terça-feira, janeiro 28, 2014

Imperatriz Maria Teresa da Áustria: diante do meu Juiz


“A qualquer momento eu posso ser chamada diante de meu Juiz. Eu não quero ser surpreendida, eu quero ver a morte chegar.”
 (Imperatriz Maria Teresa da Áustria, mãe da Rainha Marie Antoinette)


Algumas imagens de pinturas de uma grande rainha. Observe que a moda na época já não era modesta, mostrando muito o colo:











via

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Livro: Catecismo do Matrimônio.



Quero indicar um livro muito bom, que li recentemente, chama-se Catecismo do Matrimônio.

A leitura é fácil, o livro é simples e direto, ensina coisas realmente úteis, muito válidas, sobre o sacramento do matrimônio. Possui capítulo tratando também da vocação para a vida religiosa.

Está à venda no Mosteiro da Santa Cruz. Clique aqui para comprar.

Sobre o livro:

"Poucos livros são mais necessários do que este nos dias de hoje em que os deveres e as graças do matrimônio são cada vez desconhecidos."

Recomendo!

sábado, janeiro 25, 2014

Comentários Eleison: Ansiedade Sedevacantista

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXLI (341) - (25 de janeiro de 2014): 


ANSIEDADE SEDEVACANTISTA I


As palavras e atos do Papa Francisco desde sua eleição no início do ano passado são tão pouco católicas e tão ultrajantes, que a ideia de que os papas recentes não são verdadeiramente Papas (“sedevacantismo”) vem sendo reavivada. Notem que o Papa Francisco simplesmente expressa a loucura do Vaticano II mais ostensivamente do que seus cinco predecessores. Permanece a questão de se os seis Papas conciliares (com a possível exceção de João Paulo I) são realmente Vigários de Cristo ou não.

A questão, porém, não é de primordial importância. Se eles não são Papas, a moral e a Fé católicas pelas quais eu devo “trabalhar por minha salvação com temor e tremor” (Fl 2, 12) seguem sem mudar um jota. E se eles são Papas, disto se segue que eu não posso obedecê-los enquanto estiverem afastados dessa fé e dessa moral, pois “nós devemos obedecer antes a Deus do que aos homens” (At 5, 29). No entanto, eu acho por bem responder a alguns argumentos dos sedevacantistas, pois há entre eles quem queira fazer da vacância na Sé de Roma um dogma no qual os católicos devem acreditar. Em minha opinião, não existe tal coisa. “Nas coisas duvidosas, a liberdade” (Agostinho).

Eu acho que a chave do problema de o sedevacantismo ser simplesmente uma expressão é que o Vaticano II foi um desastre sem precedentes em toda a história da Igreja de Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, a conclusão lógica de um longo processo de decadência do clero católico que remonta ao final da Idade Média. Por um lado, a natureza divina da Igreja Católica e os princípios que governam quaisquer de suas crises, incluindo a conciliar, não podem mudar. Por outro lado, a aplicação desses princípios deve levar em consideração as circunstâncias humanas em constante mudança nas quais esses princípios operam. O atual grau de corrupção humana não tem precedente.

Pois bem, dois dos princípios imutáveis são aqueles em que, por um lado, a Igreja é indefectível, pois Nosso Senhor prometeu que os portões do inferno não prevalecerão contra ela (Mt 16, 18); e por outro lado, Nosso Senhor também perguntou se Ele encontrará fé na Terra em Sua Segunda Vinda (Lc 18, 8) – uma importante citação, porque claramente sugere que a Igreja estará quase que completamente deserta no fim do mundo, exatamente como ela parece estar quase completamente deserta em 2014. Pois, de fato, se nós não estamos hoje vivendo o fim do mundo, estamos certamente vivendo o ensaio geral para o fim do mundo, como Nossa Senhora de La Salete, o venerável Holzhauser e o Cardeal Billot sugeriram.

Assim, hoje, como no fim do mundo, a deserção pode ir muito longe. Porém ela não pode ir para além do poder de Deus Todo Poderoso, que garante que a Igreja nunca desaparecerá ou falhará completamente, mas pode ir tão longe quanto Deus permitir. Em outras palavras, nada precisa impedir que Sua Igreja seja destruída quase por completo. E até onde vai esse “quase por completo”? Só Deus sabe, e só o tempo poderá dizer, porque nenhum de nós homens está na mente de Deus, e apenas os fatos podem nos revelar, depois do evento, o conteúdo da mente divina. Mas Deus revela parcialmente Sua mente nas Escrituras.

Agora, quanto ao fim do mundo, muitos intérpretes do Capítulo 13, 11-17 do Apocalipse pensam que a segunda besta, que é como um cordeiro e serve ao Anticristo, representa as autoridades da Igreja, porque se essas autoridades resistissem ao Anticristo, ele nunca poderia prevalecer como as Escrituras dizem que irá. Seria então algo muito extraordinário se no ensaio geral para o fim do mundo os Vigários de Cristo falassem e se comportassem como inimigos de Cristo? Com base nesse quadro necessário, os Comentários da semana que vem proporão respostas a alguns dos principais argumentos dos sedevacantistas.

Kyrie eleison.        

sexta-feira, janeiro 24, 2014

Jornalzinho em prol da Família Católica - 7ª e 8ª Edições




EDIÇÃO NÚMERO 7
(clique no título acima para baixá-lo)


EDIÇÃO NÚMERO 8
(clique no título acima para baixá-lo)

quinta-feira, janeiro 23, 2014

Palavras de Encorajamento


Por D. Williamson*
Traduzido por Andrea Patrícia




Caros Amigos e Benfeitores,

Para o Ano Novo e para janeiro, duas magníficas citações de dois grandes clérigos do século passado, que enxergaram então o centro dos nossos problemas hoje. Primeiramente, do Mons. Gaume, algumas palavras de encorajamento para o que parece ser outro intimidador Ano Novo:

“Veja o que está acontecendo à sua volta; compreenda tanto o sinal dos tempos e as coisas que disseram para você, quanto os terríveis perigos que o ameaçam. A sedução o cerca por todos os lados; nas leis, na moral, nos livros, nos discursos, no comportamento público e privado das pessoas. A quantidade e a autoridade das verdades católicas estão encolhendo a cada dia entre os filhos dos homens. Entenda tudo muito bem: esteja firmemente convencido de que sua posição nunca foi tão grave. Levando à conclusão não de que você deve se retirar do mundo, mas que você deve guardar-se do mal. Mais do que em qualquer outra época, todo católico deve ser um soldado até o seu último suspiro. Se você tem uma compreensão clara do tremendo julgamento que o aguarda e pelo qual você já está passando, isso irá preenchê-lo com grande coragem e santa alegria. Esta é a prova inabalável da sua fé e a sólida base na rocha das suas esperanças porque é o cumprimento tangível das profecias do nosso Divino Mestre.

“Ele não disse há 1800 anos, que no fim dos tempos, as nações iriam universalmente apostatar? Que a fé cresceria tão fraca que daria apenas um vislumbre de luz? Que a iniquidade iria inundar como uma impetuosa torrente por toda a face da terra e que a caridade de muitos iria esfriar? Ele não disse que iria se levantar uma multidão de falsos profetas, precursores do Homem do Pecado? Que Deus não seria levado em conta? E que ao mesmo tempo o Evangelho iria chegar a todas as partes do mundo? Ele não disse que estava predizendo essas coisas para preveni-lo de ser escandalizado pelo triunfo passageiro dos homens perversos? Para prevenir que você diga em seu coração: Cristo dorme; será que Ele desistiu de nós? Todas essas coisas preditas por Deus, você não tem a impressão de estar vendo, ao menos em parte, ser cumpridas diante de seus próprios olhos? Então tenha uma clara compreensão da sua posição, e levante a cabeça abaixada sob o peso do sofrimento, das humilhações e do medo. A grande luta contra Cristo é tanto a prova da sua fé quanto o alvorecer do dia da justiça, quando a ordem correta de tudo será restabelecida, e nunca mais será perturbada.

“Não se contente com apenas ver tudo isso, mas observe também; o que eu digo a você, eu digo a todos: observe. Muitos homens no tempo de Noé não reconheceram os sinais de aviso do Dilúvio, nem na época da morte de Nosso Senhor os sinais de aviso da destruição de Jerusalém: então assim será no fim dos tempos" ("Where are we headed?", pg. 198-200).

Ler tais palavras de um bispo francês escritas cento e cinquenta anos atrás não é um conforto sentimental para nós hoje, porque superficialmente, elas não são palavras de muita alegria. Entretanto, ler tais palavras nos Estados Unidos no fim do século XX é uma consolação viril, porque sua distância no tempo e espaço enfatiza sua verdade duradoura.

Ai dos sentimentalistas! Como as galinhas dos homens de maldade sem precedentes vem para casa empoleirarem-se nesse fechamento de nosso amaldiçoado século, tais auto-confortadores terão que intensificar sua cegueira intencional para manter o ritmo, até que nada menos que um milagre possa abrir seus olhos, e nenhum de nós merece milagres. Pelo contrário, abençoados o viris em espírito que preferem ver a realidade como ela é, e que atravessam cada Ano Novo do modo como lhes é designado viver, saberão como “possuir suas almas na paciência”, ao concentrarem-se em seu dever como ele é, vindo a eles dia a dia, com poucas expectativas (dos homens) e com menos ilusões ainda.
A segunda citação trata da virilidade espiritual, e é adequada a janeiro, mês da Sagrada Família, na medida em que, sem nem mesmo mencionar a família, põe o dedo no problema essencial que vem minando a família hoje: a carência de homem. Aqui está como o Cardeal Pie fala disso, novamente, um oceano distante e um século atrás:

“...Que desapontamento para as mães perceber que o macho que elas deram à luz não é um homem, e nunca merecerá ser chamado de homem!... A nossa era não é de vidas vividas erradamente, de homens emasculados? Por que? ... Porque Jesus Cristo desapareceu. Onde quer que haja verdadeiros cristãos, há homens em grande quantidade, mas em toda parte e sempre, se a cristandade cai, os homens caem – olhe atentamente: eles não são mais homens, mas sim sombras de homens. Assim o que você ouve por todos os lados hoje em dia? O mundo está diminuindo pela carência de homens; as nações estão perecendo devido a escassez de homens, devido a raridade de homens...

“Eu acredito: não existem homens onde não há caracteres; não existem caracteres onde não há princípios, doutrinas, posições tomadas; não há posições tomadas quanto a doutrinas, princípios, quando não há fé religiosa e consequentemente não há religião na sociedade. Faça o que quiser apenas de Deus você terá homens.

"E se você tem o infortúnio de procurar remédio para o empobrecimento moral e intelectual do país num sistema de educação no qual as crianças terão que participar sem que precisem ser cristãs, para reconstruir uma geração de homens, se você inventa escolas onde ninguém está ausente exceto Deus; então tal ultraje ao dique da liberdade humana, razão e religião finalmente estouraria, e seria a sentença de morte do país”.

Observem, caros amigos, que o Cardeal conclui com os perniciosos efeitos do sistema de ensino público ateu, mas o problema real ele nomeou antes: a falta de religião na sociedade. De fato a verdadeira religião das sociedades modernas, ou seja, a pedra angular sobre a qual elas são construídas é a liberdade religiosa, ou o princípio que a sociedade não tem direito de interferir na escolha dos indivíduos sobre qual religião (ou falta disso) eles querem. É esta liberdade religiosa que não somente leva diretamente a um sistema de ensino publico ateu, mas também, ao igualar implicitamente verdades religiosas com mentiras religiosas, desacredita toda a religião e toda a verdade, solapa convicções, e então emascula homens – leia o Cardeal acima. 

Se os católicos não condenarem uma sociedade construída sob a liberdade religiosa, tal sociedade irá condená-los. Por uma punição justa esta irá dissolver os homens, suas esposas, seus filhos e suas famílias. Caros amigos, o Ano Novo é em meados dos anos 90, não dos 50. Tenham muita coragem. O Deus do Cardeal Pie e do Mons. Gaume é real.

Que Nosso Senhor esteja com vocês através do Ano Novo.
Sinceramente vosso em Cristo,

Bispo Richard Williamson


*Carta de janeiro de 1995.

Traduzido de:

Bishop Richard Williamson. Letters from the Rector of Saint Thomas Aquinas Seminary,. True Restoration Press.


domingo, janeiro 19, 2014

Comentários Eleison: Boas Novas

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXL (340) - (18 de janeiro de 2014): 


BOAS NOVAS

  
           A primeira parte das boas novas é que a casa Rainha dos Mártires no sudeste da Inglaterra vai ser comprada nesses próximos dias. A princípio o valor da compra parecia estar fora de alcance, mas com duas chamadas telefônicas para dois benfeitores: um francês e um norte-americano, foram levantados prontamente dois quintos e outro quarto, respectivamente, da soma necessária, e de repente a compra tornou-se novamente viável. Outra sétima parte veio dos muitos benfeitores da Iniciativa São Marcel, eu esvaziei muitos de meus cofrinhos, e com um benfeitor asiático finalmente a quantia necessária foi alcançada.
Muito obrigado a cada um de vocês que contribuíram, pois mesmo as menores doações não devem ser de modo algum desprezadas. Deus não olha apenas para a quantidade. Talvez apenas quando Ele veja viúvas caridosas o suficiente para oferecer suas pequenas esmolas de viúva (Lc 21, 1-4) é que Ele inspire os benfeitores que são capazes de fazer grandes doações. Com Deus, o espírito dirige a matéria, e não o contrário. Mas façam, por favor, orações pelos três benfeitores mencionados acima, com quem nós todos estamos em dívida. Eu penso especialmente que a casa pode servir de refúgio para os padres que a visitem, como um oásis de sanidade. 
Pois bem, a segunda parte das boas novas é que a traição da Fé pelos líderes da Neo-Fraternidade Sacerdotal São Pio X está se tornando pouco a pouco mais clara para os padres da FSSPX. Um a um, alguns dos melhores deles têm sido alienados e então excluídos pela Neo-Fraternidade. Ela insinua que eles estejam saindo por si mesmos, ou por razões puramente pessoais, ou que eles estejam sendo expulsos por desobediência. É claro que esses traidores do Quartel General da FSSPX nunca irão admitir que é a sua própria traição que está provocando o afastamento desses padres. No entanto, um padre após o outro tem declarado que seu problema com a Neo-Fraternidade é um problema de doutrina: os documentos oficiais da FSSPX de 15 de abril e de 14 de julho de 2012, e o de 27 de junho de 2013 demonstram que os líderes da Neo-Fraternidade estão abandonando o glorioso combate pela Fé de Monsenhor Lefebvre em troca de um prato de lentilhas conciliar.
Assim, na América do Sul um Prior capaz e devoto da FSSPX se recusou a assumir o novo posto designado obviamente para controlar e silenciar sua oposição à traição do Quartel-General, e ele escreve para o Superior de seu Distrito que sua recusa se dá por razões puramente doutrinais. Na Áustria, um antigo Prior, também fiel e que muito tem sofrido, dá cinco sérias razões para seu afastamento da FSSPX, e tudo o que o Primeiro Assistente se presta a responder é que suas razões não são “dignas de consideração”. Sobretudo na França, um grupo de sacerdotes se reuniu e emitiu uma declaração pública de obediência à base doutrinal de Monsenhor Lefebvre, e colocou seus padres à disposição de pais que precisem dar boa educação aos seus filhos, de jovens que necessitem de formação para o sacerdócio e de almas com necessidade de sacramentos. Tem havido falta de tempo para que os padres na França comecem a reagir, mas a reação deverá ser tanto mais firme quanto mais lenta. Monsenhor Lefebvre gostava de dizer o provérbio francês que diz que o tempo não respeita nada que seja feito sem ele.
Tenham paciência, caros leitores. Deus não tem pressa, nem Dele se zomba (Gl 6, 7). Se os desviados da FSSPX tentam consolar a si mesmos achando que os padres que saem ou que são excluídos representam apenas uma pequena minoria do total de 500 padres na Fraternidade, quão pouco eles compreendem o poder da verdade! Eles o abandonaram, e ele os está abandonando – inexoravelmente. Que Deus tenha misericórdia de todos nós.

Kyrie eleison.

sábado, janeiro 11, 2014

Comentários Eleison: Bom Senso Sírio


Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXXXIX (339) - (11 de janeiro de 2014): 


BOM SENSO SÍRIO

Um notável resumo de cunho político sobre como e por que o mundo vem atualmente afundando tanto no erro é apresentado no YouTube pela “Syrian Girl Partisan”. Ela é uma jovem patriota síria que dá oito razões pelas quais a Nova Ordem Mundial odeia a Síria e está fazendo tudo o que pode para derrubar o atual governo sírio e substituí-lo pelos fantoches da NOM. Tampouco os católicos devem permitir que a propaganda e as mentiras ocidentais envenenem suas mentes, e nem devem dizer que a política nada tem que ver com a religião. A NOM é comandada pelo sonho louco de eliminar completamente o Reinado Social de Cristo Rei junto à ordem mundial natural de Deus. Aqui estão as razões da Syrian Girl:

1. O Banco Central da Síria pertence e é controlado pelo Estado, de modo a servir à economia nacional e ao povo sírio, ao invés de enriquecer os banqueiros internacionais das nações ocidentais e de Israel, os quais impõem sobre quase todas as nações do mundo empréstimos usurários que geram crises de débitos artificiais pelos quais essas nações são, com efeito, escravizadas.

2. A Síria não deve ao Fundo Monetário Internacional. O FMI atua como a polícia de cobrança dos banqueiros internacionais. Qualquer nação sábia se mantém longe das garras do FMI, que é o que a Síria tem conseguido fazer, mas os banqueiros não estão nada felizes com tal sabedoria.

3. A Síria baniu as sementes geneticamente modificadas, ou “Frankenfood”, porque Bashar Assad quer proteger a saúde de seu povo. “Frankenfood” quer dizer comida controlada como meio de controle populacional. Obviamente a NOM favorece a “Frankenfood” (os EUA a impuseram ao Iraque conquistado).

4. A população da Síria está bem informada sobre a NOM, cuja dominação dos fantoches políticos do mundo por seus think-tanks e sociedades secretas é discutida abertamente na mídia e nas universidades sírias. Tal transparência é anátema para a NOM, que deve manter suas operações na escuridão.

5. A Síria possui imensas reservas de petróleo e de gás, e está trabalhando para explorá-las independentemente das gigantes companhias ocidentais de petróleo, como a Shell e a Texaco. A NOM adora o petróleo, mas odeia a independência do petróleo.

6. A Síria claramente e inequivocamente se opõe ao sionismo e a Israel. Em anos recentes, mesmo a base da mídia ocidental tem reagido à virtual transformação da Palestina por Israel em um mega-Auschwitz. A Síria denuncia o brutal apartheid de Israel. Obviamente os lobbies judeus ao redor do mundo se unirão para usar toda a sua influência visando a colocar um fim em uma tão firme oposição aos seus companheiros judeus em Israel.

7. A Síria é um dos últimos estados muçulmanos laicos no Oriente Médio, e se recusa a reconhecer qualquer superioridade daquele povo, que continua reclamando ser o povo escolhido de Deus (mesmo 2.000 anos depois de a Encarnação de Deus, Jesus Cristo, ter deixado de escolher seu Povo pela raça e passado a escolher pela fé – Rm 3, Rm 4 etc.). Os mesmos lobbies punirão qualquer rechaço à sua superioridade religiosa e racial.      

8. A Síria orgulhosamente mantém e protege sua identidade nacional política e cultural, ao passo que a NOM pretende dissolver todas as nações (exceto uma) em uma única massa conglomerada de povo-gado para receber o Anticristo.

            Assistam aos nove minutos do vídeo original da “Syrian Girl Partisan” no YouTube, ou leiam o excelente resumo de um comentarista argentino em:actualidad.rt.com/experts/Salbuchi (estes “Comentários Eleison” se inspiram fortemente no texto de Adrian Salbuchi). Independente de quais sejam os defeitos das nações muçulmanas, como não notar o quanto mais elas estão fazendo para resistir à Nova Ordem Mundial sem Deus do que as corruptas e decadentes nações ocidentais?

Kyrie eleison.  


sábado, janeiro 04, 2014

Comentários Eleison: Billot III

Comentários Eleison – por Dom Williamson
CCCXXXVIII – (338) – (04 de janeiro de 2014): 

BILLOT III


            Os atuais líderes da Fraternidade Sacerdotal São Pio X estão trabalhando constantemente e astuciosamente para inseri-la na estrutura da Igreja mainstream, que está constantemente e astuciosamente levando adiante os ideais revolucionários e conciliares de liberdade (liberdade religiosa), igualdade (colegialidade) e fraternidade (ecumenismo). Mesmo esses líderes certamente levam o Cardeal Billot a sério. Eles deveriam meditar em suas reflexões sobre a Quinta Idade da Igreja que se seguem de sua exposição das Sete Idades no Epílogo do primeiro volume de seu celebrado Tratado sobre a Igreja de Cristo. Aqui estão algumas dessas reflexões, traduzidas e adaptadas livremente do latim:

            “Nossa própria idade seria então a Quinta Idade, Idade da deserção, da apostasia e do liberalismo, que vem entre o fim do Sacro Império Romano e o que São Paulo chama de uma ‘ressurreição dentre os mortos’ (Ro 11, 15). Que assim seja! Isso dá a todos nós, entre nossas tantas e grandes tribulações atuais (o Cardeal escreveu em 1927 – o que teria ele escrito em 2013?), esperança para uma futura restauração e – perdoem a expressão – de uma Contra-revolução. Atualmente muitos dos principais cientistas, políticos e economistas já estão reconhecendo e admitindo livremente o quanto envenenados são os frutos da Revolução Francesa de 1789, que proclamou que a única fonte de todos os males do mundo seria o desprezo pelos ‘direitos do homem’. Que frivolidade! Que tolice! Que estupidez!

            A liberdade dos revolucionários resulta na tirania dos mais fortes sobre os mais fracos; sua igualdade resulta em uns poucos milionários que dominam ainda mais as pessoas (que pensar de Wall Street em 2013!); sua fraternidade resulta em conflitos internos e ódio entre as classes. Algumas pessoas compreendem isso, enquanto que muitas não veem o caráter essencialmente diabólico da Revolução. Contudo, aqueles que vão além da superfície veem que a questão religiosa está por trás de todas as outras que atualmente agitam a humanidade: que a praga do liberalismo político e econômico surge do liberalismo ateu e anticristão exposto acima; que a ordem social não pode ser de modo algum restaurada a menos que os princípios da Igreja dirijam uma vez mais a vida pública.

            Que o reconhecimento dessa teoria produza frutos práticos! Com todo nosso coração nós clamamos por tal restauração, sabendo como as leis pagãs sob as quais estamos agora vivendo podem ainda permitir que indivíduos sejam cristãos (em 2013, por quanto tempo mais?), mas elas fazem com que uma sociedade cristã seja totalmente impossível. Assim nós procuramos acima de tudo o reino de Deus e sua justiça, sem desprezar o resto que nos será dado por acréscimo (cf. Mt 6, 33). Disse São Paulo que ´a piedade é para tudo útil’, e assim também é a influência da Igreja ‘tendo a promessa da vida presente e da futura’ (cf. I Tm 4,8).”    

            Não é difícil ver aqui como o Cardeal não era uma das muitas almas por ele mencionadas que não veem além do falso glamour do mundo moderno. Ao contrário, seu firme apego à doutrina católica o capacitou para descrever nossos próprios tempos, quase um século mais tarde.

            O Quartel General da FSSPX, acorde de seu tolo sonho de converter os liberais que agora controlam a Igreja, e parem de pretender com um fluxo de Declarações ambíguas que continuam a defender a Tradição. Suas ações provam o contrário, e ações falam mais alto do que uma série de Declarações! Tens o nome de vivo, mas estás morto! Sê vigilante e consolida as coisas que ainda restam, e que estão para morrer. Lembra-te do que recebeste e ouviste de Monsenhor e observa-o e faz penitência.


Kyrie eleison.