terça-feira, março 12, 2013

As Profecias Sobre a Igreja Católica



Recomendo a leitura do artigo “As Profecias Sobre Roma e a Igreja Católica”, disponível aqui.
Muitos são os católicos que ao repetir as palavras do Senhor “as portas do Inferno não prevalecerão”, afirmando que a Igreja permanecerá até o fim dos tempos, deixam de pensar que não é por causa dessa promessa que teremos sempre um grande número de católicos.  Está na Sagrada Escritura “…quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?” (Lc 18, 8). Ou seja, poucos serão os católicos no fim dos tempos. Daí se tem certeza da ingenuidade ou tolice de certos grupos ou pessoas que se encantam falando em “crescimento da evangelização” em “grande crescimento do número de católicos”, como se estivéssemos vivendo uma primavera cristã. Não devemos esperar por esse tipo de coisa. É claro que evangelizar é preciso, mas não é possível manter um pensamento de que muitos ouvirão o chamado Divino, pois sabemos que “muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos”.
Não é pessimismo, é realismo. O catolicismo não é algo cor-de-rosa, bonitinho, para o bem-estar...não é religião de autoajuda. Cristianismo é coisa séria e grave. Diz respeito à salvação das almas, a sorte eterna de cada ser humano.
Feliz daquele que possui a Fé, porque em meio a todos os dissabores, em todas as lutas cotidianas, ele pode levantar a cabeça e olhar para o alto agradecendo a Deus por tamanha graça. Não há felicidade maior no mundo do que ter a Fé. Mas isso também não quer dizer que viveremos todos em paz - ou seja, sem guerras de qualquer tipo – nesse mundo. Pensar assim é ilusão. É desconhecer as profecias católicas.
Disse Nossa Senhora em La Salette:
“Roma perderá a fé e se tornará a sede do Anticristo.”
Acreditando nessa e em tantas outras profecias, não podemos pensar em “primaveras da fé” e coisas assim. Temos sim que nos fortificar vigiando e orando, como Deus manda. Sem sonhos utópicos, sem ilusões.
Busque saber a verdade, sempre!