quinta-feira, abril 30, 2015

O Dogma do Inferno – Parte III



As Crianças de Fátima Veem o Inferno
Por Dr. Remi Amelunxen
Traduzido por Andrea Patrícia




Os três videntes após a visão do Inferno

 
No Prólogo de sua Fourth Memoir [Quarta Memória], Irmã Lúcia escreveu um relato da Visão do Inferno que ela e seus primos, Jacinta e Francisco, tiveram em Fátima no dia 13 de julho de 1917. Lúcia tinha 10 anos de idade, Francisco 9 e Jacinta 7. Ela afirmou:
“Eu devo começar então minha nova tarefa, e assim cumprir os comandos recebidos de Sua Excelência, bem como os desejos do Rev. Dr. Galamba. Com exceção daquela parte do Segredo que eu não tenho permissão de revelar no presente, eu devo dizer tudo. Não devo omitir nada conscientemente, embora suponha que possa esquecer algum pequeno detalhe de menor importância.”

A visão do Inferno: 13 de julho de 1917
 
Na aparição de julho de 1917, na qual o Segredo foi revelado, Nossa Senhora disse para as crianças fazerem sacrifícios pelos pecadores e recitarem esta oração frequentemente ao fazerem os sacrifícios: “Jesus, isto é por amor a Vós, pela conversão dos pecadores, e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.”
Lúcia continuou: “Enquanto Nossa Senhora falava essas últimas palavras, ela abriu suas mãos mais uma vez como havia feito durante os dois meses anteriores. Os raios de luz pareciam penetrar a terra, e nós vimos como se fosse um mar de fogo.
Imersos nesse fogo estavam demônios e almas em forma humana, queimando como brasas transparentes, todas enegrecidas ou como bronze polido, a flutuar sobre a conflagração, agora erguidas ao ar pelas chamas que saíam de dentro delas mesmas junto com nuvens de fumaça, e então caindo de volta por todo lado como faíscas em fogos gigantes, sem peso ou equilíbrio, em meio a gritos e gemidos de dor e desespero, que nos horrorizava e nos faziam tremer de medo.
 (Deve ter sido essa visão que me fez chorar, como disseram as pessoas que me ouviram). Os demônios podiam ser distinguidos pela sua terrível e repelente semelhança com animais pavorosos e desconhecidos, negros e transparentes como carvão queimando.
Assustados e como que a pedir socorro, nós nos voltamos para cima olhando para Nossa Senhora, que nos disse gentilmente, mas com tristeza:
‘Vocês viram o Inferno, para onde os pobres pecadores vão. Para salvá-los, Deus deseja estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração. Se o que eu disser a vocês for feito, muitas almas serão salvas e haverá paz.
A guerra terminará; mas se as pessoas não cessarem de ofender a Deus, uma pior surgirá no pontificado de Pio XI. Quando vocês virem uma noite iluminada por uma luz desconhecida, saibam que este é o grande sinal dado a vocês por Deus de que Ele está prestes a punir o mundo por seus crimes, por meio da guerra, fome e perseguições à Igreja e ao Santo Padre.
Para prevenir isso, eu virei pedir a Consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, e a Comunhão de Reparação nos Primeiros Sábados. Se os meus pedidos forem atendidos, a Rússia se converterá, e haverá paz; se não, ela espalhará seus erros pelo mundo todo, causando guerras e perseguições à Igreja.
Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, mas no fim Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo padre consagrará a Rússia a mim e ela será convertida, e um período de paz será dado ao mundo.’”

O pedido pela Consagração


Uma representação da visão que Lúcia teve da Trindade em Tuy

Doze anos mais tarde, em 13 de junho de 1929, Nossa Senhora apareceu novamente a Lúcia, que era noviça doroteana em Tuy, Espanha. Tendo recebido permissão de seu superior para fazer uma hora santa de 23 horas até a meia-noite, ela estava rezando as orações do Anjo, prostrada diante do altar.

Repentinamente a capela foi iluminada por uma luz sobrenatural. Lúcia teve uma visão da Santíssima Trindade e Nossa Senhora, e foi concedida a Lúcia uma compreensão profunda daquele mistério. Durante esta aparição, Nossa Senhora revelou o que é, em minha opinião, um dos mais importantes pedidos da História. A Santíssima Virgem disse a Lúcia:

É chegado o momento no qual Deus solicita ao Santo Padre, em união com todos os Bispos do mundo, que faça a Consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, prometendo salvá-lo através destes meios. A quantidade de almas que a justiça de Deus condena pelos pecados cometidos contra mim é tão grande, que eu tenho de pedir por reparação: sacrifiquem-se por esta intenção e rezem.” (1)

Neste momento, um leitor pode fazer duas perguntas:
  1. Por que não foi feita a Consagração da Rússia em obediência ao pedido de Nossa Senhora?
  1. Por que discutir a Consagração da Rússia num artigo sobre as crianças de Fátima vendo o Inferno?

Ambas as questões serão respondidas a seguir.

A Consagração não feita

Por que Pio XI não obedeceu ao pedido do Céu após ter ciência disso por semanas ou meses subsequentes a 1929? Uma palavra é o suficiente para explicar isso tudo: um falso ecumenismo que já estava sendo buscado com a Igreja Cismática na Rússia e continua até os dias atuais.


Pio XI preferiu seguir a política do ecumenismo em vez do comando de Nossa Senhora

O cumprimento de um ato tão solene de reparação e Consagração da Rússia pelo Papa e Bispos pressupõe uma condenação formal, doutrinal do Comunismo, e uma política firme, independente em relação à Rússia Bolchevique. Em vez disso, a diplomacia do Vaticano, que já estava tentando satisfazer os cismáticos, viu o pedido de Nossa Senhora como um obstáculo aos seus objetivos.

Esta razão, já presente no tempo de Pio XI, tornou-se evidente sob João XXIII quando o Card. Eugène Tisserant, Secretário da Sagrada Congregação para as Igrejas Orientais, evitou o assunto Fátima e qualquer referência contra o Comunismo no Vaticano II para que observadores cismáticos russos comparecessem ao Concílio. Foi assim que o pedido de Nossa Senhora foi completamente enterrado.

Hoje, 85 anos se passaram desde aquele pedido e a Consagração não foi feita em obediência a Mãe Santíssima. Analisar completamente as razões para isso iria alongar demais este artigo. Permanece o fato de que não foi feita apesar das “tentativas parciais” e promessas feitas a Nossa Senhora – três por Pio XII, um por Paulo VI e quatro por João Paulo II – nenhum deles cumpriu o pedido exato de Nossa Senhora.

Se a Consagração tivesse sido feita…

Tendo respondido a primeira questão, a segunda será feita: Por que a Consagração está relacionada à visão do inferno que as crianças tiveram?

Se Pio XI tivesse feito a Consagração, este ato teria mudado a História dramaticamente. Podemos deduzir o seguinte das palavras de Nossa Senhora: 



Um anjo olha para baixo penosamente para a bombardeada cidade de Dresden....

  1. Não teria havido a II Guerra Mundial.
  1. Milhões de pessoas não teriam sido mortas durante a Guerra, frequentemente por morte repentina sem tempo para arrependimento. Quantas destas almas foram para o Inferno!
  1. Milhões de russos teriam sido convertidos, e muitos deles teriam assim encontrado a salvação em vez de sofrer a danação como cismáticos.
  1. A terrível apostasia na Igreja que nós sofremos há tanto tempo – e que fica pior diariamente – não teria ocorrido. Quantos católicos estariam ainda seguindo a doutrina da Fé verdadeira, em vez de estarem no caminho do Progressismo, que dominou a Igreja abertamente após o Vaticano II e introduziu o Novus Ordo Missae!
  1. Em sua brilhante Coleção sobre o Vaticano II, Atila Sinke Guimarães documentou completamente cada aspecto da devastação que o Concílio causou ao expandir a apostasia.
  1. Todas as guerras subsequentes teriam sido evitadas, e, mais provavelmente, haveria sido introduzido no mundo o Reino de Maria.

Portanto, se Pio XI tivesse feito a Consagração da Rússia mesmo no ultimo ano de seu Pontificado, isto é, 1939, todas as consequências listadas acima não teriam acontecido.
Embora Pio XI tenha escrito a encíclica Divini Redemptoris (1937) contra o Comunismo, o Comunismo espalhou seus erros pelo mundo inteiro. Isso não teria acontecido se a Rússia tivesse sido convertida, como prometido por Nossa Senhora, se a Consagração tivesse sido feita.
Não teria sido infinitamente mais importante e louvável para Pio XI ter atendido ao pedido de Nossa Senhora? Considere a multidão de almas que não teriam caído no Inferno se tal ato tivesse sido feito.
O Terceiro Segredo

Finalmente, por causa de sua íntima ligação com Fátima, parece oportuno mencionar que o Terceiro Segredo foi revelado por Nossa Senhora às três crianças na mesma data em que elas viram o inferno. Mais tarde Lúcia afirmou que, a pedido de Nossa Senhora, ele deveria ter sido revelado ao mundo em 1960.
Como nós sabemos, o pedido foi rejeitado. Em 1960, João XXIII fechou a questão: "Este assunto não é para os nossos tempos." Ele fez isso em contradição direta com o comando da Mãe de Deus: De acordo com alguns Prelados que leram o Terceiro Segredo, ele se refere a uma apostasia dentro da Igreja.
Por exemplo, Card. Mario Luigi Ciappi escreveu: “No Terceiro Segredo é predito, entre outras coisas, que a grande apostasia na Igreja começaria no topo.” De acordo com o Card. Silvio Oddi, o Vaticano II foi a revolução na Igreja predita no Terceiro Segredo. Você pode ler as palavras dele aqui. [em inglês].
A revelação do Terceiro Segredo poderia ter tido um efeito salutar nos fiéis e os avisado sobre o perigo do Progressismo. Isso poderia tê-los prevenido do iminente Vaticano II e evitado que o Novus Ordo Missae tivesse efeito. Em vez de uma política de concessões e conciliação com os inimigos da Igreja, isso não teria acordado o espírito de militância para defender a verdade e a boa moral? E isso não teria contribuído grandemente para a salvação de muitas almas que de terminaram por sofrer a danação?

Considerações finais

A questão candente permanece: Quando a Consagração será feita? Nossa Mãe Santíssima nos fez uma promessa: “No fim, Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre irá consagrar a Rússia a mim e ela será convertida, e será concedido algum tempo de paz ao mundo.”



O Segredo mencionou o desastroso Concílio e seus Papas?

Pe. Alonso, um confidente de Irmã Lúcia, que escreveu 11 livros sobre Fátima que foram subsequentemente suprimidos pelo Vaticano, interpretou as palavras de Nossa Senhora: “O triunfo final do Coração de Maria é certo e será definitivo. Mas ele tomará lugar ‘no fim’ – quer dizer, após a terrível purificação da humanidade pecadora no batismo de fogo, sangue e lágrimas.” (2)
Em minha opinião, o próximo “batismo de fogo, sangue e lágrimas” pode bem se referir a um castigo nuclear anterior à Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Qual seria o resultado de um holocausto nuclear?
Dos sete bilhões de pessoas na terra, mais de dois terços seriam facilmente aniquilados. Quantos católicos dentre eles irão para o Inferno por não conhecerem o Terceiro Segredo? Provavelmente um número enorme.
E onde recai a culpa primária por tal perda maciça de almas? Nos Papas que não fizeram a Consagração, nos eclesiásticos e teólogos sem fé. Se Pio XI houvesse seguido o plano do Céu em vez dos projetos dos homens em 1930… Ou se os Papas subsequentes tivessem feito a Consagração, quanto da destruição da Igreja poderia ter sido evitada?
Como ocorrerá a conversão da Rússia? Alguns especulam que poderia haver uma aparição da Mãe Santíssima, tal como em Guadalupe, que causaria uma completa e imediata conversão da Rússia ao Catolicismo. Quem viver verá…
O que é certo é que a Mãe Santíssima enfatizou que nós temos uma escolha, Céu ou Inferno, que é o resultado final e irreversível da vida de todo homem.

(Continua)

  1. Mark Fellows, Fatima in Twilight, Niagara Falls: Marmion Publications, 2003, p. 48-49
  2. Ibid. p 334

Original aqui.

Veja as outras partes: Parte I, Parte II.