quarta-feira, março 16, 2016

O cisco e a trave


Algumas pessoas tem insistido em atacar D. Williamson com a desculpa de estarem contestando as suas idéias. Essas mesmas pessoas dizem que “temos insistido na idéia de que a culpa da confusão atual é de quem distorce as palavras de D. Williamson”. Não insistimos em uma idéia, nós mostramos que as palavras de Dom Williamson foram distorcidas, como pode ser lido claramente no artigo:
Não só neste artigo, mas também na questão dos milagres, o Professor Nougué mostrou a aplicação errônea do “Comentário aos tessalonicenses”, que pode ser lido no endereço:
Não entendemos como alguém que comete tantos erros ao falar de D. Williamson, persista querendo apontar erros do mesmo Bispo. D. Williamson erra, ninguém aqui defende que ele é infalível, inerrante e impecável, assim, como não foi nem mesmo D. Lefebvre, os Papas, eles foram somente infalíveis, quem espera que um bispo seja assim, tenha os três “i”s são as pessoas que dizem contestar as suas idéias, mas se voltam contra ele.
Reconhecemos a eles o mérito de saírem do armário. Todos sabiam que havia algo mais, agora vamos começar a ver o que se escondia atrás da questão dos milagres. Questão que está mais do que respondida e refutada por nós, sem nenhuma contra-argumentação direta. Seja dos Padres ou dos leigos.
Por enquanto é o que temos a dizer, posteriormente voltaremos a mostrar a trave nos olhos deles, enquanto eles tentam tirar o cisco dos olhos de D. Williamson.