terça-feira, abril 08, 2014

Mais uma vítima do feminismo

Mark Mayo


A notícia sobre um soldado da Marinha dos Estados Unidos que perdeu a vida tentando salvar a de sua colega, chamou minha atenção.

Um marginal, que já havia sido condenado por assassinato, chamado Savage (interessante o nome, não?) entrou com um caminhão na Base Naval e desarmou a marinheira que estava na entrada. Sim, uma militar treinada foi desarmada por um marginal...

O marinheiro Mark Mayo, saltou na frente da mulher e atirou no bandido, que atirou nele também. Outros soldados atiraram no bandido. Morreram os dois.

A família de Mark conta que ele sempre foi um bom aluno e que eles procuraram outra vizinhança por causa da segurança, e que não imaginavam que ele estivesse inseguro trabalhando dentro de uma Base Naval.  

Agora, o que uma mulher está fazendo guardando uma Base Naval? É claro que ela não iria guardar mesmo nada, pois não tem força, nem destreza, e nem habilidade para lutar e vencer homens! Quando é que as pessoas irão acordar para o fato de que homens são diferentes de mulheres? Que os dois não tem a mesma força ou destreza? Até quando iremos viver nessa mentira?

Eu sei de umas coisas: se eu tivesse que escolher entre um militar - ou policial - homem ou mulher para me proteger, eu escolheria o mais forte e capaz para este serviço: o homem (estou partindo do pressuposto que os homens escolhidos para essas funções são os capazes, claro, pois é assim que acontece). Se eu tivesse que escolher entre um bombeiro homem e uma bombeira mulher para salvar minha casa do fogo, escolheria o mais forte e hábil para este serviço: o homem. É comprovado que as mulheres não conseguem passar nos testes de força que são aplicados para bombeiros. Mas elas processam e ganham e assim passam a fazer parte da força contra incêndio. É uma piada! Testes e exercícios são mudados e amenizados para que as mulheres passem a fazer parte do corpo de bombeiros, da polícia e das forças armadas. Isso é ridículo, simplesmente ridículo. Mas quem se importa? Eu duvido que um desses falsos profetas promotores da Nova Ordem Mundial, que elaboram essas políticas demoníacas para a sociedade, tenham mulheres como seguranças.

Voltando ao caso do marinheiro. Mark Mayo fez o que todo homem normal e decente faz: proteger as mulheres. Ele saltou na frente da marinheira (bom, marinheira de faz-de-conta, porque não pode ser de fato marinheiro aquele que não possui força e destreza necessárias para tal serviço) protegendo-a de ser alvejada pelos tiros do bandido selvagem. Por causa disso, perdeu a vida. Que Deus tenha misericórdia de sua alma.

Mark Mayo, mais uma vítima do feminismo!