de oração protestante:

"No início, o contato com pentecostais da nossa área nos ajudou a crescer em entendimento e experiência dos carismas. Nós nos encontramos na casa do representante dos Homens de  Negócio do Evangelho Completo. E quando soube que um grupo de Católicos estava chegando, ele reuniu as tropas, e trouxe vários ministros pentecostais e uma sala cheia de guerreiros de oração para participar do que eles tinham certeza que seria uma dura batalha. O que eles encontraram foi o mais chocantemente fácil momento de oração que já haviam visto. Nós alegamos que já havíamos sido batizados no Espírito Santo, e eles acharam difícil de acreditar, porque, afinal, éramos Católicos". (A platéia caiu em grande gargalhada, em zombaria alegre da doutrina da "salvação exclusiva"  da Igreja Católica.)

Ele continuou: "Nós dissemos que nós só queríamos a sua ajuda e conselhos sobre nos submeter e usar os dons. Eles impunham as mãos sobre nós, e um por um da sala cheia de nós começou a orar e cantar em línguas. Nenhuma batalha, apenas a celebração de uma vitória” (Aplausos calorosos).

Ao fazer esta declaração, este "pregador ungido" (como eles se referem uns aos outros) parece ter esquecido que uma vitória Protestante sobre o Catolicismo não pode ser considerada como uma vitória para o Espírito Santo.

Então Ranaghan, doutrinando ainda mais a multidão em indiferentismo religioso, cantou o louvor e as bênçãos das seitas heréticas. Ele disse: "Louvado seja Deus pelos pentecostais dos velhos tempos e pelos carismáticos independentes que Deus enviou ao nosso caminho naqueles dias ... Sim, desde o início, foi uma celebração ecumênica" [7].

Assim foi como a "Renovação Carismática Católica" começou - Católicos recebendo uma zombaria Protestante do sacramento  com o "batismo no espírito", não através dos canais da graça sacramental estabelecidos por Cristo, mas através da colaboração com grupos heréticos.
De Pittsburgh o movimento se espalhou para Notre Dame e depois para Newman Centers no estado de Michigan e na Universidade de Michigan. Dentro de quatro anos desde o seu início, o "Pentecostalismo Católico" se espalhou para dezenas de áreas nos EUA e no Canadá.

Agora é um movimento [8] em todo o mundo considerado como um filtrado "sinal de esperança" na "Nova Evangelização". Sua função parece ser a de mover milhares de Católicos para a nova religião ecumênica do Vaticano II.


(continua)



________________________________

Adaptado do livro
Close-ups of the Charismatic Movement [Close-ups do Movimento Carismático].

*Segunda parte do artigo O Espetacular Carimatismo "Católico". Veja as outras partes I, II, III.
 

___________________________________
Notas:

1. Rev. Dr. L. Rumble, M.S.C., “Assemblies of God” and other “Pentecostal Churches” [St. Paul: Radio Replies], p. 18.
2. Peter Herbeck, “The Titanic Battle”, Renewal Ministries Newsletter, Ann Arbor, MI, Maio, 1997.
3. Whalen, op. cit. pp. 179-180.
4. Msgr. Vincent M. Walsh, What is Going On?, [Wynnewood, PA: Key of David Publications, 1995], p. 31.
5. Kevin e Dorothy Ranaghan, Catholic Pentecostals, [Nova York: Paulist Press, 1969], p 15.
6. Msgr. Ronald Knox, Enthusiasm, [Oxford: Oxford University Press, 1950], p. 551.
7. Kevin Ranaghan também falou no Celebrate Jesus 2000, em Saint Louis, de junho de 2000. Veja Close-ups of the Charismatic Movement.
8. A bênção "eventual" do Papa Paulo VI ao Movimento Carismático em 1976 foi devido à pressão do Cardeal Leon Joseph Suenens, um dos prelados mais modernistas do século XX, que exerceu grande influência sobre Paulo VI. Para mais detalhes, consulte " The Charismatic Cardinal Suenens", Seção III do livro Close-ups of the Charismatic Movement.



__________________________________________________
Notas da tradutora:
(a)    O artigo é de 2002.
(b)   Mainstream: dominante, aquilo que é estabelecido e aceito por um número maior de pessoas.
(c)    Elefante branco: diz-se daquele investimento muito caro e do qual não se faz uso, mas também do qual não se consegue livrar.
(d)   ‘Full-gospel’: ‘toda evangélica’, ‘Evangelho completo’.



quarta-feira, maio 16, 2012

O veneno do elogio viciado

vida
Recomendo a leitura desse artigo muito bom do Sidney Silveira sobre a questão do acordo da FSSPX.

Trechos:

"O elogio a um acordo meramente prático-político entre Roma e a FSSPX, como se apontou acima, é viciado. É na verdade um auto-elogio, quando saído da boca de críticos históricos da Fraternidade. Mas se algumas dessas pessoas agem assim por ignorância, paixão ou malícia (ou ainda uma mescla dos três), é algo que não há como saber. E por isso não nos cabe julgar.
(...)
Indaguemos, por fim, o seguinte: quem realmente está carecendo da “visão sobrenatural" da fé, D. Fellay ou os três outros bispos consagrados por Marcel Lefevbre?"