domingo, setembro 27, 2015

Comentários Eleison: Acorda, Europa!

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDXXVIII (428) - (26 de setembro de 2015):   

ACORDA, EUROPA!

Europa, você está sendo invadida com grande habilidade.    
Retorne a Deus, ou essa invasão terá continuidade. 


Se alguns leitores ainda não acordaram, vamos acordá-los.  Há poucos dias, um relato de um leitor na Alemanha trouxe novidades que jamais serão contadas por nossa mídia vil. Esta é vil precisamente porque diz muitas mentiras e pouquíssimas verdades (mas não somos nós, o povo, os essencialmente responsáveis por nossa mídia...?).

“Alemanha, Áustria e terras vizinhas ao sudeste vêm sofrendo nos últimos meses uma agressiva invasão de estrangeiros disfarçados de "refugiados", cuja grande maioria são homens jovens procurando encrenca. O Primeiro-Ministro da Baviera, Horst Seehofer, tão branco quanto uma folha de papel, disse na TV, no último domingo, que a lei e a ordem estão à beira do colapso. No entanto, nossos governos fantoches e sua grande mídia, ambos a serviço dos inimigos de Deus, apoiam essa invasão por todos os meios de que dispõem, incluindo o abuso da força do Estado, tais como a polícia e as Forças Armadas. Esses fantoches também mentem por escrito a fim de ocultar das pessoas a invasão, e assim causar o maior dano possível.

“A maioria das pessoas continua dormindo, embora mais e mais gente da terra por aqui e em outros lugares esteja falando abertamente em guerra civil. Nas regiões periféricas da Baviera as coisas chegaram a parar. Moradores e mercadorias já não podem se movimentar, ou apenas o fazem com grandes atrasos. Sobre as hordas de invasores – ainda não agrupadas – que vagam livremente pelo interior do país e roubam, a grande mídia não dá uma palavra. As autoridades locais – obedecendo ordens de cima – perderam todo o controle, e a polícia aconselha à população vitimizada que cuide de si mesma e que eventualmente forme grupos de defesa civil – isto depois que fomos completamente desarmados, há poucos anos.

“A Croácia tem chamado para a mobilização o seu exército, que por todos os lados vem buscando se restabelecer. Eu quero ver o que posso fazer localmente, mas temo que a maioria de meus compatriotas ainda não tenham ideia do que está acontecendo. Se apenas alguns deles acordarem, lutarão como leões. Eis porque nosso assim chamado governo e os inimigos de Deus que o controlam, estão mentindo e enganando em todos os níveis para adiar esse momento de despertar. Isso vai de mal a pior...”. (Fim do relato do leitor.)

A emergência descrita aqui não está obviamente restrita à Alemanha. Um desastre similar está também afligindo muitas outras nações ocidentais. Parece inacreditável, mas quando se olha para isso por uma perspectiva religiosa, então tudo faz sentido. Consultem todo o Salmo 105. Deus deu aos israelitas dons e responsabilidades correspondentes para os quais eles foram repetidamente infiéis. Como Ele os amava, não poderia tê-los deixado impunes (Hb 12, 7-8). Aqui estão os versículos 35 a 41 do Salmo, adaptados para nosso tempo:

“E os cristãos misturaram-se com os pagãos, e aprenderam as suas obras, e adoraram os ídolos do liberalismo, que se tornaram armadilha para eles. E imolaram os seus filhos e as suas filhas aos demônios da contracepção e do aborto, e derramaram sangue inocente: o sangue de seus filhos e de suas filhas, que imolaram aos ídolos da busca pelo prazer egoísta. E a terra ficou poluída com sangue, e contaminaram-se com as suas obras; e prostituíram-se com seus produtos eletrônicos. E incendiou-se o furor do Senhor contra seu povo: e Ele abominou aqueles a quem especialmente havia presenteado. E entregou-os nas mãos de seus antigos inimigos. E aqueles que odiaram os cristãos por dois mil, e por mil e quatrocentos anos, tiveram domínio sobre eles”.

O desastre da Europa está a dar-se com permissão de Deus. A solução é naturalmente voltar para Deus: Versículo 44: “E Ele viu quando eles estavam em tribulação, e ouviu suas preces, (46) e conciliou-lhes a misericórdia diante de todos aqueles que os tinham levado cativos. (47) Salvai-nos, Senhor, nosso Deus, e recolhe-nos dentre os Vossos inimigos...".
                                                                                                                             
Kyrie eleison.

domingo, setembro 20, 2015

Comentários Eleison: Naturalismo Condenável

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDXXVII (427) -  (19 de setembro de 2015): 


NATURALISMO CONDENÁVEL

A natureza era suficiente antes da Encarnação,
Mas agora, sem Nosso Senhor, há somente condenação.

            “Sou um homem. Sustento-me. Tenho uma mente e uma vontade, e um senso de dever. Posso levar uma vida decente, mesmo nobre, no nível natural, muito acima do simples materialismo. Agora vem você, como católico, e me fala de uma vida sobrenatural, sobre-humana, superior à vida natural, que requer virtudes sobrenaturais para ser vivida. Você diz-me que ela é uma vida muito superior à vida natural, tornada possível por um Deus Encarnado, e que promete uma bem-aventurança inimaginável. Pois bem, tudo isso está muito bem, mas, honestamente, eu acho que a natureza humana é suficiente: nem a vida de um anjo nem a vida de uma besta. Não quero nem que o Céu venha nem as exigências que ele impõe aqui na terra. Eu dispenso esse benefício e sua carga. Contentar-me-ei com uma vida natural decente, que Deus me recompensará com um pós-morte natural decente.”

            Foi assim que o Cardeal Pie (1815-1880) pôs na boca de muitos cidadãos retos e respeitáveis de meados do século XIX, o grave erro do naturalismo, que estava então enviando, e tem enviado desde então, um grande número de almas para o Inferno. O naturalismo é a negação, ou como aqui, a recusa, de toda a ordem sobrenatural. A natureza é tudo, ou é tudo o que eu quero. Nada acima da natureza existe, ou se existe, eu polidamente dispenso. Leão XIII, em sua Encíclica, denunciou o naturalismo como sendo o erro essencial da Maçonaria (ver a Humanum Genus). O naturalismo é o grande erro de Hollywood, que dificilmente é percebido, porque todos nós crescemos acostumados ao mundo moderno tal como moldado pelos maçons, e um dos princípios destes é estar em toda parte, mas sem nunca ser visto. O Cardeal Pie contestou este respeitável cidadão com três argumentos:
           
            Em primeiro lugar, Deus é o Criador e o Soberano Senhor do homem, criatura Sua. Havendo criado o homem natural que sem dúvida pertence à ordem natural (o mundo é presente de Deus ao homem). De fato, Deus permitiu que o homem entrasse na ordem sobrenatural por um ato de amor que o homem não tem direito de recusar, porque o presente e o amor são imensos. Assim, Deus faz do benefício uma obrigação, sob severa penalidade em caso de recusa do benefício e de revolta contra o amor. A nobreza de participar da própria natureza de Deus por Seu presente da graça sobrenatural constitui uma obrigação tal, que aquele que se recusa a se comportar como um filho será tratado como um escravo.

            Em segundo lugar, a própria razão prova que Deus Se revelou através de Seu Filho, Jesus Cristo. Se Deus revela, eu devo ver.  Pois bem, Seu Filho Encarnado revelou que recusar crer é ser condenado (Mc 16, 16). O Pai deu todo juízo ao Filho (Jo 5, 22-23). Todo joelho será dobrado ante Jesus (Fl 2, 9-11). Cada pensamento deve submeter-se a Jesus (II Cor 10, 4-6). Todas as coisas estão resumidas em Jesus (Ef 1, 10-12; Hb 2, 8). Não há outro nome sob o Céu pelo qual nós podemos ser salvos que não o de Jesus (At 4, 11-12). Santo Agostinho, sobre João 15, diz que cada um ou está ligado a Cristo como o sarmento à videira, e então sustenta o fruto, ou está separado dela, e então é lançado ao fogo. Videira ou fogo! Tu não queres o fogo? Agarra-te à videira!

            Em terceiro lugar, levar uma vida natural verdadeiramente decente sem a graça sobrenatural é impossível. O homem decaído é fraco de mente e de vontade. Na prática, o Cardeal pergunta: quantos “cidadãos decentes e respeitáveis” sem a graça de Deus são capazes de resistir a toda tentação? Durante o dia eles comportam-se decentemente no trabalho, mas e durante a noite...? Eles seguem ao nobre Platão em público, mas em privado eles seguem ao buscador de prazer Epicuro. “Admita, senhor”, adverte o Cardeal: “Aos olhos dos homens tu podes ter sido sempre muito correto, mas não aos teus próprios olhos, e se não há uma gota do Sangue de Cristo em tua alma, tu estás-te dirigindo para o castigo”.

Kyrie eleison.




segunda-feira, setembro 14, 2015

Marie Antoinette by Shueisha


Deus, guiai-nos e protegei-nos; nós somos jovens demais para reinar.
Marie Antoinette by Shueisha publishing. Via.

segunda-feira, setembro 07, 2015

Ajuda para o Colégio São Bento e Santa Escolástica

Ajuda para o Colégio São Bento e Santa Escolástica


Nossa escola São Bento e Santa Escolástica passa por um momento de dificuldades financeiras que podem levá-la a ter que fechar. 

Precisamos assegurar até o fim do ano um acréscimo na folha de pagamentos que nos pegou de surpresa. Uma pequena ajuda vinda de muitos benfeitores nos permitiria sair desta crise que, queira Deus, seja senão momentânea.

A todos asseguramos nossas orações e sacrifícios.  

Que o Imaculado Coração de Maria os recompense esta ajuda em prol das crianças de nossa escola. 

Ir. Tomás de Aquino

PS: Qualquer ajuda por menos que seja nos será útil neste momento.

Site do Mosteiro: http://www.beneditinos.org.br.
Site da Escola: http://csbse.altervista.org

Conta do Mosteiro

Banco: Itaú
Conta: 47957-8
Ag.: 0222

CNPJ 30.171.417/000188
Sociedade Civil Mantenedora do Mosteiro da Santa Cruz 

*PEDIMOS A TODOS QUE DIVULGUEM COMO PUDER


VÍDEO SOBRE A CAMPANHA E A ESCOLA
https://www.youtube.com/watch?v=cQd3aQUnGLM



FOTOS DA ESCOLA

Galeria

sábado, setembro 05, 2015

Comentários Eleison: A Ordem da Caridade

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDXXV (425) - (05 de setembro de 2015): 

A ORDEM DA CARIDADE


“Preto é branco”, diz nosso mundo de mentiras frequentemente.
Com Deus por medida, os católicos medem corretamente.

O que a Igreja Católica pensa do "racismo”? E do “antissemitismo”? E do “machismo”? E da “homofobia”? Etc. Em um mundo liberal onde se supõe que todos devem ser bonzinhos para todos, não deveria ser surpreendente que o “politicamente correto” esteja sempre a propor uma nova classe de pessoas para todos nós odiarmos? A Igreja Católica, seguindo seu divino Mestre, diz que devemos amar nosso próximo e não odiar ninguém, mas não diz que nós devamos amar todos os nossos semelhantes indiscriminadamente. Vejamos como um grande teólogo católico põe ordem em nosso amor a Deus e ao homem. Aqui estão os elementos essenciais dos treze artigos da Suma Teológica de São Tomás de Aquino, 2a 2ae, Questão 26:

1. A caridade tem uma ordem, porque é uma amizade na beatitude sobrenatural, e essa beatitude tem seu ponto de partida em Deus, e onde quer que se tenha coisas que seguem um ponto de partida, tem-se uma ordem. (Notem como o católico imediatamente redireciona uma questão maior a Deus. Ao que podem os liberais imediatamente se referir como sendo o ponto de partida de suas "gentilezas"? Ao ódio aos nazistas? Sério?)

2. A caridade deve amar a Deus mais do que ao próximo, porque a caridade é uma amizade na beatitude, e toda beatitude para mim ou para o meu próximo tem a sua fonte em Deus. (Onde os liberais colocam a fonte de sua felicidade? Em sua autorrealização? Em seus semelhantes? Estas são formas relativamente pobres de felicidade.)

3. Deve-se amar a Deus mais do que a si mesmo, porque todas as criaturas (não contaminadas), cada uma ao seu modo, naturalmente amam o bem comum sobre seu bem particular, e Deus é o bem comum natural e sobrenatural de todos.

4. O eu espiritual deve ser amado mais do que o próximo espiritual, porque eu estou mais próximo de mim que de meu próximo, tanto que se eu não me amo (espiritualmente), é improvável que eu ame meu próximo. Mas...

5. O próximo espiritual deve ser amado mais do que o eu corporal, ou seja, do meu próprio corpo, porque o espírito vem antes do corpo, porque o espírito participa diretamente da beatitude, enquanto o corpo participa apenas indiretamente (através do espírito).

6. Alguns próximos devem ser amados mais do que outros, porque todos eles variam em aproximação a um dos dois pólos da caridade: o objetivo: Deus; ou subjetivo: eu. Os santos estão mais perto de Deus, próximos a mim.

7. Objetivamente, os santos serão amados mais do que os parentes, mas subjetivamente os parentes serão amados mais intensamente do que os santos, porque de várias formas eles estão mais próximos – “A caridade começa em casa”.

8. Essencialmente, parentes de sangue serão mais amados do que aqueles que não têm consanguinidade, porque os laços de sangue são naturais, fixos e substanciais.  Acidentalmente, porém, outros laços de amizade podem ser mais poderosos.

9. Objetivamente, os pais são amados mais do que os filhos, porque como fontes de vida e de muitos benefícios, os pais estão mais próximos de Deus; mas subjetivamente as crianças podem estar mais próximas de nós por várias razões.

10. O pai deve ser amado mais do que a mãe, como tal, porque no tocante a cada um em relação ao fato de ter-nos dado a vida, o pai é formal e ativo; ao passo que a mãe é material (maternal) e passiva (São Tomás escrevia sobre os seres humanos que são normais, e não desnaturalizados como são os de hoje em dia).

11. Objetivamente, pais são amados mais do que a esposa, porque como fontes de vida e de muitos benefícios eles estão mais próximos de Deus; mas subjetivamente, ela, que é "uma só carne" com seu marido, há de ser mais amada.

12. Objetivamente, alguém que nos faça bem é mais amado do que alguém a quem nós fazemos bem, porque aqueles são uma fonte de bem para nós; mas por aproximação subjetiva nós amamos mais alguém a quem fazemos o bem, por várias razões, por exemplo, "É melhor dar que receber".

13. Haverá sempre uma ordem de caridade no Céu, especialmente o amor a Deus sobre todas as coisas. Também a graduação objetiva do próximo, por sua proximidade com Deus, contará mais lá do que o que se faz aqui na terra.

Racismo? – Que raças estão mais próximas de Deus, ou de mim?  Elas não são iguais. “Antissemitismo”? – São os “semitas” amigos ou inimigos de Deus?  “Machismo”? – As mulheres de hoje me ajudam ou me atrapalham em meu caminho para Deus?  “Homofobia”? – Qual a postura dos “homos” em relação a Deus?


Kyrie eleison.

sexta-feira, setembro 04, 2015