quinta-feira, julho 24, 2014

Fatos Extraordinários Sobre o Escapulário do Carmo




Por Gregory Johnson
Traduzido por Andrea Patrícia
 


A Virgem do Carmo no Convento Carmelita em Quito, Equador.


Um sacerdote relata como um dia numa cidade próxima a Chicago ele foi chamado ao leito de um homem que havia se afastado dos sacramentos por muitos anos:
“O homem não queria ver-me: ele nem mesmo quis falar comigo. Então eu pedia a ele que olhasse para o pequeno Escapulário que eu estava segurando. ‘Você usará isso se eu colocá-lo em você? Não peço mais nada’. Ele concordou em usá-lo e dentro de uma hora ele quis se confessar e fazer as pazes com Deus. Isto não me surpreendeu, porque por 700 anos Nossa Senhora vem operando dessa maneira através do Escapulário dela.”
No mesmo dia que Nossa Senhora deu o Escapulário a São Simão, ele foi chamado às pressas por Lorde Peter de Linton: “Venha rápido, Padre, meu irmão está morrendo em desespero!” São Simão saiu imediatamente ao encontro do moribundo. Ao chegar, ele colocou seu grande Escapulário por cima do moribundo, pedindo a Nossa Mãe Santíssima para manter sua promessa.
Imediatamente o homem se arrependeu, e morreu na graça e amizade de Deus. Naquela noite o homem morto apareceu ao seu irmão e disse: “Eu fui salvo através da mais poderosa Rainha e do hábito daquele homem que era como um escudo”.
Santo Afonso de Ligório diz: “Hereges modernos zombam do uso do Escapulário, eles desaprovam-no como um disparate muito banal.” Muitos dos Papas já aprovaram e recomendaram o Escapulário. É extraordinário que apenas 25 anos após a visão do Escapulário, o bem-aventurado Papa Gregório X foi sepultado vestindo o Escapulário, e quando o túmulo foi aberto 600 anos após a sua morte, o seu Escapulário foi encontrado intacto.
Dois grandes fundadores de Ordens Religiosas, Santo Afonso dos Redentoristas e São João Bosco dos Salesianos, tinham uma devoção muito especial por Nossa Senhora do Monte Carmelo e ambos usavam seu Escapulário. Quando eles morreram foram enterrados com as vestimentas sacerdotais e o Escapulário.
Muitos anos depois suas tumbas foram abertas, os corpos e as vestimentas sagradas com as quais foram enterrados estavam deteriorados: pó! Mas o Escapulário que cada um estava usando mantinha-se completamente intacto. O Escapulário de Santo Afonso está em exibição em seu Monastério em Roma.


De John Haffert, Sign of Her Heart, (101 Foundation: 1998) Capítulo X, A Heavenly Garment.

Original aqui.