terça-feira, abril 30, 2013

Os "católicos" que acreditam em Chico Xavier vivem uma tremenda ilusão



Henrique Sebastião responde a um pseudo-católico que diz admirar Chico Xavier, veja que interessante:

"Baseado em que, exatamente, você afirma que Chico Xavier “dedicou a vida em prol do próximo”?



Por favor, esclareça-nos que tão grande auxílio ao próximo esse homem prestou, na sua opinião. Anunciar às pessoas desesperadas, aos enfermos e necessitados que eles não precisam da salvação de Jesus Cristo, pois todos "reencarnarão" em novos corpos, para uma outra vida, com novas possibilidades de ter felicidade? Ensinar que as doenças e tragédias desta vida só ocorrem devido aos males praticados em outras vidas? Apresentar-lhes uma esperança de auxílio espiritual totalmente falsa e supostamente mediada por "espíritos de mortos desencarnados", dos quais ninguém tem como confirmar a origem e a idoneidade?"



De fato. Somente quem não entendeu nada sobre a mensagem de Cristo pode achar que alguém que a deturpa e ensina o oposto do que Ele ensinou é alguém "bom" "caridoso".  

Então alguém responde na caixa de comentários:

“Só não entendo uma coisa: Dos Espíritas para os católicos e membros de outras religiões cristãs há um grande respeito, no entendimento de que todos são cristãos enxergam os ensinamentos de Jesus sob diferentes ângulos.

E escreveu um monte de coisas, mas destaco esse trecho. Ora, como assim grande respeito e entendimento? Bom, o Lucas respondeu o que eu responderia:


“Realmente você não entende mesmo. Talvez pela sua mentalidade já enviezada para o espiritismo, que não compreende o que ensina o Corpo de Cristo (que é a Igreja católica). Você disse que há um “respeito” por parte dos espíritas em relação aos demais e disse ainda que todos “são cristãos” mas sob diferentes ângulos.

Mas na verdade se deveria surgir a seguinte dúvida: por que você questiona o fato da Igreja reprovar o ensinamento do espiritismo, se você mesmo admite que o próprio espiritismo faz o mesmo, quando diz que o espiritismo tem uma concepção diferente da Igreja dos ensinamento de Jesus? Então, se é assim, temos o mesmo “respeito” que vocês possuem.”


É o que sempre comento com meu marido: ora, que história é essa de intolerância católica, se os próprios espíritas discordam do catolicismo e acreditam no oposto do que o Cristianismo ensina? Então eles podem discordar de nós e nós não podemos discordar deles? Claro que não faz sentido. O problema todo é o ódio à Verdade Revelada. Se eles amassem a Verdade, já teriam saído dessa ilusão. Mas preferem acreditar em “novidades”, tem os ouvidos coçando para ouvir mentiras, estão cheios de orgulho achando que podem “salvar” a si mesmos pela reencarnação, não querem baixar a cabeça para fazer coisas simples como freqüentar Missa e os sacramentos, confessar seus pecados. Preferem crer no “carma” e assim saem julgando os pobres, os doentes, os deformados, enfim, todos os grandes sofredores, alegando que estes vivem mal porque fizeram mal em “outras vidas”. Cegos guiando cegos, cairão todos no abismo.

Meus irmãos católicos, batizados: acordem enquanto é tempo e voltem-se para a Igreja de Cristo, a única verdadeira, a Igreja Católica. O tempo passa rápido, não brinquem com suas vidas, a Eternidade está logo ali. Se você escolhe viver longe de Deus, cairá no Inferno. Não aposte na reencarnação, isso é ilusão.

A Igreja está de pé há mais de dois mil anos, mesmo com todos os ataques, mesmo com os traidores de dentro Dela. Nenhuma instituição se manteve assim na história da humanidade. Pensem bem se isso é ou não é obra de Deus. Se não fosse obra de Deus não teria durado tanto. Pensem nisso.


segunda-feira, abril 29, 2013

Marie e Louis: visita



Oh, você veio me visitar! Que galante!


Sim, eles se amavam.
Bravos reis. Tão jovens, amadureceram rápido, depararam-se com a Revolução e morreram bravamente, confessando a Fé Católica, firmes.

Bravo Louis XVI e brava Marie Antoinette!

sábado, abril 27, 2013

Comentários Eleison: GREC IV


Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCII - (302) 27 de abril de 2013

GREC  IV

Uma mulher tendo lido o primeiro “Comentários Eleison” sobre o GREC (CE, 02 de março) escreveu para reclamar que eu deturpei o GREC, o grupo parisiense de católicos fundado no fim dos anos 90 para unir tradicionalistas e Igreja mainstream a fim de que pudessem pensar e conversar pacificamente uns com os outros para o bem da Madre Igreja. Estou feliz por poder corrigir erros sobre os fatos que ela apontou. Eu não tenho nenhum problema em admitir as falhas pessoais minhas que ela destacou. Entretanto, em um ponto importante eu devo discordar dela.

Sobre os erros relacionados aos fatos, o Sr. Gilbert Pérol era Embaixador francês para o governo italiano, e não para o Vaticano. Também ele não era “colaborador leigo”, mas sim um amigo pessoal do Pe. Michel Lelong, um Padre Branco. Também o GREC não foi lançado “nos salões de Paris”, mas no apartamento da viúva do embaixador, Sra. Huguette Pérol, que, como eu disse, assumiu a total responsabilidade de ter fundado o GREC, puramente para ajudar a Igreja, e com a ajuda de pessoas “competentes e preocupadas em serem fiéis ao Evangelho e à Tradição”.

Sobre as minhas faltas, ela escreveu que eu era “cheio de si” e “ignorante”, que eu carecia de modéstia e diplomacia, que eu mostrei insuficiente respeito pelos mortos, e que eu escrevi com tom sarcástico não condizente nem com uma pessoa educada nem com um sacerdote. Madame, como eu estaria feliz se fossem essas as minhas piores faltas pelas quais eu devo responder perante Deus. Reze pelo meu juízo particular.

Entretanto, sobre o sarcasmo, deixe-me declarar que, se eu zombei da nostalgia dos católicos hoje pelo catolicismo da década de 1950, eu estava pensando não no Embaixador Pérol particularmente, mas nas multidões de católicos dos dias de hoje, que, não percebendo o porquê de Deus ter permitido que o Vaticano II separasse a Igreja mainstream da Tradição Católica em primeiro lugar, desejam retornar àquela fé sentimentalista da década anterior que levou diretamente ao Vaticano II! Madame, o ponto crucial não tem nada a ver com pessoas subjetivas, tem tudo a ver com doutrina objetiva.

É por isso que eu devo discordar da senhora quanto à competência das pessoas que ajudaram o Sr. Pérol a fundar o GREC. Que um diplomata profissional como o Embaixador Pérol tenha recorrido à diplomacia para resolver os principais problemas da doutrina é algo equivocado, mas compreensível. Que um padre Conciliar como Pe. Lelong tenha encorajado tal empreendimento diplomático é algo mais grave, mas ainda assim compreensível, dado que o Vaticano II minou toda a doutrina pela oficialização do subjetivismo dentro da Igreja. O que é muito menos fácil de aceitar é a “competência e a preocupação pelo Evangelho e pela Tradição” da parte dos sacerdotes que foram formados por Monsenhor Lefebvre para compreender o desastre do Vaticano II. Tais sacerdotes não deveriam nunca ter encorajado, muito menos tomado qualquer parte ativa nisso, um esforço essencialmente diplomático para resolver um desastre essencialmente doutrinal, por mais bem intencionado que esse esforço tenha sido.

E ainda assim, mesmo no seu caso o provérbio francês se aplica em certa medida: “Compreender tudo significa perdoar tudo”. O Arcebispo era de uma geração anterior e mais saudável. Eles eram todos filhos do mundo destruído pelas duas Grandes Guerras. Todo o crédito a eles por recorrerem à sua pessoa para a sua formação sacerdotal, e enquanto ele viveu, ele formou todos nós. Mas eles nunca realmente absorveram a sua doutrina, e assim, uma vez que ele estava morto, eles começaram dentro de poucos anos a cair. Mas ele estava certo, e eles, e o GREC – perdoe-me, graciosa senhora – estão errados. Queira Deus que eles se corrijam.

                                                                                                               Kyrie eleison.

quinta-feira, abril 25, 2013

A Igualdade é Contra Deus

Por Hector El Cruzado
Traduzido por Andrea Patrícia

A diversidade de criaturas e seu escalonamento hierárquico são um bem em si mesmo.

É cada vez mais comum ouvir falar de "educação igualitária", "relações sociais igualitárias", igualdade de salários, etc. Assim, a desigualdade está sendo apresentada como hostil, injusta, cruel, anticristã.
Na verdade, não se trata tanto sobre se deveria haver patrões e funcionários; não se trata de saber se deve haver quem manda e quem obedece. A questão é algo mais profundo: No universo, a igualdade é um bem ou um mal? Fugir dessa questão é escapulir do fundo do problema.
Claro que isso não significa que a desigualdade é sempre e necessariamente um bem.
Quais são então os limites da igualdade e da desigualdade justas?
Todos os homens são criados iguais, e diferem apenas em seus acidentes. Seus direitos que vêm do simples fato de serem homens são iguais para todos: o direito à vida, à honra, a condições adequadas de vida, ao trabalho e, portanto, à propriedade, à constituição da família, e todo o conhecimento e prática da verdadeira religião. E as desigualdades que violam esses direitos são contrárias à ordem da Providência. No entanto, dentro desses limites, as desigualdades de acidentes como virtude, talento, beleza, força, família, tradição, etc., são justas e de acordo com a ordem do universo.
Santo Tomás ensina que a diversidade das criaturas e seu escalonamento hierárquico são um bem em si mesmo, pois assim resplandecem melhor na criação as perfeições do Criador. Ele diz que entre os anjos como entre os homens, no Jardim do Éden, e nesta terra de exílio, a Providência instituiu a desigualdade. Então, um universo de criaturas igual seria um mundo que teria eliminado, na máxima extensão possível, a semelhança entre criaturas e Criador. Odiar, em princípio, toda e qualquer desigualdade é, portanto, colocar-se metafisicamente contra os melhores elementos de semelhança entre o Criador e a criação, é odiar Deus.
Original aqui.

quarta-feira, abril 24, 2013

O Mosteiro da Santa Cruz precisa de nossa ajuda


Como todos sabem, o Mosteiro da Santa Cruz tornou-se um dos mais importantes eixos internacionais em torno dos quais gira a chamada Resistência. E, em razão da importância que assumiu nesta luta contra qualquer acordo entre a Tradição e a Roma liberal, tornou-se uma espécie de centro de estada e de peregrinação. Aumentou muito o número de pessoas que agora vivem definitiva ou provisoriamente nele: sacerdotes expulsos da neo-FSSPX, novos postulantes à vida monástica, leigos que querem formar-se ou encontrar um refúgio espiritual, além das seis monjas que cuidam da escola, e desta mesma escola e seus alunos: com respeito a ela, o Mosteiro trabalha no vermelho, até porque os pais de parte das crianças que a frequentam não têm condições financeiras para sustentá-la totalmente.

Pois bem, o Mosteiro precisa de nossa ajuda financeira. Se de fato estamos comprometidos com a luta pela preservação da verdadeira Tradição, não deixemos de destinar o dinheiro que pudermos ao nosso querido e indispensável Mosteiro da Santa Cruz. Basta entrar no banner Doações para o Mosteiro da Santa Cruz, na coluna da direita deste blog, e contribuir mensalmente ou ao menos alguma(s) veze(e) com quanto possível.


Estejamos certos das orações desses valorosos monges: para isto vivem, para rogar a Deus graças para os pecadores.  

segunda-feira, abril 22, 2013

Jornada católica ou festividade mundana?



Algumas vezes as imagens falam por si mesmas, e, aqui, o contraste entre um conjunto de fotos da recente Jornada Mundial da Juventude, comandada por Bento XVI na Espanha, e um conjunto de fotos de diversos momentos e atividades do Mosteiro da Santa Cruz (http://www.beneditinos.org.br/), em Nova Friburgo/RJ, responde perfeitamente à pergunta formulada mais acima.

Fotos da Jornada Mundial da Juventude
(Espanha 2011)








*  *  *

Fotos de diversos momentos e atividades
do Mosteiro da Santa Cruz







Relicário com relíquia da Santa Cruz

sábado, abril 20, 2013

Comentários Eleison: Levante da Resistência



Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCI - (301) 20 de abril de 2013

LEVANTE DA RESISTÊNCIA


Outra jornada de três semanas no lado ocidental do Oceano Atlântico permitiu que eu visse que a resistência ao colapso da Fraternidade Sacerdotal São Pio X no abraço a Roma apóstata está se levantando, mais em qualidade do que em quantidade (mas à qualidade Católica segue a quantidade Católica, e não o contrário). Os Tradicionalistas vêm sendo deliberadamente mantidos no escuro quanto ao que está acontecendo entre a Fraternidade e Roma, mas, ao descobrirem o quanto a verdadeira religião Católica está sendo ameaçada, então uma série de bons homens têm passado a reagir com seriedade e resolução.
A primeira comunidade de todas que visitei foi a do padre Jahir, com uma dúzia de religiosos no norte do Brasil, perto da cidade de Salvador, onde o Pe. Jahir foi pároco por muitos anos. Tendo fugido da Neo-Igreja, ele vê a situação da Neo-Fraternidade muito claramente. Ele fundou sua própria comunidade na Fé verdadeira, e é fácil imaginar vários de seus homens tornando-se dentro de alguns anos valentes sacerdotes que irão guardar essa Fé. Eu dei a um deles a Tonsura e as duas primeiras Ordens Menores, e depois segui para o sul para visitar outro padre brasileiro a tornar-se famoso por sua adesão firme à Tradição, tal como o Arcebispo Lefebvre a compreendia.
O Beneditino Dom Tomás é Prior do Mosteiro nas montanhas perto de Nova Friburgo perto do Rio de Janeiro. Foi fundado em 1980 por Dom Gérard como um desdobramento do Mosteiro Beneditino Tradicional que Dom Gérard também havia fundado na França em 1970, com o incentivo e apoio do Arcebispo Lefebvre. No entanto, quando o Arcebispo consagrou bispos em 1988, Dom Gérard rompeu com ele, levou seu mosteiro para a Neo-Igreja, e cruzou o oceano para fazer o mesmo com o mosteiro brasileiro.
Aqui ele deparou com a resistência de Dom Tomás, que ainda era apenas um jovem monge, mas que antes de se tornar um monge tinha aprendido em profundidade de um famoso leigo católico brasileiro, Gustavo Corção, sobre o erro da Neo-Igreja. Com a ajuda de bons leigos e com o apoio do Arcebispo Lefebvre, Dom Tomás levantou-se contra Dom Gérard e salvou o Mosteiro para a Tradição. Com tal conflito em seu passado, não é surpreendente que Dom Tomás também veja muito claramente a situação tanto da Neo-Igreja quanto da Neo-Fraternidade. Em uma tenda montada do lado de fora da pequena igreja do Mosteiro para os visitantes extras para as cerimônias da Semana Santa, celebramos com alguns sacerdotes, mas com todos os elementos essenciais, a Consagração dos Santos Óleos na Quinta-feira Santa. Estes Mosteiros agora podem prover os sacerdotes por este ano em particular, provisão que pode ser cortada pela Neo-Fraternidade.
Então eu voei para o norte para visitar mais três centros da Resistência sendo lançados nos EUA pelos corajosos padres Joseph Pfeiffer e David Hewko. Perto de Connecticut, em Nova Jersey e em Minnesota eu pude fazer Crismas e conferências para os católicos que desconfiam do que está acontecendo na Neo-Fraternidade. Eles fizeram boas perguntas, merecedoras de respostas verdadeiras.
Boas notícias para os benfeitores na Eurolândia: a Iniciativa St. Marcel tem, até que enfim, uma forma de receber em euros. Preencha um cheque para “Institut Culturel St Benoit” (não se preocupe com o nome), e mande para o Institut Culturel St Benoit, BP 60232, F78002 Versailles Cedex. Ou faça um depósito bancário dentro da França para o seguinte RIB: 20041 01012 6704149J033 09; de fora da França para o seguinte IBAN: FR85 2004 1010 1267 0414 9J03 309. Através da I.C.S.B. as doações vão certamente chegar à Iniciativa St. Marcel, que acaba de ser capaz de dar ajuda, muito necessária, para o Mosteiro de Dom Tomás. Ele agradece a todos os que têm contribuído.

Kyrie eleison.

Notícias urgentes: Estatuto do Nascituro

Extraído e adaptado de Mulher Católica:

Acesse este link para ler a mensagem do Brasil Sem Aborto, com os emails dos deputados e também com um texto pronto para ser enviado. Vamos mandar emails aos deputados, pedindo para que eles aprovem o Estatuto do Nascituro
 
Com essa luta desgraçada que está acontecendo em nosso país para descriminalizarem o aborto à todo custo, nós, cristãos, precisamos fazer algo que garanta às nossas crianças, que estão em formação ainda dentro do ventre materno, o DIREITO À VIDA! 
 
Ajudem a divulgar. Faça a sua parte!! Lutemos por um Brasil cristão, a favor da vida e defensor das crianças e da família!

sexta-feira, abril 19, 2013

Cenas da JMJ: espiritualidade ou folia?



ATENÇÃO: ESSA POSTAGEM CONTÉM FOTOS ILUSTRATIVAS DA JMJ, FOTOS INDECENTES.

Vejamos algumas cenas da Jornada Mundial da Juventude flagradas pelas câmeras. Eu não gosto de mostrar fotos indecentes em meus blogs, evito ao máximo, mas creio que para algumas mentalidades somente imagens fortes podem surtir algum efeito. Devemos mostrar aos que querem enxergar o mal que é comparecer a um evento como esse. Temos que avisar as ovelhas para que tenham cuidados com os lobos. Simples assim.

 É algo católico se manifestar como na foto acima? E essa imagem é veiculada no site oficial da JMJ. Ou seja, eles incentivam gestos que hoje são conhecidos como não-católicos. Preciso explicar o que significa isso hoje em dia? 


Há católicos que pensam que a JMJ é algo bom, mas não percebem que um evento onde altos prelados praticamente abençoam apresentações de músicos com canções que nada tem a ver com o catolicismo, que não dão nenhum código de vestuário decente, e deixam que os jovens assistam à Missa (que nem mesmo é a Missa Tradicional) e se aproximem do Santíssimo vestidos como prostitutas e marginais, não pode ser algo querido por Deus; esses prelados promovem um evento onde jovens solteiros de ambos os sexos dormem próximos uns aos outros, alguns dentro de barracas, contrariando totalmente a moral cristã. Tem que ficar claro que os católicos fiéis à Doutrina da Igreja repudiam esse evento e querem a total reforma ou o fim dele. Como eu acredito que uma reforma só pode acontecer quando Roma voltar a ensinar e viver a Fé verdadeira, meu voto é pelo fim da JMJ como se apresenta hoje e desde o começo.

Independente da intenção do jovem que queira estar numa JMJ, o mais importante é o que é pregado lá. A JMJ possui, no mínimo, as seguintes falhas:

- apresenta Vias Sacras “recriadas”, com teor liberal-socialista, em vez de Tradicional;
- apresenta shows de música pop, coisa sem necessidade num evento religioso;
- não dá nenhum código de vestuário decente;
- permite que jovens solteiros de ambos os sexos durmam juntos, longe das vistas dos pais;
- não celebra a Santa Missa Tridentina em Latim.


Então não é uma questão de “ah, vou lá dar o meu testemunho”. Isso é ingenuidade. Você pode até ter boas intenções, mas o problema é muito mais profundo. O problema vem de cima, do topo da hierarquia, pois os próprios bispos apóiam tal evento, o Papa está lá sem dizer uma palavra sobre a imoralidade da coisa toda, etc. Isso é fato, só não vê quem não quer. Os católicos precisam tomar uma atitude, precisam reclamar, do mesmo jeito que fez São Paulo quando chamou a atenção de São Pedro, o Papa, na frente de todo mundo! Esse é o exemplo do Evangelho.

Então os artigos que traduzo, as coisas que escrevo, sobre a JMJ são para avisar aos que querem ver, porque com os cegos voluntários eu não quero conversa, eles estão brincando com a hora da verdade. Deus tenha misericórdia deles. As pessoas que freqüentam JMJ em sua maioria, não todas, são pessoas mundanizadas, que vão a praias mistas, que usam biquíni e tomara-que-caia, shorts curtos, pulam carnaval, entre outras coisas; e ainda se acham muito católicas, repetindo baboseiras clichês do mundo neoconservador e achando que têm razão. Nada conhecem de fato sobre Doutrina, achando que até espirro de Papa é infalível. É a desgraça da crise de Fé que vivemos atualmente. Para saber um pouco sobre de onde vem o horror que vemos hoje, leia este artigo que traduzi, aqui.

+ Para começar a saber mais sobre Catolicismo e compreender a crise de hoje, leia:
Pacientes na Tribulação, SPES e os escritos de Dom Lefebvre.
+ Para entender sobre obediência leia aqui e aqui.
+ Para aprender o Catecismo, leia: Regi Saeculorum e A Grande Guerra.
Há vários outros blogs bons, mas fiquem com esses para começar.

Vejamos agora algumas cenas nada modestas acontecidas em várias JMJ, todas comentadas. Os textos são traduzidos por mim e foram extraídos do site Tradition in Action.

***

Amor livre sob a proteção da Igreja - JMJ 2005






Acima, uma cena comum nas JMJs: um jovem casal se beijando em ambiente de completa liberdade. Abaixo, primeira fileira, adolescentes de ambos os sexos dormindo perto uns dos outros sem qualquer barreira para prevenir seus maus instintos de se desenvolverem. Segunda fileira, uma manifestação do tipo paz e amor no estilo característico de Woodstock. 



Terceira fileira, esquerda, um punk sorridente com um penteado extravagante posa como se estivesse recebendo uma bênção de Bento XVI. À direita, outro punk está à vontade no ambiente de tolerância de Cologne 2005 (em Alemão: Köln 2005). Última fileira, rapazes sem camisa e garotas com shorts entram nas águas do rio Reno para saudar o barco de Bento XVI, chegando para a JMJ.






  
Original aqui.



Revolução Cultural sob proteção da Igreja



Acima: um padre e uma freira dançando em cima de barris em frente à Catedral de Cologne.
À direita: jovens mulheres em trajes brancos dançando pelo altar onde está exposto o Santíssimo Sacramento num ostensório.

Abaixo, primeira fileira à esquerda: jovens casais chegando a estação de Cologne para passar cinco dias e noites juntos. 
À direita: um casal deitado no chão em seus sacos de dormir durante a Missa de Bento XVI.

Segunda fileira, à esquerda: uma figura riponga [hippy no original. N.dTr.] enrola rosários sobre a cabeça como se fosse um lenço, segurando uma bandeira da Santa Sé. 
À direita: uma garota tendo uma cruz tatuada em sua barriga.

Teceira fileira, à esquerda: jovens homens cobrem-se com as bandeiras de seus países, dando a impressão de que estão nus. 
À direita: um casal se abraçando numa atmosfera de grande liberdade moral. 




  Original aqui.


Novas devotas



Para expressar seu entusiasmo por Ratzinger, jovens mulheres tatuam a parte de baixo de suas costas com a frase: "Eu amo o Papa!" [em alemão: Ich liebe den Papst!]

É indiscutivelmente uma forma original de expressar sua devoção pelo Papado. 
Também não há dúvida que essa e outras iniciativas tais foram permitidas pelo clero que dirige a juventude.  Um “sinal dos tempos” indicando para onde a formação da juventude está se conduzindo. Esse é um bom exemplo dos frutos do Vaticano II na pastoral atual também.

Julgando pelas cores que elas usam nas suas echarpes em volta da cintura, as jovens são parte da delegação da Baviera para a Jornada Mundial da Juventude 2005 em Cologne.



Original aqui.


Estilo Woodstock Ainda Presente na JMJ em  Sydney



Algumas pessoas podem estar se perguntando se a inculturação aborígine exibida na JMJ Sydney eclipsou ou até mesmo erradicou o estilo Woodstock dessas reuniões. Isso não aconteceu. Os dois estilos se fundiram confortavelmente, permitindo ao tribalismo urbano se beneficiar do contato com o tribalismo aborígine. 

O desprezo pela moral católica tanto por parte dos organizadores quanto dos jovens permaneceu tão completo como foi nas JMJ anteriores. De fato, não havia restrições sobre o comportamento dos casais jovens não-casados​​, que continuaram a dormir juntos em alojamentos fechados, abaixo na primeira fileira. Alguns deles foram tão longe a ponto de posar para os repórteres deitados juntos e fazendo carícias uns nos outros, como os “peregrinos” alemães, acima. 

Ninguém se incomodou com o extravagante punk americano, segunda fileira abaixo, que estava completamente à vontade com o seu estilo de cabelo vermelho-arara, enquanto um grupo de jovens africanos se movia freneticamente ao ritmo do rock eclesiástico tocado por uma das muitas bandas, como o duo franciscano, última fileira à direita.


Original aqui.


A Dança da Freira com o Padre missionário



Cologne 2005, Agosto 16 - 21 – A belga Irmã Johanne Vertommen dança com o padre missionário John em dois close-ups da Jornada Mundial da Juventude 2005. 

Essas fotos foram publicadas pelo jornal flamengo Het Laatste Nieuws. Quando um reporter perguntou a Irmã Johanne sobre as poses de sua dança, ela respondeu: “Minha Madre Superior levantou a questão hoje. Ela acha que eu deveria ter um pouco de cuidado e ter em mente que eu represento a nossa comunidade."

Isso quer dizer que, por este comportamento indecente em público - para qualquer jovem, mas especialmente para uma freira – a Irmã Johanne não recebeu reprimenda, mas apenas uma observação prudencial. Também não houve relatos até o momento de qualquer reprimenda feita ao Pe.
John...

Como justificativa para esse comportamento, Irmã Johanne adicionou: "Eu não faria isso em casa, mas em tais ocasiões eu me deixei levar pelo entusiasmo do grupo."

Se Irmã Johanne e Padre John fizeram isso em plena luz do dia em frente às câmeras, pode-se imaginar quais ações de entusiasmo espontâneo os levaria quando eles estivessem sozinhos juntos. 

Além disso, se as pessoas religiosas entram neste tipo de "entusiasmo" típico de uma Jornada Mundial da Juventude, o que se pode imaginar em matéria de casais não-casados ​​que estão autorizados a dormir juntos durante todo o encontro de seis dias?


Original aqui.


Falta de pureza na JMJ de Toronto



É julho de 2002. A delegação de Luxemburgo presente na Jornada Mundial da Juventude em Toronto, acima, aguarda a chegada de João Paulo II. Até que o Pontífice apareça, a juventude se diverte. Se alguém observar detalhadamente a foto, verá que eles manifestam a atmosfera geral de falta de modéstia e pureza. O homem no centro encosta seu torso nu nos ombros desnudos da mulher em seu colo, enquanto sua mão acaricia sua coxa. Suas posições revelam que seus corpos estão tão juntos quanto possível. A posição de suas pernas nuas dificilmente é decente em companhia mista.

Atrás do primeiro casal, um jovem massageia o pescoço de sua amiga.

Abaixo, primeira fileira: casais em contato próximo encontram proteção debaixo de uma tenda improvisada. Segunda fileira: a juventude de Luxemburgo apresenta música moderna durante a celebração da Missa. Terceira fileira: casais esperam para embarcar no avião de volta para a Europa, depois 13 dias de viagem "piedosos e dignos".


Original aqui.


JMJ: Indo em direção a um bordel "sagrado"?




A JMJ-2011 em Madrid terminou. Ainda mais que nas anteriores, esse encontro foi marcado pelo relaxamento dos costumes. Casais deitados juntos no chão em plena luz do dia, mulheres usando biquínis e homens com peitos desnudos dificilmente podem induzir outros participantes a praticar a virtude, eufemisticamente falando. Em vez disso, tal comportamento faz um forte convite ao pecado.

Acima, as pernas de um casal estão entrelaçadas, enquanto estavam deitados juntos em público; abaixo primeira linha: uma garota provocativa usando um top de biquíni toma a iniciativa de beijar seu companheiro sem camisa, seus corpos estão ensopados depois de terem sido molhados pela caminhão de água. Segunda fileira: protegida do sol por bandeiras espanholas, uma jovem mulher mostra seu corpo num biquíni ligeiramente modificado enquanto ela casualmente busca por petiscos na sua bolsa. Seus vizinhos usam trajes similares. 

Terceira fileira: um casal se dirige para a vigília papal. Ela enrolou sua blusa para mostrar a barriga e, em vez de usar um “chapéu de peregrino” para proteger sua cabeça do sol, ela escolhe colocá-lo na sua cintura para atrair a atenção dos transeuntes para o seu derriere. Seu companheiro sem camisa usando uma bermuda frouxa mostra parte de sua roupa de baixo.

Quarta fileira: garotas usando ousados tops de biquíni entram numa espécie de êxtase sensual quando a água fria toca seus corpos: uma forte ocasião de pecado para os jovens homens presentes. Quinta fileira à esquerda: enquadrado por cinco pares de pernas, um rapaz seminu se prepara para a cerimônia, enquanto à direita seu fleumático colega usando sunga observa o movimento no campo. Sexta fileira: um jovem seminu e sua amiga ensopada de água desfrutam o borrifo que deixa a blusa dela transparente. 

Quando quase tudo convida à sensualidade e quase nada impede as coisas de alcançar seus últimos estágios, não é necessário ser muito inteligente para concluir que aquelas conseqüências finais aconteceram. As fotos ousadas mostradas aqui nos permitem dizer que a atmosfera da JMJ-2011 assemelhava-se a uma enorme orgia. Sua principal diferença é que essa atmosfera tipo bordel na JMJ é abençoada pelas autoridades religiosas e endossada pela presença de Bento XVI. 

Se você também se opõe a essas cenas e concorda com esses comentários, você deve tomar alguma ação.

Não mande seus filhos para a JMJ. 

Expresse-se sobre essa imoralidade escandalosa
.





***

Depois dessas imagens quem ainda achar que pode frequentar esse ambiente e ainda assim ser edificado ou evangelizado na JMJ, está com sérios problemas. Se isso tudo aconteceu lá fora, não quero nem pensar na bagunça que vai ser aqui no Brasil.

Deus tenha misericórdia dos que não querem ver.

 _______________________________

-Para ver vídeos no site oficial, clique aqui. Algumas imagens que aparecem nessa postagem estão nos vídeos.
-Vejam no site da JMJ Rio algumas fotos que ilustram a falta de espírito católico e total falta de modéstia de quem se prepara para o evento.
_______________________________

Leia aqui o que já escrevi e traduzi sobre a JMJ:

O que há de errado com o Dia Mundial da Juventude?

JMJ com Michel Teló, Ivete Sangalo e Milton Nascimento.

JMJ: Sydney ou Sodoma?

É hora de terminar a Jornada Mundial da Juventude


quinta-feira, abril 18, 2013

É hora de terminar a Jornada Mundial da Juventude

Por Christopher A. Ferrara
Traduzido por Andrea Patrícia


 
        Dizem-nos que um dos grandes sucessos do pontificado de João Paulo II foi a "Jornada Mundial da Juventude", e que (o mito se perpetua) reavivou a fé e milhões de jovens, preparando assim o caminho para uma "primavera da Igreja". Mas, como John Vennari do Catholic Family News documentou além da grave controvérsia, as Jornadas Mundiais da Juventude são a versão católica de Woodstock: massas de jovens amontoados em acampamentos de ambos os sexos para ouvir música rock e serem tentados por membros do sexo oposto.
        Sim, há "liturgias" ao ar livre e uma oportunidade para se confessar, mas liturgias e confissões da moda também estão disponíveis em casa. O que atrai milhões para a JMJ é o Woodstock disso tudo.
       Depois de tudo, a JMJ não é simplesmente um evento católico em qualquer sentido tradicional da palavra. A ideia é fazer com que "os jovens" venham conhecer o Papa, mas a realidade é que a JMJ é um ataque à inocência, à dignidade pessoal e ao catolicismo romano.
        E não é provável que isso vá mudar sob o novo pontificado. Na verdade, a aberração JMJ parece estar piorando. Como Catholic News Agency (CNA) informou em 5 de agosto de 2005: "a banda de rock cristã da Argentina, Rescate, que se orgulha de ser "os únicos artistas latino-americanos que participarão no concerto de encerramento da XX Jornada Mundial da Juventude", criticou o Papa Bento XVI, que será a figura central nas celebrações em Cologne, na Alemanha."
        Por incrível que pareça, a banda declarou em uma entrevista no site chileno "Musica123", que: "Pessoalmente, não acho que o Papa é o representante de Deus na terra. Jesus veio para acabar com qualquer intermediário entre Deus e o homem, e, portanto, temos uma relação direta com ele”.
        Em um resumo perfeito do que o Papa tornou-se aos olhos do mundo depois de quarenta anos de "ecumenismo" e "diálogo", o vocalista da banda, um tal de Ulises Eyherabide, acrescentou: "Para mim, a força do Papa é mais política do que espiritual... Substituir João Paulo II, obviamente, tem um significado mais político do que espiritual."
        Perguntado se eles eram mesmo católicos, os membros da banda teriam dito: "Nós somos seguidores de Cristo para além de qualquer identidade específica. Você pode definir-se como católico e ser... Eu não sei... Hoje temos um Papa que, em teoria, representa a Igreja inteira. No entanto, há aqueles que dizem que este não é o caso. Portanto, por que dividir Jesus ainda mais quando, na realidade, Ele veio para toda a humanidade? A religião é responsável por criar essas diferenças". Isso de uma banda que vem de um país de maioria católica. E ainda assim, somos convidados a acreditar que a JMJ "revive" a fé dos jovens.
        Com evidente desânimo, CNA observa que "Não apenas Rescate representará a maioria dos povos católicos de língua espanhola do mundo, durante o concerto de encerramento para a Jornada Mundial da Juventude em 21 de agosto, como também a música da banda 'Quitamancha' será incluída na CD oficial da JMJ intitulado "Construir Um Mundo", que vai lembrar os jovens para os próximos anos do maior evento católico do mundo, com o Papa Bento XVI sendo a figura central presente”.
        Quando esta coluna estava sendo publicada, a CNA/CWNews.com informou que [a banda] Rescate havia sido excluída do programa da JMJ. Até o momento, é uma boa notícia. Mas é hora de o Vaticano reconhecer o óbvio: que a Jornada Mundial da Juventude é apenas outra novidade da época pós-conciliar que destrói a fé católica e promove o erro do indiferentismo religioso. Não é suficiente que "Rescate" seja removida da lista de bandas de rock da JMJ 2005. O evento deve ser convertido a uma digna Missa Papal ao ar livre oferecida pela conversão de todo o mundo. E todas as músicas de rock devem ser banidas.
        Mas se o Vaticano fizesse essas mudanças, centenas de milhares de "jovens" não iriam para a JMJ para ter sua fé "reavivada", iriam? Esse fato por si só nos diz por que a JMJ deve ser terminada de uma vez por todas.
Original aqui.