sexta-feira, outubro 04, 2013

Crise sim, mas Igreja sempre!



Uma bela resposta do Bruno Luis Santana a um leitor do Fratres in Unum, perplexo com a mais recente entrevista de Bergoglio. Vale a pena ler! 

Força, minha gente! A Igreja não será vencida! Vocês que ainda não se converteram, convertam-se! Venham para a verdadeira Igreja de Cristo: a Católica!

Leiam:

Gustavo,
Quando você vê uma instituição humanamente perdida como a Igreja Católica, minada em suas bases, atraiçoada pelos seus próprios pastores, e totalmente cercada por inimigos internos e externos, então é hora de se converter ao catolicismo.
Graças especialíssimas estão sendo concedidas neste momento, porque creia, você não é o único que enxerga a origem divina da Igreja precisamente no momento em que a mesma se encontra tão desfigurada quanto Nosso Senhor Jesus Cristo esteve nos momentos mais dolorosos de Sua Paixão.
Ser cristão e católico quando tudo está em ordem é para os fracos. Ser católico e ser desmentido pelo próprio sucessor de São Pedro na Terra, aí sim, aí é que se distingue quem é do IBGE de quem é católico…
Estamos desamparados neste mundo, mas o que nos resta é a certeza das palavras de Jesus Cristo, nosso Deus e Salvador: Ele mesmo disse que céus e terra passarão, mas suas palavras permanecerão. Ele mesmo edificou a Sua Igreja e garantiu que as portas do inferno jamais PREVALECERIAM. Ou seja, apesar de tudo, no fim teriam o triunfo.
E os santos Apóstolos também ensinaram que se alguém nos pregasse um Evangelho diferente, que fosse anátema, ainda que fosse um anjo descido do Céu. E que deveríamos obedecer a Deus antes que aos homens (se fosse o caso de nos virmos coagidos a escolher alguma obediência).
Meu caro, você vê nossa aflição. Qual religião no mundo de hoje é mais assolada por tantos golpes simultâneos, além da nossa? O noticiário mostra um encolhimento mundial da religião católica, e ao mesmo tempo o mundo está inflamado no neo-paganismo, no fanatismo e na revolução.
O mundo nunca foi tão ímpio como hoje; nunca foi tão antinatural como em nossos dias; hoje o paganismo não é por ignorância a Cristo; hoje o paganismo é de ódio a Cristo.
Veja o exemplo de nosso país: Nas últimas décadas, milhões de católicos migraram para o protestantismo. Pois bem: passadas estas décadas, hoje a sociedade brasileira reflete uma alteração realmente benéfica, a ponto de alterar para melhor a nação como um todo? Além de inaugurar templos, quais as marcas verificadas na nação por esta “força do bem” constituída por milhões e milhões de “renovados no Espírito”?
Somos uma sociedade mais saudável que há trinta anos?
Não. Sabemos que não.
A sociedade agora está pior do que nunca.
Então… O que o protestantismo em todas as suas variações – inclusive a carismática que se passa por católica – o que o protestantismo alterou de positivo em nossa sociedade, que ao invés de refletir no aumento da virtude, na diminuição do vício, no progresso do amor a Deus, no entanto só demonstrou ser uma simples migração de religião?
Nos tempos da Igreja “idólatra” e “constantiniana” não se viam tantos progressos diabólicos como o divórcio, o aborto, o suicídio, o crime, a droga, o gayzismo, o feminismo radical, o comunismo, etc etc etc. Mas se a “Sede do Anticristo” está em franco desaparecimento, porque o mundo – o Brasil – ao invés de melhorar com tantos “verdadeiros cristãos”, no entanto piora EM TUDO?
***
A ignorância dos católicos aprofundou-se a níveis tão absolutos, que sem medo de exageros, 95% dos batizados católicos – inclusive os “engajados”, de missa semanal, em quase todos os casos desconhecem a própria fé. E muitos deixaram de praticar o catolicismo sem se dar conta, mas pensam serem ainda católicos.
Em verdade, ainda acho que 5% é uma proporção muito generosa.
Sinto muito por tanta gente, e isso inclui muitos dos leitores deste blog, e também inclui vários que declaram estar com a Tradição da Igreja de Sempre, sinto muito por tantos ainda não terem compreendido certas verdades incômodas. Temo por estas pessoas que ainda se mostram tão ingênuas em seus comentários. E espero em Deus que estes se libertem de todo escrúpulo e respeito humano e se incendeiem de zelo pela Casa de Deus.
Espero em Deus que muitos dos que compreendem o drama em que vivemos se tornem impossíveis de ser demovidos da resolução de levar o estandarte da Fé sem soluções de compromisso e sem misturarem-se com quem não conserve a integridade da doutrina e do comportamento cristão.
E finalmente: espero também que muitos se recusem terminantemente a colaborar ou a concordar com qualquer coisa que signifique menos do que TUDO para a Glória de Deus.
Porque dar a Deus menos do que O MELHOR é uma desconsideração que ralha à ofensa!
***
Pois meu caro, a hora é AGORA. O sim a Jesus Cristo é para HOJE.
Expedito tornou-se santo diante de Deus, porque diante de um corvo enviado por Satanás que gritava Crás! (que significa amanhã), afim de sugerir a ele que deixasse para o dia seguinte pensar nas coisas de Deus e mudar de vida, Expedito, cheio do Espírito Santo, num ato de sua vontade de conformar-se ao fardo leve e ao jugo suave que constituem seguir a Cristo, o esmagou com o pé, desmanchando assim a tentação satânica de ATRASAR A CONVERSÃO e disse firmemente e para sempre: HODIE. HOJE.
E alegrou os céus.
***
A Igreja Católica do passado assemelhava-se ao Senhor Triunfante entrando em Jerusalém, aclamado com palmas de Oliveira e Hosanas. Era certamente muito fácil seguir um Messias glorioso, quando todos O aplaudiam.
Agora a Igreja se assemelha a Jesus Cristo açoitado, cuspido e esbofeteado, coroado de espinhos, com uma cana na mão e cercados de inimigos que não cessavam de zombá-lo e agredi-lo na face. Ninguém se encorajava a ignorar os soldados e um populacho furioso. Quem ousaria confessar a Cristo diante de tanta gente hostil?
Nem mesmo o primeiro papa teve esta coragem. Em três momentos disse em alto e bom som: “Não conheço este Homem”.
Renegou a Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O primeiro papa renegou a Deus Pai, Filho e Espírito Santo! Renegou a Cristo três vezes, RENEGOU AO DEUS UNO E TRINO.
PUBLICAMENTE.
O primeiro papa renegou a Cristo – na hora da dificuldade, na hora em que Cristo foi abandonado à própria sorte, quando mais precisaria de apoio, foi renegado pelo chefe dos Apóstolos – Mas o Amor de Deus foi tão absoluto, que moveu São Pedro ao arrependimento e a penitenciar-se. De forma que está comprovado que Deus não rejeita um coração arrependido que a Ele se dirige com humildade. Mas os seus sucessores papas, caso sirva de consolo – não caminharam com o Messias, nem comeram de seu Prato, nem presenciaram Sua pregação -. Se São Pedro que convivia com Nosso Senhor o renegou, porque seus sucessores seriam mais católicos que são Pedro e estariam imunes de renegá-lo?
Tanto não estão, que renegam. Quando um papa diz que a Igreja nunca esteve tão bem, e que “Cada um de nós tem uma visão do bem e do mal”, não é um exemplo retumbante disto? Se o bem e o mal dependem dos olhos de quem vê, então o Evangelho de Cristo não passa automaticamente ao crivo da censura individual? O que eu julgo bom, o que eu julgo mau… Mas o Eu-Deus define, e não a Boa Nova do Evangelho…?
***
Pois então: bem vindo a este vespeiro. Não garantimos descanso, bem-estar, conforto ou compreensões NESTA VIDA. Mas garantimos cruzes, perseguições, desprezo e lágrimas passageiras, afinal, como dizia Santa Teresa de Jesus de Avila, “a vida é como uma noite que se passa em uma péssima hospedaria”. E a vida passa rápido.
Porém, caso leve adiante, cuide bem em que lugar você baterá procurando pela Salvação; existem bons sacerdotes, mas a maioria tem má doutrina, ao invés de lhe ajudar, antes minarão suas intenções e o contaminarão com a heresia modernista diluída em meia dúzia de palavras católicas.
PS: ninguém disse que seria fácil. Um amigo meu que é de família protestante e filho de pastor, ao converter-se ao catolicismo, foi logo em seguida – com um pequeno empurrão meu – apresentado ao panorama real da situação em que estamos. E ele mesmo me diz que não saberia o que seria de seu futuro como católico, se antes da conversão tivesse noção da gravidade da crise em que estamos… BS.