sábado, abril 02, 2016

Umas perguntas simples à neoteóloga de Pale Ideas

Por Henrique Paranhos





A teóloga disse isto:



“A ÁRVORE EVANGÉLICA SÓ PODE DAR UM TIPO DE FRUTOS. OU ELA É BOA E DÁ FRUTOS BONS. OU ELA É MÁ E DÁ FRUTOS MAUS.  QUALQUER OUTRA COMBINAÇÃO É CONTRÁRIA AO EVANGELHO. E, POR ISSO, CONTRÁRIA À VERDADE. AINDA MAIS QUANDO É O PRÓPRIO DEUS QUEM FALA. E QUANDO DEUS FALA... É DOGMA.”






Logo, a definição de dogma seria, segundo a teóloga: tudo o que Deus diz.

Se é assim, equivoca-se o reconhecido manual de Teologia Dogmática de Ludwig Ott (Barcelona, Herder, 1966, p. 30), quando define assim o dogma: “uma verdade diretamente (formalmente) revelada por Deus e proposta como tal pela Igreja para ser crida pelos fiéis”.

Equivoca-se também o afamado Dictionnaire de Théologie Catholique (DTC), quando define assim o dogma:uma verdade revelada por Deus e diretamente proposta como tal pela Igreja para nossa crença”.

Enfim, equivocam-se todos os teólogos pré-conciliares ortodoxos de prestígio, pois a teóloga, tal como os protestantes, prescinde da mencionada proposição necessária da parte do Magistério da Igreja, sustentando que algo pode ser dogma sem que a Igreja o proponha como tal.

Fazemos à nossa teóloga a mesma pergunta que fez o P. Trincado ao P. Cardozo, mas que este jamais respondeu: É uma verdade dogmática que a semente de mostarda é a menor de todas as que há no mundo? Porque isso é o que afirma Nosso Senhor, e então – segundo a nossa teóloga – é um dogma que a menor de todas as sementes do mundo é essa, e todo aquele que negar que essa é a menor de todas as sementes peca gravemente contra a fé, porque, “quando um batizado nega ou põe em dúvida deliberadamente um verdadeiro dogma, cai em pecado de heresia (CIC 1325, § 2) e incorre ipso facto em excomunhão (CIC 2314, § 1)” (Ott, obra citada, p. 31).

Senhora neoteóloga: Que propôs a Igreja para ser crido pelos fiéis acerca da semente de mostarda?

Que propôs a Igreja para ser crido pelos fieis acerca das árvores e dos frutos bons e das árvores e dos frutos maus?

Diz Nosso Senhor em Lucas 14, 28: “Quem de vós, desejando edificar uma torre, não se senta primeiro e calcula o custo, para ver se tem o suficiente para terminá-la?”

Senhora teóloga: se um católico, em lugar de sentar-se para fazer esse cálculo, o faz de pé, atenta contra um dogma?

Diz Cristo em Mateus 15, 29: “Se teu olho direito te é ocasião de pecar, arranca-o e arroja-o de ti”.

Senhora teóloga: devem arrancar os olhos os que pecam gravemente com a vista? O que se diz do olho direito vale também para o esquerdo ou não?

Diz-se em Jó 20, 16 que a víbora mata por meio de sua língua.

É herege aquele que negue isso?

Diz-se em Levítico 11, 4-6 e em Deuteronômio 14, 7 que o coelho e a lebre são ruminantes.

Isso é um dogma?

Senhora teóloga: a senhora se retrata de sua definição de dogma?


Enfim: lê-se em 1 Timóteo 2, 11-12: “A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Eu não permito que a mulher ensine [acerca da Doutrina Sagrada e de matérias afins] nem que exerça autoridade sobre o homem, senão que permaneça calada”. Se isso é dito pelo Espírito Santo por meio de São Paulo  e isto é um dogma –, por que a senhora não se cala?
 
Fonte: Estudos Tomistas