quinta-feira, julho 16, 2015

O Dogma do Inferno – Parte V

Inferno, Pureza e Graça Santificante
Dr. Remi Amelunxen
Traduzido por Andrea Patrícia
  



Além dos pecados maiores contra os Dez Mandamentos que devem ser considerados num exame de consciência, que nós apontamos aqui, há também os Sete Pecados Capitais que estão intimamente ligados aos Mandamentos:

  1. Orgulho: que é na realidade a causa de todo o pecado;
  2. Avareza: o amor desordenado pela riqueza e pelos bens mundanos;
  3. Luxúria: o desejo desordenado por prazer sexual ou indulgência para com este;
  4. Ira: desejo de vingança, diferente de uma ira justa que surge ao ver-se uma lei de Deus violada;
  5. Inveja: ressentimento ou tristeza por causa do sucesso ou propriedade de outro, que pode gerar ira, ódio, ciúme e malícia;
  6. Gula: indulgência excessiva ao comer ou beber;
  7. Preguiça: falta culpável de esforço físico ou espiritual, que afasta a pessoa de fazer aquilo que é necessário para a salvação.

Para alcançar a salvação nós somos também obrigados a guardar os Seis Preceitos da Igreja:

  1. Assistir à Missa todos os Domingos e Dias Santos;
  2. Jejum e abstinência nos dias apontados;
  3. Confessar os pecados ao menos uma vez ao ano;
  4. Receber a Santa Comunhão na época da Páscoa;
  5. Contribuir para manter a Igreja;
  6. Observar as leis da Igreja concernentes ao Matrimônio.

Dependendo das circunstâncias, as violações desses preceitos podem constituir pecado mortal. Por exemplo, deixar de ir a Missa de Domingo deliberadamente ou por preguiça é pecado mortal.

A Importância da Pureza

       Nada é mais significante em nossa vida do que a Pureza. 
Muitas nações foram destruídas por causa da impureza, mais do que por invasões. O pagão Império Romano caiu por causa da corrupção da moral pública e privada. Sodoma e Gomorra desapareceram da face da terra por causa dos pecados antinaturais contra a Pureza que clamaram ao Céu por vingança. Uma sociedade impura é uma sociedade condenada.

E o que temos no mundo hoje? Impureza em sua essência, que será corrigida, ao que parece, apenas por um Castigo Divino, tal como Nossa Senhora previu em Fátima e Quito.


Nossos corpos pertencem a Deus, e nós não podemos usá-lo para qualquer forma de impureza. São Paulo diz-nos que nosso corpo é Templo do Espírito Santo. O Sexto e o Nono Mandamentos ordenam Pureza de corpo e mente, pois o pecado de impureza estende-se aos pensamentos bem como aos atos.

O berço da impureza é a paixão das nossas sensibilidades. Para “justificar” nossas más tendências e os atos criminosos das nossas paixões, nós inventamos desculpas em nossas mentes. Também, nossa mente por si só pode ser fonte de tentação quando nós não controlamos nossa memória – lembrando e remoendo pecados passados – e nossa imaginação – alimentando fantasias sensuais. Maus pensamentos devem ser repelidos pela oração e dirigidos para coisas que são boas aos olhos de Deus.

Para evitar a impureza, nós devemos considerar as seguintes sugestões tradicionais:

  • Ser modesto em olhares, vestuário, palavras e ações;
  • Não se associar a companhias imodestas ou impuras;
  • Evitar cuidadosamente livros, filmes e sites de internet impuros, e não ouvir linguagem impura de nenhum tipo;
  • Rezar logo na primeira tentação contra a Pureza;
  • Confessar e receber frequentemente a Santa Comunhão;
  • Ter uma grande devoção pela Mãe de Deus, a Virgem Puríssima.

Mais almas vão para o Inferno por causa da impureza do que qualquer outro pecado, Nossa Senhora disse a vidente Jacinta de Fátima. Pode-se perceber a grande importância de evitar todos os pecados contra esta virtude.

Graça Santificante

Para evitar o Inferno, deve-se permanecer no estado de Graça Santificante. A Graça Santificante é nossa honra, glória e alegria, e deve ser guardada como tesouro a todo custo. Seu valor em nossa alma é maior do que todo o valor natural do universo.  Assim, Satã emprega todos os estratagemas com o fito de fazer com que a percamos.


Muito poucos percebem a importância de estar em estado de Graça Santificante na hora da morte.

De fato, quantos católicos hoje nem mesmo sabem o que é a Graça Santificante e sua suprema importância para evitar o Inferno e conseguir a salvação? Aqui está um breve resumo:

  1. Ela é uma participação na vida Divina que santifica nossas almas e nos torna amigos de Deus, e dá-nos uma reivindicação à herança do Céu;
  2. Ela faz-nos Templos do Espírito Santo.
  3. Ela é perdida a cada pecado mortal.
  4. Ela é restaurada pelo arrependimento, confissão e absolvição por um sacerdote.
.
É através da Graça que nós merecemos o Céu; a quantidade de Graça Santificante que nós aceitamos e que correspondemos aqui na terra será a exata medida de nossa recompensa no Céu. A Graça Santificante é uma participação na vida Divina, uma extensão da eterna geração do Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo. Somente no Céu nós iremos perceber o valor inestimável da Graça Santificante.
 Devido a nossa época de apostasia geral, esta doutrina sobre a Graça Santificante não é mais pregada e ensinada, quantos fiéis tem ideia do que ela é e de quanto é importante?

Recurso a Nossa Senhora

Se alguém se sentir desencorajado perante a dificuldade de alcançar o Céu, deve voltar-se para Nossa Senhora.


Nossa Senhora é o refúgio e a esperança de todos os pecadores.

A Virgem Santíssima é a arca bendita, diz São Bernardo, onde qualquer um que se refugie irá escapar do naufrágio da danação eterna. No momento do dilúvio, até mesmo os animais brutos foram salvos na arca de Noé. E assim, sob a proteção dela, até mesmo os pecadores são salvos.

Um dia, numa visão, Santa Gertrudes viu Nossa Senhora com seu manto totalmente aberto. Sob suas dobras estavam muitos animais selvagens: leões, ursos, tigres – todos eles haviam-se refugiado ali. A santa notou que a Virgem Maria não expulsou as feras. Ela recebeu-as gentilmente e as acariciou. Disto, Santa Gertrudes concluiu que os mais ferozes pecadores não apenas não são rejeitados por Maria, como são até mesmo recebidos e salvos por ela da morte eterna.

Entremos então nesta arca, refugiemo-nos sob o manto de Nossa Senhora, e ela não irá nos desdenhar, mas irá assegurar nossa salvação eterna.

Outro meio seguro de salvação, na opinião deste autor, é recorrer a São José, o santo esposo de Maria, pedindo a ele, além disso, para interceder por nós para alcançar a perseverança final e a contrição perfeita pelos nossos pecados.

Conclusão

É bem sabido que os filhos da escuridão são consumidos pela busca de prazer, bens e poder. O que é menos conhecido é que os filhos da luz, que estão engajados na grande busca pela salvação, frequentemente perdem muito de seu tempo, que deve ser para glorificar a Deus. Isso os priva de estocar maiores tesouros no Céu. Tal dissipação pode levar ao Inferno ou a uma estadia muito longa nos fogos purificadores do Purgatório. Portanto, empenhemo-nos com todas as nossas forças enquanto ainda podemos armazenar tesouros no Céu.

Parece apropriado terminar esta série sobre o Inferno pedindo uma benção tradicionalmente usada por um clérigo para sua congregação e pelos leigos, tanto para suas famílias quanto para seus amigos: Benedictio Dei omnipotentis, Patris et Filii et Spiritus Sancti descendat super nobis et maneat semper. In nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sancti. Amen. (1)

  1. Que a benção de Deus Todo Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo desça sobre nós e permaneça para sempre. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

Original aqui.

Veja as outras partes: Parte IParte IIParte III, Parte IV..