terça-feira, abril 02, 2013

Bastardos Inglórios: a podridão de Hollywood contra os valores cristãos


Veja abaixo um vídeo muito interessante com críticas ao filme de Tarantino "Bastardos Inglórios", bem como uma crítica à indústria cinematográfica de Hollywood que está quase toda nas mãos dos judeus, justamente daquele tipo de judeu que odeia os cristãos (sim, há alguns poucos que não são hostis aos cristãos, pelo menos não enquanto não se envolvem com a ideologia sionista, e enquanto não se envolvem muito com sua "religião").

Um professor judeu, Nathan Abrams, fala sobre os reis judeus da pornografia dizendo que "eles são motivados por um ódio atávico da autoridade cristã: eles estão tentando enfraquecer a cultura dominante da América através da subversão moral"... "a pornografia então torna-se uma forma de sujar a cultura cristã."

No vídeo há outras citações de judeus mostrando o quanto eles odeiam os valores cristãos. Claro que não são todos os judeus que promovem essa guerra contra o cristianismo, há aqueles que não se envolvem nem mesmo com a ideologia de seu próprio povo, mas é fato que a maioria vive obstinada na espera do Messias (que já veio e eles não quiseram aceitar) e faz o que pode para destruir o que resta dos valores cristãos em nossa sociedade.

Manis Friedman um rabino judeu diz: "Eu não acredito na moralidade ocidental". Interessante, não é? E o que é a moralidade ocidental se não aquilo que o cristianismo construiu? O que há de melhor em nossa sociedade, a moral ocidental por exemplo (chamada pelos comunistas de "moral burguesa" - comunistas esses financiados pelos banqueiros judeus, diga-se de passagem), é algo cristão.

Veja o vídeo com cuidado, há cenas muito fortes:



Claro que há sempre aqueles que irão criticar o autor do vídeo por causa do seu passado. Mas o que interessa não é quem diz e sim o que é dito. E o que ele diz é verdade, no que tange a supremacia judaica em Hollywood e em como eles influenciam negativamente a nossa sociedade.

Assista com cautela porque contém cenas de violência.