terça-feira, junho 11, 2013

Espiritismo sobre a Ciência: erros e absurdos


Trecho de uma resposta a um espírita, por Henrique Sebastião. Vejam que interessante e esclarecedor:

Se o espiritismo tivesse mesmo algum caráter científico, já teria desistido de confiar nesses meios de informação/instrução há tempos, pois o tanto de bobagens que supostos "espíritos de luz" sopraram aos ouvidos de Kardec daria para escrever um outro livro. Não há nada mais contraditório do que ciência e espiritismo. Bastam alguns minutos para entender que o Livro dos Espíritos, por exemplo, traz uma série de erros, alguns tremendos absurdos, grandes bobagens ditas com palavrório pseudocientífico, difundindo doutrinas que estavam em voga na época do Kardec mas há muito descartadas pela ciência. Destacamos, brevemente, alguns exemplos:

  • Desde o final do século XIX a ciência provou que não existe a "geração espontânea", afirmada como verdadeira no Livro dos Espíritos;
  • O Livro dos Espíritos diz que a espécie humana surgiu em vários pontos da terra, que cada raça apareceu num continente, num lugar específico do planeta. A ciência desmente essa doutrina absurda, provando, inclusive geneticamente, que a espécie humana teve uma origem comum, mais provavelmente na região centro-africana, e que raças começaram a se formar muito tempo depois, aproximadamente nos últimos 100 mil anos;
  • O Livro dos Espíritos afirma que o Universo, o Tempo e o Espaço são infinitos. Desde os anos 50 do século XX, porém, a ciência sabe que o Universo é finito e está em expansão, e o Tempo e o Espaço também não são absolutos;
  • O Livro dos Espíritos diz que o mundo foi criado segundo a célebre teoria de Laplace. Mas a teoria de Laplace foi completamente desmentida ainda no século XIX;
  • O Livro dos Espíritos surgiu antes do advento da psiquiatria e da psicologia. Assim, rapidamente atribui todos os fenômenos insólitos relacionados ao psiquismo humano como obra de "espíritos desencarnados". Desde a consolidação da psiquiatria, ainda no século XIX, nenhum homem de ciência considera viáveis as doutrinas espíritas, e inúmeros casos explicados como "obsessão" foram comprovadamente demonstrados como distúrbios mentais e/ou desordens emocionais, esquizofrenia, fragmentação de personalidade, etc.
  • Diz o Livro dos Espíritos: "Por que há selvagens e homens civilizados? Se tomarmos uma criança hotentote recém nascida e a educarmos nas melhores escolas, fareis dela, um dia, um Laplace ou um Newton? (...) Sem dúvida que o hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica (raça branca)? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão?" (KARDEC, Allan. Livro dos Espíritos, São Paulo: Inst. Difusão Espírita de Araras, sem data, cap 5, p. 126,-7). Allan Kardec, inspirado pelos "espíritos de luz" que o orientaram a "codificar" o espiritismo, afirma com todas as letras que uma criança hotentote (africana), ainda que educada nas melhores escolas, não teria possibilidade natural de alcançar o nível de um branco. Verdades científicas ou puro racismo?!

Esses são apenas alguns exemplos, sem falar de civilizações evoluídas habitando outros planetas do nosso sistema solar... Na época em que as "obras magnas" do espiritismo foram escritas, as pessoas eram mais ingênuas e não tinham como saber o tamanho destes e de muitos outros disparates. Hoje, a realidade é diferente. Mas as questões que realmente se impõem são: como podem "espíritos de luz", supostamente muito "evoluídos", dizerem tantas tolices no que se refere à ciência e astronomia? E, sendo assim, como poderíamos confiar no que eles dizem com relação aos outros assuntos?”

Pois é, meus caros, é tão simples! Como confiar nesses "espíritos" que erram tanto?
A segunda parte da resposta está aqui.